Usuários Online

RÁDIO CIDADE AO VIVO

Loading ...

domingo, julho 21, 2013

Em gramado encharcado, Pato marca e Corinthians fica no 1 a 1 com Atlético-PR

Atlético-PR1x1Corinthians

Foram apenas alguns minutos de bom futebol. O duelo do Corinthians diante do Atlético-PR, no estádio Durival de Britto, em Curitiba-PR, pelo oitava rodada do Campeonato Brasileiro, foi extremamente prejudicado por conta do gramado encharcado e terminou no empate por 1 a 1. Marcelo fez o gol do time paranaense logo no início da partida, mas Alexandre Pato deixou tudo igual ainda no primeiro tempo.

A chuva em Curitiba horas antes do jogo foi forte. Durante boa parte do jogo, uma garoa permaneceu e o confronto foi arrastado, com tremenda dificuldade de controle de bola, e muitos passes errados. O placar foi justo pela poucas oportunidades criadas pelos dois times. 
O Corinthians segue em apuros no Brasileiro na 12ª colocação, com apenas dez pontos. O Atlético se encontra em situação ainda pior, já que o time está na zona de rebaixamento, com sete pontos.

O Corinthians entrou em campo com a missão de esquecer o título da Recopa e se reabilitar na competição. Já o adversário contava com a estreia do treinador Vagner Mancini e tinha como objetivo a primeira vitória como mandante – equipe empatou os quatro jogos que fez com o mando de campo.

A missão do Atlético-PR parecia que seria completada com êxito. Isso, pois Marcelo aproveitou passe de Paulo Baier e abriu o placar logo aos 5 minutos.

O tempo foi passando e ficou evidente que gols seriam difíceis de acontecer. O primeiro tempo foi quase que inteiramente prejudicado por uma drenagem que não funcionou no estádio.

A força física foi o recurso usado pelos jogadores em campo. Desta forma, Renato Augusto carregou a bola pela ponta direita aos 25 minutos e fez ótimo cruzamento para Pato. O atacante cabeceou firme e empatou o jogo.

Corinthians e Atlético-PR passaram o resto da etapa sem gerar emoções. Já no segundo tempo, a situação do gramado deu uma leve melhorada e o jogo evoluiu.

O Atlético-PR exerceu pressão maior e esteve perto do gol da vitória em algumas situações. Na mais gritante delas, Cassio deixou a bola escapar após cruzamento rasteiro, mas Paulo Baier perdeu incrível gol ao cair na hora de finalizar.

Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››

Renan Oliveira brilha, Goiás vence de virada, e Portuguesa já é a penúltima

Goiás2x1Portuguesa

O jogo de número 50 com a camisa do Goiás não poderia ser mais expressiva para Renan Oliveira. Em uma noite inspirada, o meia fez dois gols e conduziu a vitória de virada de sua equipe diante da Portuguesa por 2 a 1, no estádio Serra Dourada.

Com o resultado, a equipe goiana chegou aos 12 pontos e já começa a flertar com o G-4. Por outro lado, a Portuguesa ainda não conseguiu vencer após a pausa para a Copa das Confederações. Segue estacionada com sete pontos e encerra a rodada na penúltima colocação.

O time goiano tentou tomar a iniciativa desde o início da partida. Chegou a ter mais posse de bola e criou algumas boas oportunidades. E teve a melhor oportunidade da etapa inicial. Aos 37min, Hugo bateu forte, a bola tocou em Lauro e acertou o travessão. No rebote, Walter tentou duas vezes, todas defendidas pelo goleiro da Lusa.

Apesar disso, a Portuguesa tinha conseguido equilibrar as ações no meio-campo. E acabou sendo eficiente em uma de suas primeiras oportunidades. Aos 39min, Bruno Moraes aproveitou cruzamento de Souza, levou a melhor sobre a defesa rival e, de cabeça, fez 1 a 0 para os paulistas.

Mas a resposta foi rápida. Aos 44min, Renan Oliveira foi lançado e tocou na saída do goleiro Lauro. “Fizemos o gol, estávamos bem, e vacilamos. Temos que ficar com a bola, faltavam dois minutos para acabar o primeiro tempo. Temos de jogar com mais inteligência’, reclamou o experiente Souza, da Portuguesa.

Restava saber qual seria o comportamento do Goiás, que foi para o intervalo acreditando na virada. E foi justamente o que aconteceu. A equipe de Enderson Moreira se mandou para o ataque. E, aos 20min, o atacante Walter ajeitou com o peito para o inspirado Renan Oliveira anotar o segundo, selando a terceira vitória do time no Campeonato Brasileiro.

Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››

Juan marca aos 46 do segundo tempo e Inter vence o Flamengo em Caxias

Internacional1x0Flamengo

O Internacional venceu o Flamengo por 1 a 0 na tarde deste domingo, em Caxias do Sul. Sob frio intenso, os ataques das duas equipes não conseguiram superar os sistemas defensivos armados por Dunga e Mano Menezes na maior parte do jogo, mas Juan aproveitou uma falta cobrada aos 46 minutos e cabeceou para o fundo das redes. Na comemoração, evitou festejar em respeito ao clube carioca.

Com o resultado, o Inter chega aos 15 pontos e termina a rodada na quarta colocação. Já os cariocas seguem com nove pontos, mas perderam três posições e caíram para a 14ª colocação.

