Usuários Online

RÁDIO CIDADE AO VIVO

terça-feira, março 26, 2013

39º homicídio em Mossoró em 2013.


Mais um crime de homicídio foi registrado em Mossoró. Na noite de hoje 26 de março de 2013 por volta das 20:30hs, um homem identificado como Gean do Nascimento da Silva, 18 anos, residia na Rua Lupeci de Queiroz, no bairro Três Vinténs do Abolição III. A vítima foi alvejada com vários disparos de arma de fogo,  na Rua Geraldo Couto, no bairro Santo Antônio por trás da UPA.
Segundo informações da polícia a vítima estava sentado na calçada, quando um elemento não identificado  chegou a pé e efetuou os disparos segundo informações dos socorristas da ALFA-1 do  SAMU, que atendeu a ocorrência pelo menos nove perfurações foram vistas, o que não significa que a vítima sofreu nove disparos, podendo ser de entrada e saída. De acordo com a polícia Gean é conhecido da polícia e postava em redes sociais fotos com armas etc...






Reprodução Cidade News Itaú via Passando na Hora
Leia Mais ››

Programa "ITAÚ AGORA" estréia amanhã pela Rádio Cidade

Estréia amanhã, quarta-feira, 27 de março, o programa ITAÚ AGORA na Rádio Cidade. A prefeitura através do canal de comunicação junto à população  trará os assuntos da administração que serão levados ao ar, numa prestação de contas aberta a todos. A condução será do prefeito Ciro Bezerra com participação de secretários, coordenadores, vereadores e convidados. O programa será semanal no horário de sete às oito horas da manhã, na Rádio Cidade FM.

Cidade News Itaú
Leia Mais ››

Correios divulga horário de atendimento na Semana Santa


No feriadão da Semana Santa, as agências dos Correios funcionarão em seus horários habituais na quinta (28) e, no caso daquelas que normalmente abrem aos sábados, também no dia 30. Na sexta-feira (29), não haverá atendimento ao público.

Ainda em face do feriado religioso, as encomendas postadas via SEDEX no dia 28 de março (quinta-feira) somente poderão ser entregues a partir do dia 30/3 em Natal, Parnamirim e Mossoró. Para as demais localidades, as entregas começam a partir do dia 1º de abril. Vale ressaltar que os Correios não realizam entregas aos domingos.

Cidade News Itaú via ASCOM/RN
Leia Mais ››

Semarh e Caern alertam para desvios ilegais e uso racional da água


Em coletiva realizada na tarde desta terça-feira (26), o secretário estadual do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, Leonardo Rêgo e o diretor-presidente da Companhia de Águas e Esgotos do RN, Yuri Tasso apresentaram à imprensa dados sobre os desvios ilegais em adutoras por todo Estado, a necessidade de racionamento no consumo de água e as principais ações desenvolvidas pela Semarh para enfrentar os efeitos da estiagem.

O presidente da Caern falou do trabalho que está sendo desenvolvido pela empresa para combater o desvio de água e que essa é uma ação conjunta com o Ministério Público Estadual e da Polícia Militar. “A população é a grande prejudicada com o desvio dessa água. Para se ter idéia, uma única pessoa que desvia pode prejudicar o abastecimento de uma cidade inteira”, disse Yuri.

Na ocasião, Yuri citou um caso recente que aconteceu no município de Santa Maria.  Segundo ele, alguns usuários abastecidos pela adutora Monsenhor Expedito, estavam desviando água da contabilidade do Hidrômetro. ”Descoberta e combatida a fraude, o abastecimento da cidade melhorou em 30%”, disse ele.

Durante a coletiva, o secretário Leonardo Rêgo, falou das obras que a Semarh vem desenvolvendo nos últimos seis meses. ”Instalamos mais de 150 poços e recuperamos 140. Além disso, temos uma carta consulta aprovada na FUNASA para instalação de 847 poços no estado, estamos aguardando a liberação dos recursos pelo Ministério da Integração” disse Leonardo. “Uma ótima notícia para o estado é  a assinatura do termo de compromisso, que acontecerá no dia 1° de abril, entre a Semarh e o Departamento Nacional de Obras contra a Seca (Dnocs), para a construção da Barragem de Oiticica”, acrescentou Leonardo.

O titular da Semarh falou ainda sobre outros projetos que já têm recursos assegurados na União, entre eles, a Barragem de Umarizeira, no município de Umarizal, a Barragem de Poço de Varas, no município de Coronel João Pessoa e a Barragem Pedra Branca, no município de Angicos. A respeito da construção de cisternas, o secretário ressaltou que só pela Semarh serão construídas 1.285 até o final do ano.

Outro tema abordado durante a coletiva foi o uso racional da água. A coordenadora de Gestão de Recursos Hídricos da Semarh, Joana Medeiros, falou do trabalho desenvolvido pela Secretaria no que diz respeito ao monitoramento dos grandes reservatórios do Estado. De acordo com Joana, junto com o trabalho de medição de da situação volumétrica dos açudes também é discutida com a comunidade a gestão da água daquele reservatório. “Nessa situação extrema e adversa que é a seca, estamos orientando a população do interior para usar água com bastante cautela e priorizar o abastecimento humano”, disse Joana.

Cidade News via Assecom-RN
Leia Mais ››

CORPO AGUARDA NA IGREJA DE TABOLEIRO GRANDE SER RECOLHIDO PELO ITEP


Uma situação inusitada acontece hoje em Taboleiro Grande.
Um corpo num caixão, já pronto para ser sepultado, inclusive com os ritos religiosos já realizados, aguarda a chegada do ITEP.
O senhor Raimundo Silva, 63 anos, encontrado morto ontem (25), na cidade de Francisco Dantas, suspeita-se que a morte tenha sido causada por infarte, foi recolhido do local onde encontrado antes da chegada do ITEP, que sabendo disso se recusou a fazer o recolhimento.
A família tentou que algum médico assinasse o laudo da morte de Raimundo Silva, o que não foi aceite por nenhum profissional, ficando o corpo na igreja enquanto um familiar tenta na justiça ordem para que o ITEP venha pegar o corpo, examinar e assinar o laudo para que o sepultamento seja feito.
Segundo informou ao blog uma neta de Raimundo Silva, espera-se que logo, logo a justiça obrigue o ITEP a recolher o corpo para que o enterro seja feito.
Enquanto isso não se resolve, a família aguarda o desenrolar dos fatos.

Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››

Trio assalta clínica odontológica na Jaguarari


Três homens ainda não identificados invadiram e assaltaram uma clínica odontológica situada na Avenida Jaguarari, no bairro Lagoa Nova, zona Sul de Natal. Os assaltantes chegaram no local armados e levaram todos os pertences de pacientes e funcionários. De acordo com o tenente Guerra, oficial do 5º Batalhão, os criminosos fugiram com um carro de uma das vítimas, mas abandonaram o veículo logo depois.

Segundo a recepcionista da clínica, que terá o seu nome preservado, cerca de 20 pessoas estavam no local no momento da ação criminosa. Todas elas foram surpreendidas com o anúncio do assalto feito por um dos homens. "Eles estavam muito nervosos e pediam tudo as pessoas que estavam na recepção. Dois deles estavam armados e ameaçavam atirar caso houvesse algum tipo de reação", disse.

Uma das vítimas foi uma policial civil que teve a chave do carro levada, além de outros pertences. A agente preferiu não gravar entrevista, mas se mostrou indignada com a ousadia dos criminosos. O caso será investigado no 5º Distrito Policial, localizado no próprio bairro de Lagoa Nova. 

Reprodução Cidade news Itaú via Portal BO
Leia Mais ››

'Matei porque ele me ameaçava', diz homem suspeito de matar o pai no RN



Abeane Luis Jorge Vale, preso nesta terça-feira (26) suspeito de matar o próprio pai em Natal, afirmou que cometeu o crime em legítima defesa, uma vez que "vivia sendo ameaçado de diversas formas. Ele disse que quando saísse a prisão preventiva dele, antes de ser preso, iria me matar", disse Abeane.
Segundo o advogado de defesa, Wilker Matoso, Abeane foi ameaçado pelo pai -  o aposentado Abeane Vale de Medeiros, de 68 anos - por isso saiu em busca deste e efetuou os disparos. O delegado  Roberto Andrade, titular da Delegacia Especializada de Homicídios (Dehom), adiantou ao G1 que Abeane (o filho) será indiciado por homicídio. "Não acredito nessa versão de legítima defesa porque isso só ocorre em uma reação da pessoa. Não existe uma 'premeditação' de legítima defesa", disse o delegado.
Abeane Luis garantiu que não matou o pai por vingança, mesmo o patriarca tendo sido condenado por matar a ex-mulher, e mãe dele. "Eu não podia esperar ele me matar. Não foi vingança, matei porque ele vivia me ameaçando", enfatizou Abeane.
O aposentado Abeane Vale de Medeiros, de 68 anos, foi morto a tiros na terça-feira (19), dentro do próprio carro, no cruzamento da avenida Prudente de Morais com a rua Alberto Maranhão, em Natal. De acordo com informações do Tribunal de Justiça, Abeane era condenado a 13 anos por matar a ex-mulher nas mesas circunstâncias em outubro de 1999. Ele era foragido da Justiça.

Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››

Delegado da PF no RN é condenado a sete anos e seis meses de reclusão


A Justiça Federal em Mossoró condenou o delegado da Polícia Federal Adauto Gomes da Silva Júnior a sete anos e seis meses de reclusão, em regime inicialmente fechado, e multa de mais de 100 salários mínimos vigentes em março de 2010, por vazar informações confidenciais sobre a operação Serra Negra. A decisão judicial resultou de uma ação penal movida pelo Ministério Público Federal no Rio Grande do Norte (MPF/RN).

De acordo com nota do MPF, o delegado poderá recorrer em liberdade. Ele foi denunciado pelo MPF por violação do sigilo funcional e colaboração com o tráfico de drogas.
No dia 15 de março de 2010, às 16h51, Adauto Júnior informou Karla Micaelly Fernandes da Silva, através de um telefonema, sobre a realização da operação Serra Negra, que ainda seria deflagrada pela Polícia Federal de Mossoró e que tinha como objetivo desbaratar uma quadrilha de traficantes de drogas da região.
Cinco minutos depois, Karla Micaelly repassou a informação ao investigado Ikaro Mikael da Silva Jácome, que era um dos principais alvos da operação. No telefonema, ela disse que teria recebido as informações de um “amigo”, revelando que a polícia iria fazer “um raio x em tudo”. Através da quebra do sigilo telefônico de Karla Micaelly, a própria PF descobriu que o “amigo” tratava-se do delegado Adauto Júnior.
Ele se encontrava em Mossoró, em 15 de março de 2010, apenas para uma investigação eleitoral, mas foi até o Núcleo de Operações de Inteligência Policial da PF na cidade, tendo feito perguntas sobre Ikaro Jácome e tomado conhecimento de que o criminoso era um dos alvos da operação Serra Negra. Em depoimento, Karlla Micaelly admitiu ter sido avisada por Adauto Júnior da operação e ter conversado com Ikaro Michael logo após, orientado-o a se desfazer do chip do telefone.
Policiais federais e o delegado responsável pela Serra Negra confirmaram que a conduta do réu provocou prejuízos à operação. O investigado Ikaro Jácome passou a utilizar outros números de telefone, diminuindo a quantidade de conversas mantidas com seus sócios no tráfico, dificultando as investigações. A Serra Negra, inicialmente prevista para durar seis meses, levou um ano e oito meses.
A sentença considera o “conjunto probatório favorável à condenação pelo crime de violação de 'sigilo funcional' e de informante de quadrilha destinada à prática de crime de tráfico de drogas” e acrescentou que a autoria e materialidade foram comprovadas. A denúncia do MPF havia sido recebida pela Justiça em 16 de dezembro de 2011, desde então Adauto Júnior estava afastado do cargo de delegado da Polícia Federal.
A decisão judicial prevê ainda perda do cargo, após o trânsito em julgado, e estipula 326 dias-multa, cada um fixado em um terço do salário-mínimo vigente em março de 2010. A ação penal tramita na 10ª vara da Justiça Federal, em Mossoró.

Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››

Presos aproveitam banho de sol para escalar muro e fugir em Mossoró, RN


Nove presos fugiram da cadeia publica Juiz Manoel Onofre de Souza, em Mossoró, na tarde desta terça-feira (26). Segundo a polícia, o grupo aproveitou o dia de visita e o fato de estarem no espaço reservado ao banho de sol para escalar o muro e fugir.

Os agentes penitenciários que estavam plantão ainda tentaram evitar a fuga efetuando disparos, mas não conseguiram. Até o começo da noite desta terça, nenhum havia sido recapturado.
Os fugitivos, segundo a polícia, são: José Ivanildo Pinheiro de Lima, Estiver Magaiver Almeida de Moura, Damião Marques da Silva, Expedito Luiz de Carvalho Neto, Emerson Ricardo Cândido de Morais, Francisco Romário da Silva Brito, Ranielly Brito de Azevedo, Lucélio de Souza e Daniel Soares Firmino Moreira.
No final da tarde, foi montada uma força-tarefa envolvendo as Polícias Federal, Civil e Militar do Rio Grande do Norte para tentar localizar e recapturar os foragidos.







Veja a Relação dos Foragidos:
* José Ivanildo Pinheiro de Lima 20 anos de idade residente na Rua Bem me Quer, parque das Rosas em Mossoró, detido varias vezes pelo artigo 33/35.* Estiver Magaiver Almeida de Moura 25 anos de idade residente na Rua Bezerra em Mossoró, responde o artigo 121;

* Damião Marques da Silva 34 anos de idade natural de Pedro Avelino e residente na Rua Valério Mesquita em Macaíba, veio transferido de Alcaçuz;

* Expedito Luiz de Carvalho Neto “Luizinho” 20 anos de idade, residente na Rua Marechal Floriano em Mossoró, responde pelo artigo 12.
* Emerson Ricardo Cândido de Morais, 21 anos de idade, residente na Tibério Burlamaqui, no Bairro Paredões, detido por força de um mandado da justiça da comarca de Mossoró.
* Francisco Romário da Silva Brito 19 anos de idade, residente na Rua Ceará em Remanso no estado da Bahia, detido acusado pelo artigo 121
* Ranielly Brito de Azevedo 30 anos de idade, residente na Vila Mato Grosso na Serra do Mel, detido acusado pelo artigo 311/312.
* Lucélio de Souza 28 anos de idade, residente na Rua juvenal Lamartine em Mossoró, responde detido pela artigo 157;
* Daniel Soares Firmino Moreira, 23 anos de idade, residente na Rua Tonheca Dantas no Abolição IV em Mossoró detido acusado pelo artigo 33.



Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››

Pastores evangélicos batizam presos na maior penitenciária do RN


57 detentos foram batizados em Alcaçuz (Foto: Divulgação/Sejuc)

Cinquenta e sete presidiários que cumprem pena na Penitenciária Estadual de Alcaçuz - a maior do Rio Grande do Norte – foram batizados durante um culto evangélico na manhã desta terça-feira (26). Localizado na Grande Natal, o presídio abriga atualmente 695 detentos. Integrantes da Igreja Evangélica Verbo da Vida organizaram a celebração e instalaram piscinas de plástico no local para manter as características do rito evangélico.

Este é o segundo batismo coletivo na unidade (Foto: Bárbara Homrich/Sejuc)Este é o segundo batismo coletivo na unidade
(Foto: Bárbara Homrich/Sejuc)
Este é o segundo batismo coletivo realizado em Alcaçuz, o primeiro ocorreu em 2001, informou a Secretaria Estadual da Justiça e da Cidadania (Sejuc). Entre os batizados, internos que cometeram vários crimes. Os familiares também puderam acompanhar a conversão dos detentos.
A celebração foi conduzida por pastores da Igreja Evangélica Verbo da Vida, que realiza um trabalho de evangelização com os apenados da unidade. “Eles receberam o trabalho de evangelização e também fazem o estudo da bíblia. Acho que deve fazer muito bem a eles. Um momento de reflexão e de aproximação com Deus e dos reais valores”, enfatizou Dinorá Simas, diretora de Alcaçuz.

No momento da celebração, muitos choraram e se comoveram, segundo Dinorá. “O evento foi marcado por palmas e louvores. O tempo todo, durante os batismos sucessivos, os presos acompanhavam os cânticos e reforçavam o coro dos pastores. No final, todos foram presenteados com uma bíblia e um kit de higiene pessoal”, acrescentou a diretora.

O pastor e agente penitenciário, Raul Moreira, destacou a importância da evangelização nas unidades prisionais. “O amor de Deus é o único caminho para a transformação do ser humano. O evangelho proporciona a mudança no coração e no comportamento destes homens”, defendeu.

Para a diretora de Alcaçuz Dinorá Simas este dia é de celebração e meditação. “Estamos sempre de portas abertas para este tipo de trabalho. Acreditamos que a religião pode confortar e transformar as pessoas. O acesso à assistência religiosa é um direito constitucional dos detentos. Ainda mais hoje, no aniversário de 15 anos de Alcaçuz.

Apenados se emocionaram curante a celebração (Foto: Bárbara Homrich/Sejuc)

Para o apenado Dante, foi muito importante ter conhecido a palavra de Deus dentro do presídio. “Tinha um Novo Testamento, daqueles distribuídos de graça, jogado em um canto da cela e eu resolvi ler todo, começando da primeira página. Lá dizia que a palavra de Deus era o caminho. Minha vida mudou depois disso. Vivia fugindo da Polícia, mas depois que me converti aceitei que precisava mudar tudo. Acredito que quando sair daqui serei um homem melhor”, garantiu Dante.

Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››

Nível de lagoa baixa e pescador encontra canoas indígenas no RN


Canoas indígenas foram encontradas na Lagoa de Extremoz (Foto: Canindé Santos)

O baixo nível da lagoa de Extremoz, na Grande Natal,  ajudou a revelar relíquias que resgatam a história: são três canoas indígenas, uma delas ainda presa a uma corrente. A  maior  mede mais de dois metros de comprimento, segundo o pescador Pedro Luiz da Silva,de 70 anos, que encontrou as embarcações no fundo da lagoa.
"Eu encontrei durante uma pescaria. Marquei o local e depois voltamos para pegar", contou o pescador Pedro Luiz da Silva.


