RÁDIO CIDADE AO VIVO

terça-feira, julho 02, 2013

URGENTE: Homícidio agora pocou em Riacho da Cruz-RN



A redação do Cidade News acaba de receber a informação de um homídio acontecido agora pouco em Riacho da Cruz-RN.

Em instantes mais informações
Leia Mais ››

71% dos empresários itauense aprovam mudança da feira livre em Itaú-RN.


Nos últimos dias surgiu no município de Itaú-RN uma suposta “notícia” de que o Prefeito Municipal, Ciro Bezerra (DEM) teria vetado o projeto de Lei nº 003/2013 que mudaria a feira livre do domingo para os sábados devido à maioria dos comerciantes estarem contra a medida.

Mas, a referida notícia não condiz com a realidade dos fatos, visto que a população havia escolhido, com maioria de votos, através do Blog Cidade News Itaú a aprovação da lei (relembre aqui).

Com isso os vereadores não perderam tempo em lançar na pauta da seção da Câmara Municipal, ocorrida no dia 21 de junho de 2013, aprovado por unanimidade (relembre aqui), sendo encaminhado ao Poder Executivo para aprovação da Lei.

O que parecia resolvido, surgiu um fato novo, onde alguns empresários ficaram insatisfeitos com a aprovação dos vereadores, deixando o Prefeito Ciro Bezerra com um abacaxi para descascar, entre a cruz e a espada.

Com o lema de um governo participativo, Ciro se vê agora encurralado na hora de sua decisão. De um lado o povo que clama pela mudança, de outro uma parcela de proprietários que preferem permanecer com o sistema.

Algo curioso é que todos os vereadores foram a favor do projeto, e que após esses novos fatos, surgiram incertezas. Em contato com alguns deles, a reportagem do Cidade News foi informada que os mesmos seguiram a maioria, sugerindo agora uma pesquisa junto aos próprios empresários para saber sua opinião e caso a maioria fosse a favor, eles, os vereadores, derrubariam o veto do prefeito e aprovavam a referida Lei.

Com isso a reportagem do Cidade News se antecipou e resolveu saber a opinião de cada um a respeito do assunto.

Mudança.
O novo assusta!

Palavras ou frases como essas são ouvidas frequentemente no nosso dia-a-dia, principalmente quando o assunto envolve várias pessoas com pensamentos totalmente opostos.

Assim é o ser humano, cada um com seu jeito de agir, de pensar, de analisar e de escolher, onde uma maioria é quem decide os rumos de uma cidade, estado ou país.

Fatos curiosos e inusitados também foram detectados pela reportagem do Cidade News ao cair em campo para pesquisar sobre o Projeto de Lei da Feira Livre 003/2013, de autoria de todos os vereadores do município de Itaú-RN.

Logo no início da pesquisa, no domingo (30/06) nos deparamos com um casal proprietário de um estabelecimento comercial onde um era contra, e o outro a favor, onde foi computado o voto contra o projeto, devido o estabelecimento se destacar com características da proprietária, porém não foi o único caso, outro casal divergiu na opinião, só que neste caso, os dois votos foram computados, pois cada um deles possuía seu próprio comércio.

Opiniões contra e a favor é comum em qualquer tipo de pesquisa, não importa, sempre encontraremos seus pós e contras, e neste caso da feira livre não podia ser diferente. Comerciários do município justificavam sua opção, seja ela a favor, ou seja ela contra.

O caso contra, foi destacado na matéria anterior da empresária Lucicleide Regis (ver aqui), já a defesa dos que votavam a favor, justificavam dizendo que “é só questão de adaptação, essa mudança só é boa para o comerciante e para o funcionário, porque ele vai ter um dia que pode programar uma viagem para desparecer, e isso ajuda a melhorar no atendimento a clientela” disse uma empresária.

Vamos ao resultado da pesquisa:

A Redação do Cidade News entrevistou 82 comerciantes do município de Itaú, que seria afetados diretamente com a homologação da lei, deixando de lado as lanchonetes, bares, restaurantes e postos de combustíveis que não são obrigados a seguir a Lei.

29% dos entrevistados, equivalente a 24 votos, foram contra a aprovação do projeto de Lei.

Já 71% dos entrevistados, equivalente a 58 votos foram a favor da homologação da Lei.

Ficando claro que tanto a maioria da população, quanto a maioria dos comerciantes aprovam o Projeto de Lei impetrado pelos vereadores do município.

Cabe agora ao Prefeito Ciro Bezerra, vetar ou homologar por definitivo o referido projeto. Agora só nos resta espera para saber se “vontade do povo” prevalecerá.

Confira o resultado no gráfico:

Clique na imagem para ampliar



Arlindo Maia da Redação do Cidade News
Leia Mais ››

Lucicleide Régis: “Eu quero é ser livre... eu vou morrer de um infarto”


Essa foi uma das frases que a Proprietária do Mercadinho Regis, Lucicleide mencionou a reportagem do cidade em declarações a entrevista realizada pela reportagem, ao perguntarmos se a mesma era contra ou a favor da mudança da feira livre para os dias de sábado.