Apesar do frio de 5°, a partida começou movimentada com ambos os times procurando o ataque. Porém, na sequência, o Inter passou a dominar as ações ofensivas, enquanto o Flamengo esperava por espaços para contra-atacar. Com as defesas levando vantagem sobre os atacantes, a partida passou a ser disputada com intensos combates no meio de campo.

Sem conseguir infiltrar dentro da grande área, gaúchos e cariocas experimentavam chutes de longa distância, porém, sem a direção da meta. A partir dos 15 minutos, os dois times começaram a dividir a presença no campo ofensivo, mas sem criar grandes oportunidades de gols.

Aos 25 minutos, D’Alessandro fez um lançamento no meio da área, Forlán levantou a perna e, com a ponta do pé, chutou próximo ao poste superior de Felipe. Seis minutos depois, Elias recebeu passe pela direita de ataque e bateu cruzado à direita de Muriel.

Na jogada seguinte, D’Ale arriscou de fora da área e o goleiro do Flamengo teve que fazer a defesa em dois tempos. Aos 38, Bruninho fez jogada dentro da área e caiu, próximo de Josimar, que estava com o braço aberto, porém, o árbitro Guilherme Ceretta de Lima entendeu como simulação e determinou o tiro de meta.

Até o final do primeiro tempo, o Inter seguiu tentando furar o bloqueio defensivo armado por Mano Menezes e sofria com os rápidos contra-ataques do Flamengo. No último minuto do tempo regulamentar, Marcelo Moreno cabeceou cruzamento da esquerda de ataque e obrigou Muriel a espalmar pela linha de fundo.

“Dois times grandes, precisamos ter calma que daqui um pouco eles vão dar uma brecha”, afirmou o zagueiro Juan, do Inter. "As defesas estão se sobressaindo sobre os ataques. Tivemos um lance só com o Moreno. O Inter teve um chute só com o D'Alessandro. Jogo duro. Quem errar menos, vence", declarou o goleiro Felipe.

Na volta para o segundo tempo, o Internacional deixou de abrir o placar com Fabrício. Josimar recebeu passe de D’Alessandro e cruzou rasteiro, Jorge Henrique se jogou e não conseguiu pegar a bola. O lateral, que está atuando no meio, com Felipe batido, chutou por cima do poste superior do Flamengo. Pressionando, os gaúchos tiveram outra boa oportunidade com um chute de Josimar que passou à esquerda da meta carioca.

A partir dos 10 minutos, o Flamengo passou a igualar as ações ofensivas, mas seguia com dificuldade para superar a defesa do Inter. Já o time de Dunga não conseguia entrar na área rubro-negra e sem alternativa arrisca chutes de fora da área. Aos 19, na primeira jogada após entrar na vaga de Carlos Eduardo, Adrian recebeu passe na entrada da área sobre o poste superior de Muriel.

Após cobrança de escanteio, aos 22, González se antecipou a marcação e cabeceou. Muriel foi obrigado a empurrar a bola pela linha de fundo. Quatro minutos depois, D’Alessandro bateu cruzado e Leandro de Damião chegou pouco depois que a bola cruzou a pequena área.  Após o lance, os dois times voltaram a disputar intensamente a bola no meio de campo e só levaram perigo com chutes de longa distância.

Aos 39, Josimar recebeu passe de dentro da área, passou por um marcador e caiu. O árbitro entendeu como jogada normal e mandou seguir a partida. Na última jogada da partida, aos 46 minutos, após cobrança de falta, Juan desviou de cabeça e garantiu a vitória e a entrada do Inter no G-4.

Na próxima quarta-feira, o Internacional enfrenta o São Paulo, no Morumbi, às 21h, em jogo antecipado da 12ª rodada, que deveria ocorrer no dia 7 de agosto. Já o Flamengo recebe o Botafogo no próximo domingo, às 18h30, no Maracanã.

Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››

Quinto Ba-Vi no ano não sai do zero, Vitória mantém tabu, mas deixa o G-4

Vitória0x0Bahia

No reencontro na Série A do Brasileiro após quase dez anos, Vitória e Bahia fizeram um clássico equilibrado e não foram além de empate sem gols, neste domingo, no quinto Ba-Vi da temporada. Assim, o time rubro-negro mantém o tabu de ainda não ter perdido para o rival estadual na nova Arena Fonte Nova.

No entanto, o Vitória acabou deixando o G-4. O Vitória contabiliza 14 pontos e acabou sendo ultrapassado pelo Internacional (15), que derrotou o Flamengo por 1 a 0. O Bahia figura com 13 pontos. Aliás, as duas equipes não se enfrentavam pela elite nacional desde outubro de 2003.

Aliás, o time de Caio Junior vem sendo soberano no clássico nesta temporada. Até então, o Vitória havia vencido os três jogos disputado na nova Arena Fonte Nova, incluindo duas goleadas (5 a 1 e 7 a 3) e que culminaram na demissão de dois técnicos do Bahia –Jorginho e Joel Santana. Isso sem contar uma crise que parecia não ter fim na equipe tricolor.

Desta vez, a situação era bem diferente. Apenas um ponto separava os dois rivais. O Vitória continuava apresentando um bom futebol e aparecia na parte de cima da tabela. Por outro lado, o Bahia se recuperou desde a chegada do técnico Cristóvão Borges e também flertava com G-4.