O pescador tem um documento para comprovar que já encontrou muitas partes da história potiguar em baixo d´água. Ele se orgulha de ter descoberto outras canoas e até imagens de santos. "Eu acho isso muito importante para a nossa história. Ajuda a contar nosso começo. Mas acho que seria melhor se as relíquias tivessem todas guardadinhas aqui", defendeu Pedro.

Pescador encontrou canoas e outros objetos antigos (Foto: Canindé Santos)Pescador encontrou canoas e outros objetos
antigos (Foto: Canindé Santos)
Pedro garante que outra canoa indígena ainda está submersa na Lagoa de Extremoz. As que foram retiradas da região irão passar por análises no Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O objetivo é descobrir a idade das embarcações, que aparentam ser do século XVI, quando há registro da presença de jesuítas para catequizar os índios tupis e paiacus que habitavam a região, conhecida antigamente por Aldeia Guajiru, segundo os registros históricos.
O fotógrafo Canindé Santos registrou todas as descobertas que ficaram durante séculos escondidas pelas águas. Para Canindé, é uma forma de manter viva a memória da cidade. "Isso é importante para conscientizar as pessoas sobre a história de Extremoz desde a época dos índios. E também sobre as batalhas com portugueses e holandeses que aqui estiveram", destacou Canindé Santos.

Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››

Garoto de 17 anos vende aplicativo para o Yahoo! por US$ 30 mi


Nick D'Aloisio, que ficou milionário aos 17 anos
Um prodígio londrino da computação está realizando os sonhos do Vale do Silício, com a venda de seu aplicativo para o Yahoo! por US$ 30 milhões.

O portal de internet, que colocou a tecnologia móvel em posição central em seu novo plano de recuperação, depois de anos de dificuldades, decidiu que era hora de recorrer ao adolescente britânico Nick D'Aloisio e ao aplicativo Summly, que resume notícias automaticamente para leitura nas pequenas telas dos celulares e aparelhos móveis.

O acordo faz do autodidata D'Aloisio, 17, um milionário. Ele aprendeu sozinho a escrever software, quando tinha 12 anos, e passará a trabalhar no escritório do Yahoo em Londres, enquanto continua seus estudos.

D'Aloisio foi elogiado pela Apple quando do lançamento do Summly, classificado pela companhia como um dos melhores aplicativos para o iPhone em 2012. O programa foi baixado quase um milhão de vezes antes que fosse retirado da loja de aplicativos da Apple, depois do anúncio da transação.

"Nick é um pensador excepcional no que diz respeito a produtos", disse Adam Cahan, vice-presidente de produtos móveis e emergentes do Yahoo.

"Ele representa uma mudança de geração, em termos das coisas sobre as quais pensa, e do significado de uma cultura completamente móvel. A geração dele não é uma geração na qual os aparelhos móveis vêm primeiro; é uma geração na qual só existem aparelhos móveis. E esse é um ponto de vista diferente".

A Summly contava com capital investido pela Horizons Ventures, a divisão de capital para empreendimentos do conglomerado de Li Ka-shing, bilionário das telecomunicações de Hong Kong.

Nomes conhecidos da tecnologia e da mídia também investiram no empreendimento, entre os quais os atores Ashton Kutcher e Stephen Fry; Shakil Khan, criador do Spotify; e Mark Pincus, presidente-executivo da Zynga.

"Meu projeto com a Summly era levar a nossa tecnologia ao maior número possível de usuários", disse D'Aloisio, em referência às centenas de milhões de usuários do Yahoo.

"Dada a reputação do Yahoo como portal de conteúdo, temos uma oportunidade de mudar de maneira fundamental a maneira pela qual o conteúdo é consumido".

Nick D'Aloisio, 17, que vendeu o aplicativo Summly ao Yahoo por US$ 30 milhões

STANFORD

D'Aloisio também contou com assistência do Instituto de Pesquisa de Stanford, uma organização de pesquisa e desenvolvimento que também esteve envolvida na criação do sistema Siri de assistência por voz, para a Apple.

"A visão mais ampla quanto ao projeto e a tecnologia utilizada são ambas muito impressionantes", disse Cahan sobre as capacidades de aprendizado mecânico e processamento de linguagem natural do Summly.

Em um post anunciando a transação no blog da empresa, Cahan afirmou que, embora os aparelhos móveis estejam mudando nossa rotina cotidiana, "a maioria dos artigos e páginas da web foram formatados para navegação com ajuda de mouse. A capacidade de navegar por eles em um celular ou tablet pode representar um sério desafio, desejamos maneiras mais fáceis de identificar o que é importante para nós".

Summly tenta solucionar o problema por meio da criação de "instantâneos" de histórias, que permitem aos leitores navegar mais rápido do que se lessem a íntegra dos artigos. O aplicativo será fechado, mas a tecnologia de D'Aloisio será integrada aos aplicativos móveis do Yahoo.

Dois dos subordinados de D'Aloisio na Summly se transferirão à sede do Yahoo em Sunnyvale, Califórnia, mas por enquanto o criador do app está resistindo aos atrativos do Vale do Silício. "Tenho 17 anos. Quero ficar com a minha família e meus amigos, terminar a escola", ele disse. "Viverei em Londres pelo futuro previsível".

Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››

Suspeita confessa ter ajudado mãe a procurar criança morta no RJ


A escola em que o menino estudava amanheceu em luto e suspendeu as aulas nesta terça-feira (26) (Foto: Cristiane Cardoso/G1)

A manicure Suzana do Carmo de Oliveira Figueiredo, suspeita de matar João Felipe Eiras Santana Bichara, de 6 anos, nesta segunda-feira (25), em Barra do Piraí, no Sul Fluminense, chegou a consolar a mãe da criança depois de cometer o crime. Mesmo sabendo que a criança não estaria na escola, Suzana chegou a acompanhar a mãe do menino até o local. “Eu fui na escola”, afirmou ao G1.