Sem querer esconder sua insatisfação com Projeto de Lei impetrado pelo poder Legislativo Municipal a empresária não hesitou em demonstrar sua insatisfação.

“Eu sou contra por isso: nós sabemos que quem abastece essa cidade aqui naquelas coisinhas ali de domingo é o pessoal de Apodi-RN, tudo bem! O pessoal de Apodi-RN se eles não vem, mas eles vão mandar alguém com aquelas coisas, tudo bem! Mais vai afracar. Que nós temos o exemplo de Severiano Melo, que acabou, Severiano Melo-RN acabou com essa feira passando para os sábados”. Exemplificou Lucleide dizendo que o mesmo aconteceria com o município de Itaú com a aprovação da Lei.

Lucicleide disse ainda ser importante que haja essa variedade no que diz respeito as feiras acontecerem em dias diferentes entre as cidades, para que os feirantes possam se articular e levar seus produtos a cada cidade, dizendo que o descanso faz quem que e quem pode descansar.

“Outra coisa. A feira daqui, sempre a daqui e a de Rodolfo Fernandes foi aos domingos. Um dia muito bom de se ter a feira nos domingos. Porque nós já temos Pau dos ferros, já temos Apodi, que tudo é nos sábados. A de Umarizal-RN que é cidade vizinha, também na segunda-feira, não coincide com a da gente, quer dizer, é legal, eu acho legal a nossa feira ser num dia de domingo. Tudo bem é o dia de descanso, mas faz descanso quem quer, quem pode e quer”. Enfatizou ela.

A insatisfação da proprietária com a Lei da mudança é também pelo fato de mesma sentir-se obrigada a fazer algo contra sua vontade, mesmo sabendo está de posse do que lhe pertence. Justificando que há 23 anos é comerciante e sempre trabalhou nos domingos e agora será obrigada a fechar as portas sob pena de multa.

“Meu comercio, por quê? Eu sei que a lei existe, mas porque eu ser obrigada a fechar meu comércio num dia de domingo? Porque eu ser obrigada? Chego já no dia de domingo, eu não tenho pra onde ir, 23 anos que eu abro essas portas no dia de domingo, porque hoje, se eu abrir minha porta no dia de domingo vou pagar uma multa? Porque eu tô abrindo uma propriedade minha, tô querendo trabalhar?”

Lucicleide revelou a reportagem do Cidade News que procurou um advogado para ir até o promotor em Apodi-RN para buscar o direito de abrir as portas do seu estabelecimento quando bem entender.

“Eu ia para Apodi falar com o promotor, com dois funcionários que trabalham comigo no domingo, eu ia pra lá falar com ele... eu falei com o advogado, contratei o advogado e ele mim disse que eu tenho todo direito de ir. Porque isso aqui é uma propriedade minha, se eu quiser abrir nos dias de domingo eu abro, e se eu quiser fechar eu fecho, eu não quero é ser obrigada a fechar ou abrir, eu não quero ser obrigada, eu quero ser uma pessoa livre, para abrir no dia que eu quiser e fechar no dia que eu quiser” afirmou ela.

A empresária dizia que o prefeito tinha ganho um ponto com ela, mesmo não sendo seu prefeito, pois o não elegeu, por ter vetado o projeto dos vereadores, foi quando foi interrompida pelo apresentador/jornalista, Arlindo Maia, quando disse que o Prefeito ainda não tinha dado nenhum parecer a respeito do projeto, apenas rumores corriam pela cidade de que ele tinha feito isso, porém não seria verdade.
“O Prefeito não é meu..., não é meu porque eu não elegi! mais ele não foi a favor, ganhou um ponto meu”, disse.

Finalizou suas palavras dizendo-se contra o projeto e que abriria de acordo com sua vontade, imaginando depois de 23 anos de luta, ficar sem trabalhar aos domingos. Para ela, não abrir as portas do seu comércio por um dia, daria um infarto de tanta raiva.

“O meu voto é contra mil, duas mil, três mil vezes, porque eu sou proprietária disso aqui e no dia que eu quiser fechar, eu fecho, e no dia que eu quiser abrir eu abro. Porque faz 23 anos que vivo nessa vida aqui, imagine chegar um dia de domingo e eu não poder abrir meu comércio, eu vou dar um infarto, eu vou morrer de raiva, porque eu estou aqui porque eu gosto de trabalhar... eu gosto de trabalhar” finalizou Lucicleide.


Arlindo Maia da Redação do Cidade News
Leia Mais ››

Câmara dos Deputados aprova arquivamento da 'cura gay'

A Câmara dos Deputados aprovou o requerimento do deputado federal e pastor evangélico João Campos (PSDB-GO) para retirar da pauta a proposta que ficou conhecida como "cura gay", de autoria do próprio parlamentar. Com isso, o projeto foi arquivado e só poderá voltar a ser votado em 2014, segundo explicou o presidente da Casa, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN).