E o que se viu no início foi muito equilíbrio. O Vitória até tentava se mostrar mais ofensivo, mas parava na boa marcação do rival. Para se ter ideia, sua primeira grande chance ocorreu aos 20min, após cabeçada de Gabriel. O tricolor também assustou, principalmente com Wallyson.

“O jogo está complicado. Mas os times estão iguais. Temos que tentar fazer a diferença", disse Escudero. Esperava-se um segundo tempo mais inspirado dos dois lados. Escudero quase fez para o Vitória. Do outro lado, Anderson Talisca exigiu complicada defesa de Wilson.

Aliás, o goleiro do Vitória também evitou o primeiro do Bahia em um arremate de Fernandão. No geral, a partida era aberta. Os dois times não se contentavam com o empate. Mas o zero não saiu do placar ao final do quinto Ba-Vi na temporada.

Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››

Juninho marca em reestreia, e Vasco vence Flu na reabertura do Maracanã

Fluminense1x3Vasco

O Vasco levou a melhor na reabertura do Maracanã aos clubes cariocas. O time contou com o talento de Juninho e aproveitou a expulsão de Fred ainda no 1º tempo para vencer o Fluminense por 3 a 1, neste domingo, pela 8ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols do ídolo cruzmaltino, de André e de Tenorio - Carlinhos descontou - estragaram a festa pelo aniversário de 111 anos do clube das Laranjeiras. O resultado tirou a equipe da zona de rebaixamento. Com 10 pontos, o Cruzmaltino ocupa a 11ª posição. Já o Tricolor sofreu o quarto revés consecutivo, soma 9 pontos e está em 14º lugar.

As duas torcidas fizeram bonita festa nas arquibancadas e as provocações deram o tom da cantoria antes de a bola rolar. O clima de rivalidade foi acirrado nos últimos dias, quando o Fluminense definiu o posicionamento de seus torcedores ao lado direito das cabines de rádio, setor utilizado pelos vascaínos desde 1951. O contrato do Tricolor com o consórcio que administra a arena pelos próximos 35 anos possibilitou o benefício.

Com a bola rolando, o time de Abel Braga tomou a iniciativa e buscou explorar a instabilidade da defesa cruzmaltina. Sem Renato Silva - vetado pouco antes do confronto com uma virose -, Dorival Júnior escalou Jomar, que não atuava há dois anos. Logo no início, a zaga falhou e Rafael Sobis quase aproveitou.

O Fluminense manteve o predomínio, enquanto o Vasco buscava se organizar com o talento de Juninho Pernambucano. E o ídolo da torcida cruzmaltina abriu o placar em sua reestreia. Aos 16min, Henrique cruzou e a bola sobrou para Pedro Ken. O camisa 10 rolou para trás. Juninho aproveitou a falha da defesa tricolor e estufou a rede defendida por Diego Cavalieri com a categoria habitual.

O Tricolor acusou o golpe, mas ainda respondeu aos 23min. Edinho arriscou de longe, a bola descaiu rapidamente e acertou o travessão. Mas o time teve uma baixa significativa aos 24min. Fred foi expulso após acertar uma cotovelada em Jomar. Os dois chegaram a se entranhar rapidamente nos primeiros minutos.

Com a vantagem numérica, o Cruzmaltino tentava cadenciar a partida e explorava o lado esquerdo da defesa adversária. Já o Tricolor voltou a levar perigo aos 35min. Edinho recebeu com liberdade e arriscou chute forte. André respondeu e chegou perto de marcar o segundo do Vasco. O placar não foi modificado, mas o time de São Januário encerrou a primeira etapa em vantagem.

O Fluminense voltou para o segundo tempo com Rhayner no lugar de Deco na expectativa de dar velocidade ao setor ofensivo. Mas logo no primeiro minuto, Juninho lançou André na área. O atacante deu uma cavadinha, superou Cavalieri e ampliou o placar para o Vasco. Apesar da festa cruzmaltina, o Fluminense conseguiu diminuir aos 10min. Carlinhos aproveitou falha de Diogo Silva e cabeceou para o fundo do gol.

O Vasco sentiu o tento e passou a ceder espaços. Rafael Sobis, Wagner e Carlinhos buscavam surpreender a defesa e arriscavam chutes de fora da área. Apesar da vontade, o Fluminense expôs o setor defensivo e teve mais um jogador expulso. Aos 28min, Digão derrubou André e não foi perdoado pela arbitragem.

Aos 36min, o Cruzmaltino deu números finais ao placar e fez os torcedores do Fluminense deixarem o Maracanã mais cedo no dia do aniversário do clube. Tenorio subiu entre os zagueiros e escorou para o fundo do gol após cobrança de escanteio. A festa ao lado esquerdo das cabines de rádio continuou. Os vascaínos não economizaram nos cantos e demarcaram mais um setor em um dos principais estádios do mundo.

Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››

Criciúma2x1Grêmio

Não foi fácil, mas o Criciúma conseguiu aproveitar o fato de jogar com dois jogadores a mais, após expulsões por agressão de Matheus Biteco e do chileno Vargas, para bater o Grêmio por 2 a 1, na noite deste sábado, no Heriberto Hülse, e amenizar a pressão.