Manicure Susana do Carmo é acusada de matar criança de 6 anos em Barra do Piraí (Foto: Reprodução / TV Rio Sul)Manicure é acusada de matar criança de 6 anos
em Barra do Piraí (Foto: Reprodução / TV Rio Sul)
A criança foi encontrada morta dentro de uma mala na casa da manicure após desaparecer na tarde de segunda. Ela foi presa em flagrante e indiciada por homicídio triplamente qualificado por motivo torpe, meio cruel, emboscada e por ocultação de cadáver. Suzana, segundo a polícia, ligou para o colégio, se passou pela mãe de João Felipe e pediu para liberar o menino para ir ao médico.
Ao G1, a advogada do Instituto de Educação Nossa Senhora Medianeira, Tânia Maria Ferreira Moraes, admitiu falha na segurança da escola ao entregar o menino, mas alegou que a história foi muito bem planejada. “Até na escola com a mãe ela (manicure) veio. Não vamos dizer que não houve falha, houve. Mas era uma riqueza muito grande de detalhes sobre o menino e a família dele. Ela arquitetou tudo muito bem”, afirmou Tânia.
De acordo com Tânia, Suzana ligou para a escola, se identificou como a mãe da criança, deu o nome completo do menino, da professora e a turma em que ele estudava. “Ela disse que a babá havia esquecido que ele tinha médico marcado e que a Manuela (madrinha) passaria de táxi para buscá-lo”.

Ainda segundo a advogada, 20 minutos depois da primeira ligação, a manicure teria ligado novamente perguntando se o menino já estava pronto, pois o táxi estava chegando. Apesar de afirmar que o fato é isolado, a direção da escola garantiu que vai tomar algumas providências e que pretende instalar câmeras de segurança no colégio. Na manhã desta terça a escola colocou um tecido preto pendurado no portão como forma de luto. As aulas foram suspensas.
Criança foi enterrada nesta manhã
O crime chocou os moradores do município de pouco menos de 100 mil habitantes do interior do Rio de Janeiro. O corpo da vítima foi encontrado em uma mala na casa de Suzana do Carmo de Oliveira Figueiredo, que era manicure da mãe do menino, na noite de segunda (25). Ela confessou ter cometido o crime.
A mulher foi presa em flagrante e indiciada por homicídio triplamente qualificado por motivo torpe, meio cruel, emboscada e por ocultação de cadáver.
O enterro foi realizado na manhã desta terça no Cemitério Recanto da Paz, no Centro da cidade, e o sentimento era de muita revolta e indignação. A avó materna de João Felipe, identificada apenas como Tereza, saiu do local amparada por outros familiares. Inconsolável, ela chorava muito e gritava "por que meu Deus?".
Muito abalada, a mãe do menino, Aline Bichara, era consolada por parentes e amigos na saída do cemitério. “Ela destruiu ele”, gritava.
Confissão
Na manhã desta terça, Suzana disse ao G1 que teve um relacionamento amoroso com o pai da criança. Ela não quis dizer por quanto tempo. A manicure contou que comentou com o amigo Rafael, taxista, que queria dar um susto no pai do menino para que ele parasse de “ficar atrás dela”. “Ele não era do tipo que sabia ouvir um não”, disse a manicure sobre o pai da criança. A polícia afirma que ela deu cinco versões diferentes para o crime. O G1 não conseguiu falar com a família do garoto sobre as versões apresentadas pela suspeita.
O taxista teria, então, sempre na versão de Suzana, chamado um outro homem para participar do “susto”. Segundo ela, este homem, cujo nome ela não informou, teria dito o que ela deveria fazer, o que teria que dizer quando ligasse para a escola.
Embora Suzana tenha dito que não cometeu o crime sozinha, as investigações indicam que ela não teve ajuda de ninguém. O caso é investigado na 88ª DP (Barra do Piraí).

Suzana confessou que pegou a toalha molhada e asfixiou o menino, sob ameaça dos outros dois. Segundo ela, o recepcionista do hotel seria conivente com o crime. A criminosa disse que o combinado com os outros dois era de que o corpo da criança seria levado para sua casa e, posteriormente, Rafael e o comparsa iriam buscá-lo.

O delegado José Mário Romena, contudo, descarta esta versão, bem como o envolvimento de outras pessoas no caso, porque, segundo ele, o recepcionista identificou o menino, através do movimento feito pelos pais nas redes sociais, entrou em contato com o taxista, que teria ido até a delegacia. Segundo o delegado, o crime foi passional. José Mário Romena disse que Suzana planejou o crime, já que conhecia a rotina da família e o executou sozinha.

Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››

Manicure é indiciada sob suspeita de homicídio após morte de menino


Manicure Susana do Carmo é acusada de matar criança de 6 anos em Barra do Piraí (Foto: Reprodução / TV Rio Sul)
O delegado José Mario Salomão indiciou nesta terça-feira a manicure Suzana do Carmo de Oliveira Figueiredo, 22, sob suspeita de homicídio triplamente qualificado (motivo torpe, meio cruel, emboscada) e por ocultação de cadáver.

Ela confessou na madrugada de hoje ter matado o menino João Felipe Eiras Santana Bichara, 6, em Barra do Piraí (a 100 km do Rio de Janeiro). O corpo da criança foi encontrado dentro de uma mala na casa da mulher na noite de segunda-feira (25).

Suzana era manicure da família e disse ter tido uma relação amorosa com o pai do menor. O sepultamento da criança foi realizado no final da manhã desta terça no Cemitério Recanto da Paz, em Barra do Piraí.
Uma passeata foi marcada para o início da tarde na praça Pedro Cunha, no centro da cidade.

Em depoimento, a manicure disse que não agiu sozinha para matar o menino. "Não fiz isso sozinha", disse Suzana, ao "RJ TV", da Rede Globo. Ele era manicure da família e frequentava a casa do menor há cerca de dois anos.

João Felipe desapareceu depois de Suzana buscar a criança numa das mais tradicionais escolas da cidade, o Instituto de Educação Nossa Senhora Medianeira. O delegado disse que o crime pode ser uma vingança contra os pais da criança.

"Não tem uma lógica matar uma criança de 6 anos de idade, a não ser atingir seus pais. Não tem motivo para rasgar roupa do morto, cortar e jogar no lixo. E, além disso, como se não bastasse, ainda ocultou o cadáver dentro de uma mala", afirmou o delegado, ao "RJ-TV".

Em depoimento na 88ª DP, funcionários da escola disseram que uma mulher, que se identificou com a mãe da criança, ligou para o instituto dizendo que a madrinha de João Felipe iria ao local pegá-lo para fazer exames. Horas depois, o corpo do garoto foi encontrado na casa de Suzana.