Campos apresentou o requerimento após o PSDB se posicionar contra a medida depois da onda de manifestações que se espalhou pelo país, algumas delas contra a cura gay --o partido chegou a dizer, em nota, que o projeto era um "retrocesso".

Polêmico, o Projeto de Decreto Legislativo (PDC 234/11) recebeu o apelido de cura gay por alterar resoluções do Conselho Federal de Psicologia que proíbem que profissionais participem de terapias para alterar a identidade sexual do paciente ou que tratem a homossexualidade como doença.

No requerimento, o deputado disse que continua concordando com o teor da proposta, mas decidiu desistir dela por orientação de seu partido e porque a medida estaria sendo usada para desviar o foco das recentes manifestações.

"Campos não tem que ser parabenizado. Se as ruas não estivessem se manifestado, essa Casa teria aprovado esse projeto, assim como foi aprovada na Comissão de Direitos Humanos", afirmou o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ).

O parlamentar afirmou que o seu partido queria que a proposta fosse votada e rejeitada pelo plenário, e não retirada de pauta. "Gostaríamos que hoje esta Casa derrotasse esse projeto e o jogasse no lixo da história", disse no plenário.

A proposta foi aprovada no último dia 18 na CDH (Comissão de Direitos Humanos da Casa), presidida pelo deputado federal e pastor Marco Feliciano (PSC-SP). Segundo a assessoria jurídica da Câmara, como o projeto teve parecer favorável na comissão, a retirada da pauta teria que ser votada no plenário da Câmara.

Desde que entrou na pauta da comissão, a medida foi alvo de protestos da comunidade LGBT e de ativistas que a acusam de ser homofóbica.

Feliciano não desiste
Após a desistência do deputado tucano, Feliciano prometeu, no Twitter, retomar a proposta na próxima legislatura (2015-2018), quando, segundo ele, a bancada evangélica será ainda mais numerosa.

"O PDC não foi arquivado, mas retirado, e pode voltar. E voltará na próxima legislatura quando teremos um número maior de deputados evangélicos", tuitou Feliciano. "Essa perseguição de parte da mídia e dos ativistas nos fortaleceu, e nosso povo acordou. Nos aguardem em 2015! Viremos com força dobrada", acrescentou o pastor.

Na Câmara, Feliciano afirmou que a cura gay está sendo utilizada para tirar o foco das causas dos protestos das últimas semanas. "Esse projeto neste momento está sendo usado para desfocar os protestos verdadeiros da rua, e isso não pode acontecer nunca", disse.

E voltou a dizer que a proposta será aprovada na próxima legislatura. "Sempre soubemos que esse projeto não ia passar porque temos poucas pessoas aqui dentro que lutam dentro desse mote. Na próxima legislatura, a bancada evangélica vai dobrar o seu número e a gente voltar com força."

Durante a Marcha para Jesus, realizada no último sábado (29) em São Paulo, Feliciano já havia afirmado que o projeto da cura gay estava "morto".

VEJA A JUSTIFICATIVA DO AUTOR DA CURA GAY PARA RETIRAR A PROPOSTA


Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››

Ministério da Saúde confirma que vacina HPV será incorporada ao SUS


O Ministério da Saúde anunciou nesta segunda-feira (1) a incorporação ao Sistema Único de Saúde (SUS) da vacina contra o papilomavírus (HPV), usada na prevenção de câncer de colo do útero. Já em 2014, meninas de 10 e 11 anos receberão as três doses necessárias para a imunização, mobilizando investimentos federais de R$ 360,7 milhões na aquisição de 12 milhões de doses.

É a primeira vez que a população terá acesso gratuito a uma vacina que protege contra câncer. A meta é vacinar 80% do público-alvo, que atualmente soma 3,3 milhões de pessoas. O vírus HPV é responsável por 95% dos casos de câncer de colo do útero, segundo que mais atinge mulheres, atrás apenas do mamário.

”Está é mais uma medida para enfrentarmos o problema do câncer de colo do útero, um problema que ainda é grande no país, em especial na região norte. Vamos preparar muito bem este público (meninas de 10 e 11 anos), suas famílias, e reforçar a estratégia envolvendo as escolas e os professores para provocar uma grande sensibilização”, afirmou o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. Ele destacou ainda que a vacinação reduz a circulação do vírus no país.

A vacina que estará disponível na rede pública é a quadrivalente, usada na prevenção contra quatro tipos de HPV (6, 11, 16 e 18). Dois deles (16 e 18) respondem por 70% dos casos de câncer. No escopo do acordo entre Ministério da Saúde e os fabricantes da vacina – Butantan e Merck Sharp & Dohme (MSD), que atuarão em parceria tecnológica – está prevista a possibilidade de uso da versão nonavalente, que agregará outros cinco sorotipos à vacina.