O resultado é um alivio para o time catarinense, que não havia vencido suas últimas quatro partidas e tinha o técnico Vadão correndo o risco de ser demitido em caso de um novo tropeço. Ganhou e chegou aos dez pontos. No primeiro revés sob o comando de Renato Gaúcho, o Grêmio não consegue atingir seu objetivo. Continua fora do G-4 (12 pontos).   

A pressão sobre o elenco e comissão técnica do Criciúma era grande. Por isso, adotou postura ofensiva desde o início. Elton chegou a marcar um gol, mas o árbitro marcou impedimento. Por outro lado, o Grêmio não conseguia sair da marcação e levava pouco perigoso.

Para piorar, o jovem volante Matheus Biteco fez bobagem, aos 23min, ao agredir Leandro Brasília e acabou sendo expulso. Renato Gaúcho fez cara feia --pouco tempo antes, já havia perdido o zagueiro Werley, contundido. Não bastasse isso, apenas dois minutos mais tarde, Wellington aproveitou cruzamento e, de cabeça, fez 1 a 0.

O gol deu mais tranquilidade ao time catarinense, enquanto os gremistas se mostravam nervosos. Erravam passes. Mesmo assim, mostrou qualidade. Aos 37min, após o time gaúcho roubou a bola no meio-campo, Zé Roberto foi lançado e tocou com categoria por cima de Bruno para deixar tudo igual.

O jogou mudou ainda mais logo aos 8min, quando o assistente chamou o árbitro Felipe Gomes da Silva e falou que o chileno Vargas teria acertado um chute no volante Amaral. O atacante também foi expulso e ficou revoltado com a decisão da arbitragem. A partir daí, foi jogo de ataque contra defesa.

O Criciúma iniciou uma incrível pressão. O Grêmio chegou a salvar gol em cima da linha. Mas não resistiu. E, aos 30min, após muita insistência, Matheus Ferraz aproveitou cruzamento de Sueliton e tocou para o fundo das redes. 2 a 1. Na base da vontade, os gaúchos se mandaram para o ataque. Mas não conseguiram evitar o revés.

Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››

Luan dá vitória ao Cruzeiro com três gols, e São Paulo chega a pior fase da história

São Paulo0x3Cruzeiro

São sete derrotas seguidas. Pela primeira vez na história. O São Paulo perdeu para o Cruzeiro por 3 a 0 na noite deste sábado, em pleno Morumbi, pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro, e atingiu a vergonhosa marca. Luan fez os três gols do time mineiro no segundo tempo e afundou ainda mais o adversário em uma crise que parece não ter fim.

Só em 1936, cumprindo o primeiro ano de existência, a equipe experimentou sequência de seis derrotas. Agora, a marca negativa foi ampliada e os gritos de “Luis Fabiano pipoqueiro”, “queremos jogador”, “raça” e “fora Juvenal” foram recorrentes no estádio.


O São Paulo segue na 14ª colocação, com oito pontos, mas já cumpriu noves jogos na competição, ficando assim com grande risco de entrar na zona de rebaixamento. O Cruzeiro chegou à vice-liderança, com 15 pontos.

O São Paulo já vinha de uma sequência de seis derrotas seguidas entre jogos do Campeonato Brasileiro da Recopa Sul-Americana, contra o Corinthians, e o amistoso diante do Flamengo.

A última vitória aconteceu ainda em maio. Desde o 5 a 1 sobre o Vasco, na segunda rodada do Brasileiro, foram dois empates e oito derrotas. Ou seja, dez jogos sem vitória.

No confronto, o São Paulo sofreu com um primeiro tempo de baixa criatividade, mas passou sem sustos. Osvaldo, na correria, parecia isolado no ataque. O Cruzeiro também nada criou. 

O segundo tempo foi todo de Luan. O atacante do Cruzeiro abriu o placar com um golaço de primeira aos cinco minutos. Com 1 a 0 de desvantagem, Luis Fabiano foi substituído e bastante vaiado. Aloisio entrou, e perdeu uma chance clara de empate ao chutar para fora estando na frente de Fábio.

O pior ainda estava por vir. O São Paulo passou vergonha, entrou na roda, e viu Luan viver noite de craque. O atacante fez gols aos 33 e 36 minutos e aumentou à ira da torcida são-paulina.

O grito de repúdio contra o presidente Juvenal Juvêncio foi ecoado em todo o estádio. Ele está marcado negativamente como o mandatário do pior time do São Paulo nos 78 anos de história.

Reprodução cidade News Itaú
Leia Mais ››

Botafogo vence o Náutico na volta ao Rio e assume a liderança do BR

Botafogo2x0Náutico

O Botafogo encontrou dificuldades na primeira etapa, mas superou a retranca do Náutico e venceu por 2 a 0 na noite deste sábado, em São Januário. A vitória, no retorno do time ao Rio de Janeiro após 96 dias, garante a liderança do Campeonato Brasileiro ao Alvinegro. O Coritiba e o Vitória, que entram em campo neste domingo, pode assumir a primeira posição. O time pernambucano se afunda ainda mais na lanterna do torneio nacional, sem vencer há quatro jogos.

Os dois gols da partida saíram no segundo tempo, já que a primeira etapa foi de poucas chances e nível técnico baixo. Elias marcou o primeiro com a camisa do time carioca e da partida logo aos 3min. O volante Renato ampliou aos 32min. Um lance inusitado ainda chamou a atenção, quando um cachorro invadiu o gramado no início da segunda etapa. O volante Rodrigo Souto, do Náutico, carregou o animal para fora do campo.