Segundo policiais, ela levou a criança para um hotel no centro da cidade, onde o teria sufocado com uma toalha. Logo depois, a manicure deixou o hotel com a criança e pegou um táxi. Policiais acreditam que o menino já estava morto. De acordo com o relato do taxista, João Felipe não se mexeu no trajeto até a casa de Suzana.

Em depoimento na delegacia, a manicure disse que pegou a criança na escola e foi embora de táxi. A família só soube que o garoto havia deixado o instituto uma hora depois, quando os policiais foram acionados.

Enquanto a polícia procurava a criança, a manicure foi para a casa dos pais do menino dizendo que queria ajudá-los. De acordo com a polícia, ela disse que ficaria no local para atender o telefone, caso os pais quisessem sair para procurar o garoto.

Depois de o corpo ser encontrado na casa dela, a mulher confessou o crime e foi presa. Após a confirmação da morte, moradores da cidade protestaram na noite de ontem na frente da delegacia.

Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››

Exame confirma lesão e Renato Augusto para por seis semanas


Renato Augusto machucou a coxa direita na partida entre Corinthians e Guarani
O Corinthians não terá o meia Renato Augusto por seis semanas por conta de uma lesão de grau 2 na coxa direita. O exame foi realizado nesta terça-feira e apenas confirmou o que os médicos do clube já esperavam. 

Renato Augusto, que tinha ganho espaço no time titular do técnico Tite, se machucou na vitória por 1 a 0 sobre o Guarani, no último domingo. O exame de ultrassonografia apontou uma lesão de grau 2 no músculo bíceps femural (posterior) da coxa do jogador. 

Se o tempo determinado pelo departamento médico do clube se confirmar, Renato Augusto só deve voltar a jogar em maio, perdendo as duas últimas rodadas da fase de grupos da Libertadores, as últimas rodadas da fase de classificação do Paulistão e até mesmo as primeiras partidas do mata-mata das duas competições, caso o clube avance em ambas.  

Se no caso de Renato Augusto a notícia foi ruim, a situação de Cássio é bem melhor. O goleiro realizou uma ressonância magnética e nenhuma lesão foi constatada.

Cássio sofreu um trauma no quadril também na partida contra o Guarani, mas apesar do seu caso não ser grave, ele está fora da partida contra a Penapolense para realizar tratamento. 

Seu retorno é esperado para o clássico contra o São Paulo no próximo domingo, assim como o atacante Alexandre Pato. 

Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››

Ex-coordenador assume ao MP que sabia dos dedos de silicone de Ferraz


Médico Jorge Cury chega a depoimento no Ministério Público de Ferraz (Foto: Carolina Paes/G1)Médico Jorge Cury chega ao Ministério Público
de Ferraz (Foto: Carolina Paes/G1)
Em depoimento ao Ministério Público, na manhã desta terça-feira (26), o ex-coordenador do Samu de Ferraz de Vasconcelos disse que sabia da existência dos dedos de silicone para fraudar o controle de ponto de funcionários, mas negou que fosse o responsável pela confecção das próteses.
O médico Jorge Cury é suspeito de chefiar a fraude no controle de presença de médicos com o uso de dedos de silicone no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). No dia 10 de março, a médica Thauane Nunes Ferreira foi flagrada fraudando o sistema.

As informações passadas por Cury durante o depoimento, que durou cerca de três horas, foram divulgadas pelo Ministério Público no fim da tarde desta sexta-feira. O médico ainda informou aos promotores Daniel Magalhães de Albuquerque Silva e Sérgio Ricardo Gomes de Moura que nunca usou os dedos de silicone e que não houve prejuízos financeiros para a prefeitura porque os plantões teriam sido cumpridos e a prestação do serviço não teria sido afetada.
De acordo com os promotores, Cury também colocou à disposição do Ministério Público os sigilos telefônicos, bancários e fiscal.
O médico não falou com a imprensa nem antes e nem depois do depoimento. O G1 também tentou contato por telefone durante a tarde, mas o celular de Cury apenas chamava.

Na manhã desta segunda (11) ambulâncias deixavam o Samu de Ferraz. (Foto: Carolina Paes/G1)Fraude de controle de ponto acontecia no Samu de
Ferraz. (Foto: Carolina Paes/G1)
Na semana em que a fraude foi descoberta, o secretário municipal de Segurança, Carlos César Alves, disse que os médicos do Samu tinham que repassar o valor ganho pelos plantões não trabalhados a Jorge Cury.  A vantagem dos profissionais seria a flexibilização da agenda para poder trabalhar em outros locais. “Cada médico que participava do esquema pagava R$ 1,2 mil por turno de 24 horas aos fins de semana para o Jorge Cury”. Alves ainda afirmou que o pagamento era feito por transferência bancária.
Desde que o caso começou a ser investigado, o médico Jorge Cury se manifestou apenas no dia em que um vídeo foi gravado mostrando a médica Thauane usando dedos de silicone. Ele negou envolvimento nas irregularidades. “Isso é um absurdo! Sou funcionário da prefeitura há 25 anos. Eu nunca soube disso. Passo no Samu todo domingo e nunca faltava funcionário. Hoje que não fui aconteceu isso.”
O Ministério Público ainda informou nesta terça que Aline Cury, filha do ex-coordenador e uma das médicas afastadas do Samu, deve ser ouvida na segunda-feira (1º), às 9h30.