A vacina para prevenção da doença tem eficácia comprovada para pessoas que ainda não iniciaram a vida sexual e, por isso, não tiveram nenhum contato com o vírus. A escolha do público-alvo levou em consideração evidências científicas, estudos sobre o comportamento sexual e a avaliação de especialistas que atuam no Comitê Técnico Assessor de Imunizações (CTAI) vinculado ao Ministério.

As três doses serão aplicadas, com autorização dos pais ou responsáveis das pré-adolescentes, de acordo com o seguinte esquema: após a aplicação da primeira dose, a segunda deverá ocorrer em dois meses e a terceira, em seis meses.

Para chegar com mais agilidade ao público-alvo e ampliar a adesão à proteção contra o HPV, a estratégia será mista: a imunização ocorrerá tanto nas unidades de saúde quanto nas escolas. Após o primeiro ano de imunização, a oferta deverá passar de 12 milhões de doses para 6 milhões de doses por ano, pois parte do público-alvo já estará imunizado.

A incorporação da vacina complementa as demais ações preventivas do câncer de colo do útero, como a realização do Papanicolau e o uso de camisinha em todas as relações sexuais. “É uma vacina para proteger para o futuro, mas que não elimina as medidas de saúde que já estão sendo tomadas pelas mulheres para se proteger do vírus”, reforçou o secretário de Vigilância em Saúde, Jarbas Barbosa.
PRODUÇÃO NACIONAL

A introdução da vacina no SUS foi possível por conta de acordo parceria para o desenvolvimento produtivo (PDP), com transferência de tecnologia entre o laboratório internacional Merck Sharp & Dohme (MSD) e o Instituto Butantan, que passará a fabricar o produto no Brasil. “A medida confirma o esforço do governo brasileiro em aliar inovação tecnológica às necessidades sociais. Estamos produzindo uma vacina, desenvolvendo tecnologia e gerando economia aos cofres públicos”, disse o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação do ministério, Carlos Gadelha.

O Ministério da Saúde pagará cerca de R$ 30 por dose, o menor preço já praticado no mercado – 8% abaixo do valor do Fundo Rotatório da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAs). A expectativa, em cinco anos, é de um valor 34% menor ao custo atual. Com isso, será possível economizar cerca de R$ 200 milhões (ou US$ 91 milhões) no período, com a queda do custo de US$ 543 milhões para US$ 452,5 milhões. Nesse período, o laboratório público passará a ter domínio de todas as etapas para a produção do insumo.

Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››

Garibaldi: “Manifestações abalaram a credibilidade de todos os governantes”

O ministro da Previdência, ex-governador Garibaldi Alves Filho (PMDB), afirmou que as manifestações das últimas duas semanas abalaram a credibilidade de todos os governantes, de forma geral. O ministro avaliou a queda na popularidade da presidente Dilma Rousseff (PT), que perdeu 21 pontos, segundo pesquisa Datafolha veiculada no final de semana passado, e dos governadores do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), e de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), que também amargaram queda drástica de aprovação popular. “Eu acho que isso abalou a credibilidade de todos os governantes, principalmente de quem é governo. Claro que foi em função do perfil de todos os políticos, de todos os partidos, mas, quem é governante, vai sentir mais de perto”, avaliou o ministro.

Quanto ao prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves (PDT), e à governadora do Rio Grande do Norte, Rosalba Ciarlini (DEM), que foram alvo de protestos em Natal e no Estado, Garibaldi preferiu não afirmar que houve desgaste. “Eu não vou me adiantar a instituto de pesquisa. Melhor aguardar o que a pesquisa vai dizer. Todo mundo sabe que os governantes foram atingidos, uns em maior intensidade do que outros. Por exemplo, o governador do Rio já foi mais atingido que o governador de São Paulo. Não vou dizer que há uma uniformidade. Melhor aguardar as pesquisa”, despista.

Instado a falar sobre o desempenho de Dilma na pesquisa, o ministro preferiu repetir o posicionamento de Dilma sobre o tema, afirmando que a pesquisa é o retrato do momento. “Para não me adiantar sobre uma coisa que a própria presidente negou-se a comentar em detalhes, e eu não quero ser mais realista que o rei, mas ela disse uma coisa que eu acho que foi muito sincera. Ela disse pesquisa se aceita e não se discute. Eu a tenho pelo valor de face. Ela diz, está dito, é o retrato do momento”.

MINISTERIAL

Garibaldi participou, nesta segunda-feira, de uma reunião da presidente Dilma Rousseff com 37 ministros do governo federal, para discutir o momento vivenciado pelo país. Numa reunião longa, de quatro horas e meia, a presidente Dilma pôde ouvir pelo menos metade dos 37 ministros presentes – entre eles Garibaldi. “A presidente terminou dizendo que cada um procurasse dar uma resposta, e procurasse ouvir o clamor das ruas”, relata o ministro. “Acho que acontecem, às vezes, muitos anúncios (de obras, sobretudo) que criam expectativas e que frustram a população de alguma maneira”, disse o ministro.