O primeiro tempo foi um exercício de paciência, principalmente para o torcedor botafoguense. O Náutico abdicou do ataque e recuou todos os jogadores de linha em seu campo, marcando próximo da área. O time de General Severiano, por sua vez, tinha dificuldade em encontrar espaços na defesa, forçando bolas cruzadas na área e tornando a partida ruim tecnicamente.

O primeiro lance de perigo aconteceu aos 4min, após bom passe de Seedorf para Rafael Marques, que chutou mal e desperdiçou uma das raras chances de gol. O Náutico só assustou em uma jogada, aos 30min, quando Rogério cortou para o meio e chutou forte de fora da área. Jefferson fez defesa tranquila.

O Botafogo tinha dificuldade em explorar a ofensividade dos dois laterais e afunilava demais os lances pelo meio. Além disso, Rafael Marques caia com frequência para os lados do campo, deixando um clarão no meio da área. Muitas bolas cruzadas simplesmente não encontravam nenhum alvinegro para tentar a cabeçada. Fraco, o jogo foi para o intervalo sob vaias dos torcedores.

Apenas o Botafogo mudou para a segunda etapa. Vitinho, que fez primeiro tempo razoável, deu lugar ao centroavante Elias. A mudança demorou só três minutos para dar resultado. Rafael Marques recebeu na direita, se livrou de dois marcadores e deu ótimo passe para Elias na área. Com calma, o jogador chutou cruzado na saída de Ricardo Berna e abriu o placar em São Januário.

O jogo melhorou bastante em relação ao primeiro tempo. No prejuízo, o Náutico passou a atacar mais, criando boas chances pelo lado esquerdo do seu ataque e também dando espaços para o contra-ataque. Jones Carioca, aos 8min, exigiu boa defesa de Jefferson. No rebote, Bolívar afastou para escanteio.

O time de General Severiano aproveitou os espaços e passou a dominar o rival. Dória quase marcou em chute colocado aos 17min. O Náutico foi para o 'tudo ou nada' realizando três alterações, colocando mais dois atacantes em campo. A estratégia não adiantou. Aos 32min, Lodeiro evitou a saída da bola pela direita e cruzou para Renato desviar de cabeça, aumentando o placar para o Botafogo. O Náutico ainda pressionou tentando diminuir a desvantagem, mas a equipe da casa controlou bem e conseguiu sair com a vitória.

Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››

Alex faz dois, Coritiba empata com o Santos no fim e segue invicto no Brasileirão

Santos2x2Coritiba

O Santos esteve muito perto de conseguir o que sete equipes tentaram no Brasileirão: vencer o Coritiba no Brasileirão. Mas o time paulista pagou caro por diversas chances perdidas no fim e viu o meia Alex empatar o jogo para os paranaenses aos 42 do segundo tempo. Em duelo disputado na Vila Belmiro, pela oitava rodada, o meia brilhou e garantiu o empate por 2 a 2, mantendo sua equipe como única invicta no Brasileirão até aqui. 

Com gols de Neilton e Cícero, o Santos, comandado por Claudinei Oliveira, chegou à sua quarta partida seguida sem perder - vinha de três vitórias até aqui -, e subiu para 12 pontos na tabela. Já o Coritiba foi aos 16 pontos conquistados em oito jogos e ocupa a vice-liderança (mesmo número de pontos do Botafogo, mas uma vitória a menos). Até aqui são quatro vitórias e quatro empates. 

Este foi o 24º jogo seguido que o Santos saiu sem ser derrotado dentro de seu estádio. O último revés na Vila foi em agosto do ano passado, para o Bahia, por 3 a 1, pelo Brasileirão-2012.

O Coritiba começou a partida com amplo domínio do jogo, apesar de o primeiro susto ter sido do Santos, em cobrança de falta de Cícero aos dois minutos. Robinho, Alex e Deivid incomodavam a defesa santista com chegadas e trocas de bola no campo de ataque. Junior Urso assustou em chute de fora da área, mas foi o camisa 10 do Coritiba quem esteve muito perto de abrir o placar.

Aos 12 minutos, Robinho abriu as pernas na frente da grande área e a bola chegou limpa para Alex, que ficou cara a cara com o goleiro Aranha, atrasou um pouco chute e bateu rasteiro no canto direito. A bola bateu na trave e, no rebote, voltou para Deivid finalizar. O atacante, porém, errou feio o alvo e mandou para fora, desperdiçando chance clara.

O Santos não se acuou com o domínio dos visitantes. O argentino Montillo, três minutos depois, disparou um chute forte e a bola passou por cima do gol de Vanderlei. Aos 20 pintou o primeiro gol. Galhardo, pela direita, deu ótimo lançamento para Leandrinho, que invadiu a área e passou pelo alto para Neilton, com frieza, chutar forte e abrir o marcador para o time da casa.

Atrás no marcador, o time paranaense partiu para o ataque em busca do empate e deixou alguns espaços atrás, deixando o jogo aberto. O Santos voltou a assustar em chute de Galhardo, mas o Coritiba conseguiu voltar a ter o domínio das ações ofensivas, sempre com a bola passando pelos pés de Alex. Na segunda desatenção da zaga com o meia, ele não perdoou. Recebeu na entrada da área, onde passou boa parte do primeiro tempo, invadiu a área e mostrou sua categoria ao dar um toque sutil por cima de Aranha, empatando o jogo aos 40 minutos.