Dedos de silicone seriam usados por médicos e enfermeiro para fraudar ponto eletrônico. (Foto: Gladys Peixoto/G1)Dedos de silicone eram usados para fraudar controle
de presença. (Foto: Gladys Peixoto/G1)
Investigação
No dia 15 de março, Cury foi intimado a depor no Ministério Público pela primeira vez, quando Thaune também foi ouvida. O médico alegou estar internado e não compareceu. Neste mesmo dia, a médica confirmou ao MP o que já havia dito à polícia. Contou que era forçada a participar do esquema com os dedos de silicone.
Nesta terça-feira (26), a médica prestou depoimento à Câmara Municipal, que abriu uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) para investigar o caso.
Segundo o presidente da CEI, Roberto Antunes de Souza (PMDB), Thauane disse em seu depoimento que o esquema funcionava desde fevereiro de 2012 e que seis médicos participavam da fraude. Ele disse ainda que a médica afirmou que foi Jorge Cury quem providenciou os dedos de silicone e que os moldes foram feitos dentro do Samu. A médica justificou que participava do esquema para não perder o emprego, disse o vereador.
Além do Ministério Público e da Câmara de Ferraz de Vasconcelos, a Polícia Civil também apura o caso. O delegado de Ferraz de Vasconcelos Wagner Lombisani começou a ouvir alguns funcionários do Samu. O Ministério da Saúde também faz auditoria no serviço.
A Prefeitura de Mogi das Cruzes informou que o médico Jorge Cury era concursado para trabalhar na rede municipal, mas foi exonerado. A demissão ocorreu em julho de 2012 depois que a administração municipal descobriu que o profissional acumulava cargos, já que ele trabalhava em outras três cidades.
Afastados
Na quarta-feira (20), o prefeito de Ferraz de Vasconcelos determinou o afastamento de mais dois médicos do Samu: Caio José Losito Mantovani e Ronnie Muniz de Oliveira. A identidade deles foi divulgada na terça-feira (19) após perícia feita no cartão de ponto e nos dedos de silicone, localizados com a médica Thauane Nunes Ferreira no dia 10 de março.
A determinação partiu do prefeito Acir Filló, por meio de uma portaria. Segundo ele, os dois serão investigados por meio de uma sindicância aberta pela adminstração municipal. Caso a fraude seja comprovada, os médicos envolvidos poderão ser exonerados.
Além dos médicos que foram afastados,  prefeitura já tinha impedido que outros cinco socorristas trabalhassem: a médica Thauane Ferreira dos Santos, que foi flagrada com usando os dedos de silicone para marcar a presença dos colegas, o coordenador do Samu, Jorge Cury e os médicos Rodrigo Gil de Castro Jorge, Felipe de Moraes e Aline Cury.
Outro lado
A reportagem do G1 tentou entrar em contato com os médicos Rodrigo Gil de Castro Jorge, Felipe de Moraes, Aline Cury e Thauane Nunes Ferreira, mas não conseguiu. Caio José Losito Mantovani e Ronnie Munis de Oliveira também não foram localizados.
Em nota à produção do Fantástico, enviada no domingo (17), o advogado de Felipe de Moraes disse que o médico "não participou de nenhum esquema de fraude e que nunca recebeu dinheiro sem que tivesse trabalhado nos plantões."
Entenda o caso
Em 10 de março, a Guarda Municipal gravou imagens do momento em que a médica Thauane fraudava o sistema. Com a médica, foram apreendidos seis dedos de silicone e comprovantes impressos pelo equipamento que controla o horário dos funcionários. Ela chegou a ser detida por falsificação de documento público, mas foi solta porque a Justiça concedeu um habeas corpus. Em depoimento ao Ministério Público, Thauane contou como era o esquema e apontou que ele seria chefiado pelo então coordenador do Samu, Jorge Cury.

Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››

Procuradoria denuncia ex-governador e mais 11 por desvio de R$ 14 mi do Dnit


O Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul apresentou denúncia à Justiça contra doze pessoas acusadas de desviar R$ 14 milhões em recursos públicos do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) entre 2001 e 2006.

Entre os denunciados está Marcelo Miranda, ex-governador do Estado e ex-superintendente regional do Dnit. Segundo a Procuradoria, o esquema era composto por empresários, funcionários de empreiteiras e servidores do Dnit.

Os recursos foram desviados de obras em duas estradas federais, a BR-163 e BR-267, em trechos dentro de Mato Grosso do Sul, segundo a denúncia.

A partir de uma denúncia anônima feita em 2006, a Polícia Federal instaurou o inquérito policial para apurar o caso. A denúncia tratava de uma suposta associação entre Carlos Milhorim, ex-chefe do Serviço de Engenharia na Superintendência Regional do Dnit no Estado, e empresas responsáveis pela medição de obras e serviços.

Uma das irregularidades encontradas foi a aplicação de asfalto em camadas menores do que previa o contrato. Com a fraude, a vida útil do pavimento é reduzida.

Entre os crimes denunciados estão formação de quadrilha, corrupção passiva, falsificação de documento particular e falsidade ideológica.

Procurado pela reportagem, Marcelo Miranda não concedeu entrevista até a publicação desta matéria. Os outros envolvidos na denúncia também não foram localizados.

Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››

Ex-lutador do UFC reclama do reparo do “Lata Velha” de Luciano Huck e diz que carro não anda


O ano de 2009 foi inesquecível para o campineiro Wagner Prado, então com 22 anos. Era um lutador que sofria para conseguir iniciar a carreira no MMA com falta de patrocínios e não via quem apostasse em seu potencial. Tinha apenas duas lutas.

Eis que tudo aconteceu repentinamente por apenas tentar reparar um carro em um programa de TV. O interiorano se inscreveu no quadro Lata Velha, do programa Caldeirão do Huck, para pedir uma reforma em seu Maverick.  Para isso, até dançou vestido de drag queen em uma das tarefas. Mas agora, seu carro já não está mais o mesmo. Na verdade, pelo o que o lutador contou, ele nunca andou como o imaginado.

Ganhou do programa não só o carro remodelado, mas também uma oportunidade no mundo das lutas. Luciano Huck virou seu padrinho ao tentar emplacá-lo, com êxito, na academia Team Nogueira, dos irmãos Rodrigo Minotauro e Rogério Minotouro.  No mesmo programa em ganhou carro novo, viu Minotauro entrar no palco para fazer o convite oficial para treinar em conjunto.

Ambos acolheram Wagner, que passou então a ter a palavra “Caldeirão” no nome. A partir daí, deslanchou. Teve uma sequência de oito vitórias em eventos nacionais até ser contratado pelo UFC. Passou a ser grato a Huck.

“Tenho ele como meu padrinho e ele me tem como afilhado. Ele me abriu as portas. Eu até brinco que o Luciano economizou uns cinco anos da minha vida com alavancada que ele me deu”, falou Caldeirão ao UOL Esporte.

O especialista em muay thai fez três lutas no Ultimate, com duas derrotas e uma sem resultado após o combate ser interrompido por um golpe ilegal de seu oponente, com uma dedada no olho.