No contexto geral, os ministros Guido Mantega (Fazenda), Mirian Belchior (Planejamento) e Gleise Hoffman (Casa Civil) fizeram uma explanação num tom de que o governo estaria fazendo sua parte, tocando as obras necessárias ao País. “O ministro da Fazenda disse da expectativa de que a crise internacional não viesse agravar o quadro inflacionário. Mas alguns ministros pediram a retomada da reunião em outro tom. No sentido de que a reunião não era para uma simples prestação de contas, mas havia um clamor nas ruas”, relatou Garibaldi.

Isso foi dito pelos ministros Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral) e Paulo Bernardo (Comunicação), sobretudo depois da intervenção do vice-presidente Michel Temer. “Michel disse que a nossa democracia precisa deixar de ser liberal e social somente, e que o povo estava exigindo uma democracia que tinha muito a ver com a qualidade do serviço público que era prestado”.

Neste momento, Dilma interferiu para renovar o que já havia dito: que o povo estava satisfeito com o que estava vendo dentro de casa, o consumo aumentando, aquisição de bens duráveis pela nova classe média, mas quando o povo saía para a rua a situação se apresentava diferente, porque a questão urbana não tinha sido devidamente enfrentada, e a questão urbana dizia muito respeito a mobilidade urbana.

“E aí, fiz minha intervenção a respeito da qualidade do serviço público, de que na minha gestão na Previdência enfrentara situação de queda dos indicadores de atendimento e aquilo era muito delicado. Disse que se não tivesse revertido a situação, certamente que as manifestações estariam cobrando isso e que, se essa situação não tivesse melhorado, nós teríamos a Previdência sendo cobrada e exigida”, conta Garibaldi.

O ministro dos Transportes, Cesar Borges, fez uma cobrança que sensibilizou muito a Dilma e aos ministros, no sentido de que o governo anuncie menos e entregue mais obras. “Porque aquilo causava uma insatisfação muito grande. E o ministro Gilberto Carvalho veio na mesma linha, dizendo que é preciso aprofundar as análises de prestação do serviço e a entrega das obras porque, se não, o clamor continuaria”.

Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››

Deputada Fátima Bezerra é indicada ao Prêmio Congresso em Foco

Fátima Bezerra (PT) foi a deputada mais votada pelos jornalistas na pré-seleção da categoria especial “Destaque na Defesa da Educação”, do Prêmio Congresso em Foco. Fátima obteve 16 votos dos profissionais da imprensa que cobrem a atuação parlamentar no Congresso Federal.
De 09 de julho a 09 de setembro todos os parlamentares pré-selecionados pelos jornalistas serão submetidos à votação na internet nas duas categorias gerais (“Melhores Deputados” e “Melhores Senadores” do ano) e oito categorias especiais, dentre elas “Destaque na Defesa da Educação”, que a deputada concorre.
“É com o sentimento de muita alegria, mas sem qualquer vaidade que recebo essa indicação na categoria Defesa da Educação, do Prêmio Congresso em Foco. Essa indicação me enche de mais entusiasmo e determinação para continuar na luta em defesa da educação pública”, disse a deputada.
Além da deputada Fátima, os senadores Cristovam Buarque (PDT-DF) e Ana Amélia (PP-RS), e o deputado Ivan Valente (Psol-SP) também foram pré-selecionados.
A cerimônia de entrega do Prêmio será realizada em 26 de setembro de 2013, em Brasília.
O Prêmio Congresso em Foco é uma iniciativa do site CONGRESSO EM FOCO (www.congressoemfoco.com.br), apoiada por diversos parceiros, que tem como finalidade premiar os melhores parlamentares do Congresso Nacional e estimular a sociedade a acompanhar seus representantes de modo ativo e participar da vida política.

Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››

Falta 1 hora para o término da nossa Enquete



Estamos chegando a reta final, a enquete do blog encerra-se dentro de 1 (uma) hora agora vota Itaú...


Leia Mais ››

Acidente com vitima fatal na Br 304 no trevo de acesso a RN 117

Uma pessoa morre e outra fica gravemente ferida em acidente automobilístico na Avenida do contorno da BR 304, trevo de acesso a RN 117 em Mossoró, no inicio da tarde de terça feira 02 de Julho de 2013.

Um veiculo ainda não identificado que trafegava pela via, saindo de Mossoró, colidiu na lateral de uma motocicleta com dois ocupantes, que trafegava pela Br no sentido Natal.

Geraldo Antônio do Nascimento, de 57 anos de idade, condutor da motocicleta, sofreu ferimentos graves e foi socorrido para o Hospital Regional Tarcísio Maia. Maria do Socorro Ferreira, de 47 anos, esposa de Geraldo morreu no local. Populares ainda tentaram socorrer a mulher, colocando a mesma em cima da carroceria de um veiculo, mas desistiram quando perceberam que a mesma já estava morta.