Enquanto se prepara para novas oportunidades em outras organizações, Caldeirão faz um pedido para o padrinho e a organização do programa: afirmou que o Maverick não tem funcionado quando tenta conduzí-lo e deseja um reparo.

“Cara, o Maverick é um caso assim, como eu posso falar…não ficou do jeito que todo mundo esperava. Tudo deu certo na minha vida depois do Lata Velha, só o carro que não. Ele ficou lindo, como todo mundo viu nos programas e nas fotos, mas andando não ficou daquele jeito não. Pra andar não está legal. Vou até mandar um Twitter pra ele [Luciano Huck] falando”, disse Wagner.

Assim que recebeu o carro no programa, emocionado, Caldeirão viu uma das pessoas responsáveis pela reforma dizer alguma das atrações do novo Maverick. “Wagnão, demos uma caprichada, uma retificada. Motor zero km. Bateria de gel, filtro de ar esportivo. Tudo completaço. Mais 200 mil km pra você andar sossegado aí”, ouviu o lutador.

A realidade não tem sido essa. Wagner tem dificuldade para conduzir o automóvel e rodou pouco com ele. Diz que quando tira da garagem, tem que pedir auxílio para conseguir levá-lo de volta para casa.

“O carro não andou uns 50 km, mas está bom , não vou reclamar da vida não. O motor e a suspensão dele estão ruim, passa num caroço de azeitona e parece que vai cair. Todas as vezes que eu andei com ele, teve que voltar de guincho”, disse o bem humorado Caldeirão.

O lutador de Campinas disse que tentou entrar em contato com  o programa, mas não conseguiu, para que fosse feita uma reforma no carro. “Eu queria tentar uma reforma. Liguei para a produção pro Luciano e pro pessoal do Lata Velha me ajudar, não consegui êxito e contato de ninguém. Talvez isso agora vá ajudar. Seria bom a reforma do Maverick. Imagina só ele lindão do lado de fora com um motorzão?”, falou.

O UOL Esporte procurou a Central Globo de Comunicação e questionou o pedido do atleta. “Wagner Prado de fato participou do quadro Lata Velha no ano de 2009, inclusive retornando posteriormente para uma nova participação, sendo em todas as oportunidades atendido pela produção do ‘Caldeirão do Huck’”, foi a resposta dada pela assessoria de imprensa.

Wagner não foi o único lutador que questionou o programa de Huck por serviços incompletos. Em novembro do ano passado, os irmãos Falcão disseram que o pai ficou com bronca por causa de casa dada pelo programa. Huck chamou os lutadores para esclarecer o ocorrido.


Carreira

Caldeirão chegou cheio de expectativas ao UFC, maior evento do mundo, pelo seu bom boxe e muay thai e pelo aprimoramento do jogo de chão nos treinamentos na Team Nogueira, que tem o jiu-jitsu como uma das especialidades.

Confiante pelo alto, Caldeirão fazia uma boa luta contra Phil Davis, oitavo colocado do ranking dos meio-pesados até sofrer com uma dedada no olho e o combate ser interrompido. Depois, em novo embate, sofreu ao ir para o chão e acabou finalizado.

O mesmo ocorreu em seu duelo seguinte pela organização, contra Ildemar Marajó. Também sofreu no chão e perdeu por finalização. Isso fez com que semanas depois fosse anunciada sua demissão. Mas isso não é motivo para desânimo.


“Sou um cara realista. A vida é assim, se você não tem um desempenho bom e faltam resultados… e não sairia diferente do UFC, maior evento do mundo.  Já entrei com adversário de nível elevado, top 10, perigoso e colocaram ele logo de cara. Acho que esperavam muito de mim. Mas a partir do momento que assina o contrato, tem risco. Estava tranquilo e me preparei psicologicamente. A notícia não me pegou de surpresa”, falou.

Caldeirão diz que nos treinos tinha melhor desempenho no chão, e que o fato de ter ficado nervoso pode ter atrapalhado. “Eu acho que quando estou calmo, sem pressão na luta, eu consigo me sair muito melhor [no chão]. Lá na Team Nogueira dificilmente a galera me finalizava ,a não ser o Minotouro e o Minotauro, que têm mais experiência. Me saio muito bem com meu jiu-jitsu, mas acho que com competição e nervosismo acabo me travando.”

Ele continua na academia dos irmãos Nogueira e estuda propostas de outras organizações para voltar a lutar.

Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››

Frasco com vírus venezuelano some de laboratório nos EUA


Laboratório Nacional Galveston, de onde frasco foi perdido (Foto: Divulgação/Universidade do Texas)Laboratório Nacional Galveston, de onde frasco foi
perdido (Foto: Divulgação/Universidade do Texas)
Um pequeno frasco contendo um vírus de origem venezuelana chamado guanarito, causador de um tipo de febre hemorrágica, desapareceu de um centro de pesquisa em Galveston, nos Estados Unidos, informou a agência de notícias Associated Press.
O sumiço do frasco, segundo pesquisadores, não é motivo para alarme ou ameaça às pessoas. O Centro Médico da Universidade do Texas informou, no sábado (23), que não houve falha de segurança no Laboratório Nacional de Galveston, que abrigava o recipiente.
O laboratório, de propriedade da universidade, custou US$ 174 milhões e tem um dos mais rígidos sistemas de segurança para estudos com vírus dos EUA, de acordo com o site da emissora americana "ABC News".
Especialistas ouvidos pela Associated Press suspeitam que o frasco contendo o vírus guanarito tenha sido destruído durante a limpeza do laboratório.
O contágio em seres humanos ocorre apenas quando há contato com tipos específicos de roedores da Venezuela, disseram cientistas à Associated Press. O vírus normalmente não sobrevive em ratos comuns nem é transmitido entre pessoas, ainda segundo médicos da Universidade do Texas.
O desaparecimento do frasco é uma ameaça menor do que perder um recipiente com antraz, disse o presidente da Fundação Nacional para Doenças Infecciosas, William Schaffner, à "ABC News".
O  Centro de Prevenção e Controle de Doenças dos EUA (CDC, na sigla em inglês) já foi notificiado após o frasco haver desaparecido, segundo a Associated Press.

Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››