A Policia Rodoviária Estadual, recebeu informações que o veiculo atropelador seria um carro tipo Gol de cor verde que não prestou socorro as vitimas e fugiu do local em direção a cidade de Governador Dix Sept Rosado.

Segundo informações de familiares, Geraldo estava em Mossoró fazendo tratamento de saúde e no inicio da tarde de hoje estava retornando para um Assentamento no município de Carnaubais, onde a família reside.

Patrulheiros Rodoviária Federal organizaram o transito no local para os procedimentos realizados pela equipe do Instituto Técnico e Cientifico de Policia, Itep. O corpo de Maria do Socorro foi removido para o instituto onde sera necropsiado.









Reprodução Cidade News Itaú via O Câmera
Leia Mais ››

CORPO DE UM HOMEM, É LOCALIZADO APÓS A BARRAGEM DE BAIXO NO BAIRRO BARROCAS EM MOSSORÓ.

O CIOSP Mossoró, foi informado populares na tarde de hoje (02/07/13), por volta das 15:00hs que um corpo estava as margens do rio Mossoró após a barragem de baixo, no bairro Barrocas. Uma viatura foi ao local e constatou o fato. A pessoa identificada até o momento como "João Rosa", teve morte natural que pode ter sido provocada pelo consumo de bebida, populares informaram que ele bebia bastante.



Reprodução Cidade News Itaú via Passando na Hora
Leia Mais ››

Policiais da Companhia de Turismo prendem foragido com arma

O foragido da Justiça Diego da Silva Maximiano, de 19 anos, foi presos, nesta terça-feira (2), por porte ilegal de arma. Ele foi flagrado por policiais da Companhia de Turismo da Polícia Militar com um revólver calibre 38, na rua Jordanez, em Brasília Teimosa.

O suspeito estava em uma motocicleta, acompanhado da namorada, uma adolescente de 16 anos. Ao avistar a viatura, Diego tentou passar a arma para ela, no entanto, os policiais conseguiram ver e decidiram fazer a abordagem.

Diego da Silva recebeu voz de prisão e foi conduzido para a Delegacia Especializada em Armas e Munições (DAME), onde foi autuado em flagrante. O suspeito disse ao Portal BO que tem bastantes inimigos e, por isso, precisava andar armado.

O jovem cumpria pena por assalto e tinha uma condenação. Atualmente, ele estava no regime semiaberto, mas havia deixado de frequentar a unidade prisional, passando a ser considerado foragido da Justiça. De acordo com o soldado Alexandro, Diego é suspeito de alguns assaltos na região onde foi preso.

Reprodução Cidade News Itaú via Portal BO
Leia Mais ››

Procon fecha loja de vestuário por prática abusiva em Natal

Uma operação conjunta dos Procons municipal e estadual fechou no fim da manhã desta terça-feira (2) a loja da C & A do shopping Midway Mall, na zona Leste de Natal. O coordenador geral do Procon do Rio Grande do Norte, Araken Farias, explica que o fechamento ocorreu às 12h após o órgão apurar a denúncia de uma consumidora de que a loja estaria etiquetando produtos com dois preços diferentes. No caso, um valor para quem paga com cartão C & A  e outro para quem escolhe outras formas de pagamento. O estabelecimento foi reaberto às 15h depois que os preços das etiquetas foram equiparados.

Ao G1, a empresa respondeu que os descontos oferecidos para clientes do cartão estão dentro da legalidade. "A C&A esclarece que a promoção de descontos para portadores do cartão C&A segue rigorosamente a legislação e que a adesão do cliente é voluntária. A empresa está à disposição do PROCON para apresentar os procedimentos utilizados para a precificação das peças de suas lojas”, diz a nota enviada pela assessoria de comunicação da empresa.

De acordo com Araken Farias, o uso de dois preços na etiqueta se caracteriza como prática abusiva. "Uma peça de R$ 49 em promoção saíra por R$ 27,90 para usuários do cartão da loja e por R$ 32,90 para quem pagasse à vista ou com qualquer outro cartão de crédito. Os preços não podem ser diferenciados. As pessoas são induzidas a comprar o cartão para pagar menos", afirma.

A assessoria de comunicação da C&A esclarece que o cartão da empresa é adquirido dentro das lojas e que a adesão é opcional para os clientes.

O coordenador geral do Procon/RN informou que a consumidora responsável pela denúncia já foi ressarcida pela loja. "A consumidora tinha pago uma diferença de R$ 15 e recebeu o ressarcimento em dobro", informa Araken Farias. O Procon/RN promete voltar à loja do Midway Mall e aos outros estabelecimentos da empresa em Natal para saber se a correção dos preços será mantida. "Vamos às lojas novamente nesta quarta-feira (3)", conclui.

Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››

Deputado tucano desiste de 'cura gay'; Feliciano ameaça retomar proposta em 2015

Deputado federal João Campos (PSDB-GO), autor da proposta da "cura gay"
O deputado federal e pastor evangélico João Campos (PSDB-GO), autor do projeto que ficou conhecido como "cura gay", anunciou nesta terça-feira (2) que desistiu da proposta.

A decisão foi tomada após o PSDB se posicionar contra a medida depois da onda de manifestações que se espalhou pelo país, algumas delas contra a cura gay --o partido chegou a dizer, em nota, que o projeto era um "retrocesso". O deputado decidiu retirar a proposta de pauta após reunião de lideranças partidárias da Casa realizada hoje (veja no final do texto a justificativa do parlamentar).

Polêmico, o Projeto de Decreto Legislativo (PDC 234/11) recebeu o apelido de cura gay por alterar resoluções do Conselho Federal de Psicologia que proíbem que profissionais participem de terapias para alterar a identidade sexual do paciente ou que tratem a homossexualidade como doença.

A proposta foi aprovada na CDH (Comissão de Direitos Humanos da Casa), presidida pelo deputado federal e pastor Marco Feliciano (PSC-SP), no último dia 18. Segundo a assessoria jurídica da Câmara, como o projeto teve parecer favorável na comissão, a retirada da pauta vai ter que ser votada no plenário da Câmara. A data da votação em plenário depende da apresentação do requerimento de retirada, o que deve ocorrer ainda hoje.

Desde que entrou na pauta da comissão, a medida foi alvo de protestos da comunidade LGBT e de ativistas que a acusam de ser homofóbica.

Feliciano não desiste
Após a desistência do deputado tucano, Feliciano prometeu, no Twitter, retomar a proposta na próxima legislatura (2015-2018), quando, segundo ele, a bancada evangélica será ainda mais numerosa.

"O PDC não foi arquivado, mas retirado, e pode voltar. E voltará na próxima legislatura quando teremos um número maior de deputados evangélicos", tuitou Feliciano. "Essa perseguição de parte da mídia e dos ativistas nos fortaleceu, e nosso povo acordou. Nos aguardem em 2015! Viremos com força dobrada", acrescentou o pastor.

Na Câmara, Feliciano afirmou que a cura gay está sendo utilizada para tirar o foco das causas dos protestos das últimas semanas. "Esse projeto neste momento está sendo usado para desfocar os protestos verdadeiros da rua, e isso não pode acontecer nunca", disse.

E voltou a dizer que a proposta será aprovada na próxima legislatura. "Sempre soubemos que esse projeto não ia passar porque temos poucas pessoas aqui dentro que lutam dentro desse mote. Na próxima legislatura, a bancada evangélica vai dobrar o seu número e a gente voltar com força."

Durante a Marcha para Jesus, realizada no último sábado (29) em São Paulo, Feliciano já havia afirmado que o projeto da cura gay estava "morto".

VEJA A JUSTIFICATIVA DO AUTOR DA CURA GAY PARA RETIRAR A PROPOSTA


Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››

Confrontos em protestos de rua matam 7 na capital do Egito


Sete pessoas morreram nesta terça-feira (2) em confrontos entre partidários e opositores do presidente do Egito, Mohamed Morsi, no Cairo, segundo fontes médicas.
Os choque ocorreram no distrito de Giza e também deixaram dezenas de feridos, alguns em estado grave, em meio à crise política que paralisa o país e que levou multidões às ruas das principais cidades.
Tumultos também eclodiram em outros bairros da periferia do Cairo e na província de Beheira.
O presidente Morsi, islamita primeiro líder eleito livremente no Egito após a queda do ditador Hosni Mubarak, tem sido alvo de protestos, com dezenas de milhares de pessoas pressionando por sua saída.

Na segunda-feira, o exército ter dado um prazo de 48 horas para que o Morsi e a oposição liberal cheguem a um consenso político.
Os militares negaram que tenham a intenção de dar um golpe de Estado.
O presidente, que rejeitou o ultimato, se reuniu nesta terça com o chefe do Exército, o general Abdel Fattah al-Sissi.
Nenhum detalhe a respeito desta reunião foi divulgado por ora.
A oposição egípcia anunciou a designação de Mohammed El Baradei, ex-diretor da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), como seu representante, visando a uma transição política.
O ultimato foi elogiado pela oposição, que acusa o presidente de querer instaurar um regime autoritário em favor da Irmandade Muçulmana, movimento islamita ao qual pertence.
Já os partidários do chefe de Estado insistem na legitimidade do primeiro presidente eleito democraticamente no país.
O clima era de tensão desde o início do dia. O manifestante Mostafa Gharib manifestou à France Presse o seu temor de que os islamitas "lutem até o fim antes de cair".
Para Mona Elghazawy, a batalha agora é contra os islâmicos.
Um grande esquema de segurança da polícia foi montado no Cairo, enquanto helicópteros do Exército sobrevoavam a cidade.
Um dos líderes da Irmandade Muçulmana chegou a pedir aos egípcios que estejam dispostos a sacrificar suas vidas e que evitem um golpe de Estado.
"Buscar o martírio para evitar este golpe é o que podemos oferecer aos mártires anteriores da Revolução", afirmou Mohamed al-Beltagui, em referência aos quase 800 mortos durante a rebelião de 2011, que levou à queda de Mubarak.
Dezenas de milhares de partidários do presidente se reuniram no bairro de Nasr City e em frente à Universidade do Cairo, na outra margem do Nilo.
"A posição do Exército é preocupante e perturbadora. Se eles tomarem o país, vamos fazer uma revolução islâmica", advertiu Mohamed Abdel Salem, um manifestante pró-Morsi.
"Acorde Sissi, Mursi é o meu presidente", cantava a multidão ao ministro da Defesa.
Alia Youssef, engenheira de 24 anos, disse estar "pronta para morrer em defesa da legitimidade (do presidente) e para dizer 'não' a um golpe militar".
Em um comunicado, a Presidência afirmou que o "Egito não permitirá um recuo, sejam quais forem as circunstâncias".
Esta resposta obrigou o Exército a desmentir qualquer plano de golpe de Estado e a esclarecer que o ultimato, lido por seu chefe, o general Abdel Fatah al-Sissi, pretendia "levar todos os setores políticos a encontrar uma saída rápida para a crise atual".

Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››

Mulher é presa após jogar cerveja no governador da Bahia; assista

Folha de S.Paulo - Cotidiano - Mulher é presa após jogar cerveja no governador da Bahia; assista - 02/07/2013 --> -->

Uma mulher foi presa após arremessar um copo com cerveja em direção ao governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), nesta terça-feira (2), em Salvador. A confusão aconteceu durante as comemorações pelos 190 anos da Independência do Estado nordestino, considerada a data mais importante para os baianos.

A produtora cultural Michele Perrone, 34, disse que tentou acertar Wagner como forma de protesto à gestão do governador. Ela estava na porta de um bar quando a comitiva oficial passou em meio às mais de 60 mil pessoas que tomaram as ruas do centro da cidade, desde as primeiras horas manhã.

O copo, que era de plástico, acabou atingindo um dos membros da Casa Militar do governo --Wagner se abaixou. Em seguida, Michele recebeu voz de prisão de colegas do guarda e também de policiais militares, que a cercaram. A Folha flagrou o momento:

Veja vídeo

Houve cerca de 15 minutos de tumulto. Mas a presença da imprensa, somada aos gritos de "solta, solta" do público, fizeram assessores do governador entrarem na negociação.

Levada ao interior do mesmo bar, fora do alcance da massa, Michele acabou prestando esclarecimentos e foi liberada. Mesmo assim, a ocorrência foi registrada pela PM-BA como crime de injúria real --caso em que a injúria tem algum tipo de violência física.

Moradora da região, a auxiliar de enfermagem Maria de Lurdes do Nascimento, 63, chegou a pedir para que Michele continuasse detida. "Eu vi, foi ela, isso não pode ficar assim", afirmava.

Livre, a produtora comemorou a decisão e virou alvo de tietagem de quem estava por perto.

O Dois de Julho é feriado em toda a Bahia e, neste ano, passou a ser uma data nacional a partir de decreto da presidente Dilma Rousseff.

"O sete de setembro foi apenas um grito. A independência do Brasil foi consolidada no 2 de julho de 1823 aqui na Bahia", disse Jaques Wagner.

Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››

Justus em protesto parece truque, mas não é, garante a Record


Exibidas na noite de segunda-feira, no programa “Roberto Justus +”, as imagens do publicitário diante de um protesto na avenida Paulista levaram muita gente a imaginar que se tratava de um truque. À primeira vista, parece haver uso de chroma key, um efeito especial que se obtém pela  sobreposição de uma imagem em primeiro plano a outra de fundo.

A emissora garante que Justus estava na passeata e que as imagens são reais. O estranho efeito, diz a Record, deve-se à utilização de um equipamento de melhor qualidade do que o habitual. Entre as testemunhas da cena, encontra-se, inclusive, o maquiador responsável pelos retoques na pele e no topete do apresentador. Justus também postou em sua conta no Instagram fotos da gravação.

O programa, com a participação dos jornalistas Adriana Araújo, Marcelo Rezende, Ricardo Kotscho e Celso Zucatelli, discutiu as manifestações pelo Brasil e marcou 3 pontos no Ibope, ficando em segundo lugar no horário.

Em tempo: O repórter Patrick Mesquita, do UOL Esporte, presente no protesto, também viu Justus no local. Leia aqui.

Atualizado às 17h: No esforço de acabar com as suspeitas, por volta das 16h30, a Record divulgou para a imprensa seis fotos da gravação de Justus na avenida Paulista, incluindo a imagem acima.

Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››