Depois da conversa no vestiário com o técnico Claudinei Oliveira, o Santos voltou melhor para o segundo tempo. Montillo começou a aparecer mais em campo e criou boas opções de ataque para o time. Do outro lado, os lances mais perigosos saíam sempre dos pés de Alex.

Até os 15 minutos, os donos da casa tiveram um pouco mais de domínio. A partir dali, o time paranaense implantou uma pressão forte. Primeiro Alex cobrou falta na área e Chico cabeceou obrigando Aranha a fazer defesa difícil e mandar para escanteio. Na cobrança, pareceu repetição. Cruzamento do camisa 10 e Chico, de cabeça, mandou a bola na trave, assustando a torcida.

O Santos respondeu à pressão com gol, assim como havia feito no primeiro tempo. Galhardo cobrou falta pelo lado direito e colocou a bola na cabeça de Cícero, que subiu sozinho e cabeceou forte no canto esquerdo de Vanderlei, recolocando o Santos na frente do placar. Foi o terceiro gol do volante na competição até aqui.

Em vantagem e puxado por Montillo, o time paulista partiu para o ataque em busca do terceiro gol, que ficou muito perto. Aos 25, o meia argentino, dentro da área, bateu forte e a bola explodiu na trave de Vanderlei. Na sobra, Giva, que substituiu William José, chutou e obrigou o goleiro a espalmar. Em novo rebate, Cícero bateu a Vanderlei, de novo, fez boa defesa. Na sequência, Giva invadiu a área, mas chutou mal e a bola foi para fora.

Na reta final do segundo tempo, o Santos abusou de perder mais gols. Neilton desperdiçou chance clara ao errar rebote de chute de Giva. Depois, Pedro Castro recebeu lançamento de Montillo, driblou Vanderlei, mas o goleiro se recuperou bem e impediu o gol. Tantos erros custaram muito caro aos donos da casa. Aos 42, Alex, o dono do meio-campo, tabelou com Robinho e, da entrada da área, bateu colocado, em chute indefensável para Aranha, marcando seu quarto gol na competição e dando números finais ao duelo.

Na próxima rodada, o Santos vai até o Estádio Moises Lucarelli, em Campinas, para enfrentar a Ponte Preta no sábado (27), às 21h. Já o Coritiba recebe o Vitória no domingo, às 16h, no Couto Pereira, onde tem 100% de aproveitamento neste Brasileirão (quatro jogos e quatro vitórias). 

Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››

Estamos enfrentando instabilidade na conexão

Prezados leitores do Blog Cidade News informamos que estamos enfrentado instabilidade na conexão com a internet desde a tarde de ontem (sábado), por este motivo poderemos ter uma redução em nossas postagens neste domingo.

Agradecemos a compreensão

Arlindo Maia da Redação do Cidade News
Leia Mais ››

Adolescente de 12 anos é assassinado em acerto de contas na Grande Natal

Um crime violento foi registrado no Centro do município de Macaíba, na Grande Natal na noite deste sábado. Um adolescente de 12 anos identificado como Wallace da Silva, mais conhecido como “Babá” foi assassinado a tiros em via pública.

Segundo informações da polícia, o adolescente estava na Rua Adelson de Souza, quando por volta das 21h dois homens chegaram em um veículo modelo Chevette de cor verde e efetuaram os disparos, sem chance de defesa.

O adolescente morreu no local e a dupla fugiu sem ser identificada. A polícia acredita em um acerto de contas e possível envolvimento com drogas, além de Wallace ter um irmão gêmeo que também teria envolvimento com atos ilícitos.

Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››

Mais de 90% dos municípios do RN não têm aterro sanitário

Faltando pouco tempo para finalizar o prazo estabelecido pela Lei de Resíduos Sólidos para a eliminação dos lixões e instalação de aterros sanitários, em agosto de 2014, a realidade demonstra a impossibilidade de a maioria dos municípios do Rio Grande do Norte cumprir a legislação. O processo é complexo e faz que a maioria dos municípios ainda não esteja preparada para a efetivação desse tipo de política pública. A estimativa dos gestores municipais e do Governo do Estado é que o prazo possa ser atendido.
Nos debates que têm ocorrido sobre o assunto, o que tem se visto é que gestores municipais e técnicos são unânimes em afirmar que o prazo legal não poderá ser cumprido.
Além do curto espaço de tempo, a falta de recursos financeiros aparece como outro ponto importante para impedir o cumprimento da legislação.
A julgar pela realidade brasileira, o País vivencia mais uma legislação que não será cumprida em seu prazo inicial e precisará ser prorrogada. A falta de aterro sanitário é mais grave no Nordeste. Os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelam que, dos 1.792 municípios da região, apenas 94 possuem aterros e alguns são operados de forma inadequada. Há 1.580 lixões, agredindo diariamente o meio ambiente.
Em março de 2012, a governadora Rosalba Ciarlini assinou um convênio com a Fundação Nacional de Saúde (FUNASA) para a construção de dois aterros sanitários. Um dos aterros será construído no Seridó e outro no Alto Oeste. O valor do convênio é de R$ 22 milhões. Até agora, nenhuma das obras foi realizada. Outro convênio assinado na época foi com o Ministério do Meio Ambiente, no valor de R$ 3 milhões, para contratar o Plano Estadual de Resíduos Sólidos e os planos intermunicipais de resíduos sólidos para as regiões do Alto Oeste, Seridó e Agreste. Os recursos serviram para realizar o diagnóstico para atender 108 municípios com uma população de mais de um milhão de habitantes.
No RN, o destino final dos resíduos sólidos urbanos em mais de 92% dos municípios ocorre em lixões a céu aberto. Em apenas 4,2%, esses resíduos são encaminhados para aterros sanitários.
Natal e Mossoró são duas das poucas cidades que possuem aterros sanitários. No caso de Natal, o aterro foi construído em Ceará-Mirim, sendo administrado pela empresa Braseco, já em Mossoró o aterro é administrado pelo Município.

Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››

ABC joga bem, mas fica apenas no empate com o Joinville-SC

O ABC segue sem vencer no Campeonato Brasileiro da Série B. Jogando na noite deste sábado (20), contra o Joinville – SC, o alvinegro dominou o visitante, criou várias oportunidades em seu setor ofensivo, mas pecou nas finalizações e terminou amargando o empate sem gols. Com o resultado, o time da Frasqueira segue na lanterna da competição, com apenas 3 pontos, enquanto o JEC, com 17, permanece na 4ª colocação.

Na 10ª rodada, o ABC volta a jogar em seus domínios e recebe o sempre perigoso Paysandu, no sábado (27), a partir das 21h. O Joinville, na terça-feira (23), às 21h, tem mais um compromisso fora de casa, dessa vez, contra o Icasa, no estádio Romeirão, em Juazeiro do Norte, no Ceará.

O jogo

O jogo começou movimentado, com o Joinville bem postado em campo e marcando duro os homens de frente do ABC. O alvinegro, através de Wanderley e Eric Flores conseguia criar boas jogadas e chegava com perigo na meta do goleiro Ivan.

Até os 30 minutos, o ABC chegou muito próximo da abertura no marcador aos 25 e 28 minutos. No primeiro momento, em falta ensaiada, Tony recebeu na entrada da área e chutou firme para boa defesa do arqueiro adversário. Na seqüência, durante uma blitz, Diogo Barcelos, dentro da área, bateu forte para defesa espetacular de Ivan.

Aos 41, o ABC mais uma vez perdeu uma grande oportunidade. Em linda jogada de Tony, ele invadiu a área, deu um chapéu no goleiro Ivan, e no momento da finalização, livre, finalizou desequilibrado.

O cenário no primeiro se resumiu ao ABC melhor em campo, atuando com personalidade, contudo, pecando na finalização. O Joinville, acuado, não conseguiu ameaçar o alvinegro.

O segundo tempo não começou diferente da etapa inicial. O ABC seguiu equilibrado em campo e pressionando o Joinville. O primeiro lance de perigo foi criado aos 10, Wanderley chutou cruzado e Erick Flores chegou atrasado perdendo uma boa oportunidade. Os visitantes, por sua vez, adiantaram a marcação e tentavam ameaçar o time da Fraqueira, mas sem perigo.

Aos 14, a torcida alvinegra foi à loucura com mais um gol perdido. No lance, após cruzamento, Diogo Barcelos caprichou tanto no cabeceio que a bola saiu tirando tinta da meta do goleiro Ivan.

De tanto perder chances de gol, o ABC por pouco não foi castigado, aos 17. Wellington Bruno recebeu lindo passe de Lima, que driblou Rafael e com o gol livre chutou para fora. No lance seguinte, em resposta imediata dos donos da casa, Erick Flores fintou o marcador e chutou forte obrigando o goleiro Ivan a dar um tapa salvador para a linha de fundo.

Nos 20 minutos finais, o técnico Waldemar Lemos mexeu na frente para entradas de Pingo e Felipe Alves, para as saídas de Wanderley e Tony, respectivamente. O Joinville, mesmo pressionado, nas poucas vezes que atacava a meta do goleiro Rafael, conseguia assustar. Foi assim que Rafinha, em cobrança de falta frontal, aos 26, chutou forte com a bola passando raspando a trave alvinegra.

O domínio da posse de bola e as chances criadas na partida, por fim, terminaram frustrando a torcida alvinegra, que viu, mais uma vez, o time tropeçar no Frasqueirão, seguir sem vitória na competição e amargando a lanterna da competição.

Ficha do jogo – ABC 0 x 0 Joinville

Escalações:

ABC: Rafael, Renato, Flávio Boaventura, Lino e Guto, Edson, Bileu, Diogo Barcelos (Rodrigo Santos) e Tony (Felipe Alves), Erick Flores e Wanderley (Pingo). (Técnico: Waldemar Lemos)

Joinville:  Ivan; Carlos Alberto, Rafael, Sandro e Rafinha; Augusto Recife, Marcus Winícius, Ricardinho e Wellington Bruno (Francis); Ronaldo (Edigar Junior) e Lima. (Técnico: Artuzinho).

Árbitro: Charles Hebert Cavalcante Ferreira (AL)

Cartões: Rafinha (amarelo, Joinville); Wanderley (amarelo, ABC); Ronaldo(amarelo, Joinville); Lino (amarelo, ABC); Augusto Recife (amarelo, Joinville); Francis (amarelo, Joinville); Lima (amarelo, Joinville).

Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››

Suspeito de tráfico é preso e polícia fecha boca de fumo

Policias da 2º DP de Brasília Teimosa fecharam uma boca de fumo na Travessa Irmã Vitória Chaves, nas Rocas, na Zona Leste de Natal. O local também é conhecido por “Beco do Napu” e o flagrante foi feito nesta sexta-feira (12), quando os policiais conseguiram prender José Edson Costa da Silva, de 28 anos, mas conhecido por “Orelha”.

Com ele foram apreendidos, segundo a polícia, 546 gramas de cocaína, que os policias falaram ser pura e avaliada em R$ 25 mil, bem como 124 gramas de crack, dois revolveres calibre 38 com seis munições, R$ 89,00 em espécie, celulares e relógios.

Segundo o chefe de Investigações da 2º DP, Judas Tadeu, os mesmos vinham fazendo campana há alguns dias e, após observarem a rotina do suspeito, decidiram dar início a operação na residência do mesmo. O Policial falou que ao chegarem a casa, o suspeito percebeu a presença dos policias e tentou se desfazer do material ilícito, jogando no vaso sanitário.

Diante das provas existentes, foi dado voz de prisão ao mesmo. José Edson já responde a dois processos por assalto e porte de arma e tava respondendo ao regime semiaberto. Agora ele vão voltar ao regime fechado.

Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››

Mulher é assassinada dentro de loja de confecções durante suposto assalto

A policia registrou o assassinato de uma mulher, na manhã deste sábado (20). A vitima, identificada como Elineide Ferreira de Souza, de 25 anos, estava em uma loja de confecção, na avenida Monte Rei, no Planalto, quando dois homens teriam entrado no estabelecimento e anunciado um assalto.

Informações repassadas pela policia dão conta que Elineide chegou ao local em um veiculo modelo Punto, de cor prata. A mulher entrou na loja e estava conversando com uma vendedora, quando os dois criminosos chegaram e entraram no estabelecimento.

Inicialmente, eles anunciaram um assalto e mandaram que Elineide fosse para dentro do banheiro. Os bandidos recolheram aproximadamente R$ 80 do caixa e, em seguida, um deles foi ate o banheiro e atirou três vezes contra Elineide Ferreira, que caiu morta dentro do compartimento.

A dupla fugiu e, até o momento, nenhum suspeito foi preso. O tenente Isaac, oficial do 9º Batalhão da Policia Militar, disse que, mesmo os bandidos tendo anunciado um assalto, o crime tem características de execução, tendo em vista que havia vários objetos de valor na loja e os criminosos levaram apenas os R$ 80. 

Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››

Mulher é assassinada a tiro na cidade de Caraúbas/RN

Tivemos a informação de que mais um crime foi registrado na cidade de Caraúbas/RN. Trata-se de um homicídio, ocorrido na tarde deste sábado (20) no Bairro Leandro Bezerra. Uma mulher, aparentando ter 35 anos, natural do município de Olho D'água do Borges/RN, sofreu um tiro no abdome e ficou agonizando durante vários minutos, até ser socorrida por populares. Antes mesmo de chegar ao Hospital Regional Dr. Aguinaldo Pereira da Silva, ela não resistiu ao ferimento e faleceu. Uma guarnição da Polícia Militar, composta pelo Cabo Máximo e pelos Soldados Ildônio e Herbert, chegou ao local após ser acionada. Apesar de tentar coletar o máximo de informações, o silêncio imperou entre os cidadãos. A Polícia trabalha para desvendar esse crime misterioso.

Reprodção Cidde News Itaú via Gidel  de Moraes
Leia Mais ››

Católicos vão pouco à missa e contribuem menos com igreja

Em sua primeira viagem internacional como pontífice, o papa Francisco encontrará um Brasil em que a presença católica continua em declínio, com fiéis relativamente distantes da Igreja nas missas, no dízimo e na convicção sobre assuntos polêmicos, como casamento gay e adoção por casais do mesmo sexo.

As conclusões vêm de pesquisa do Datafolha realizada nos dias 6 e 7 de junho, com 3.758 entrevistados em 180 municípios do país. A margem de erro dos resultados é de dois pontos percentuais.

Segundo o levantamento, 57% dos brasileiros com mais de 16 anos se declaram católicos, patamar mais baixo da história do país. Em 2007, pesquisa semelhante feita pelo Datafolha apontou 64%. Em 1994, eles eram 75%.

O segundo maior bloco religioso do Brasil é o de evangélicos pentecostais (membros de igrejas como a Assembleia de Deus), com 19%. Em seguida estão os evangélicos não pentecostais (de igrejas protestantes com séculos de existência, como os metodistas e os batistas), com 9%.

O engajamento religioso de evangélicos, tanto pentecostais como neopentecostais, é superior ao de católicos quando se observam índices como a frequência nos cultos ou as contribuições financeiras.

A maioria dos evangélicos (63% dos pentecostais e 51% dos não pentecostais) diz frequentar cultos mais de uma vez por semana, contra 17% dos católicos. Dos membros da Igreja Católica, 28% afirmam participar de cerimônias uma vez por semana, enquanto 21% o fazem uma vez por mês. O mínimo exigido pela igreja é o comparecimento à missa de domingo.

Os números são parecidos quando se trata de contribuir financeiramente. Dos católicos, 34% afirmam fazer isso sempre, contra cerca de 50% dos evangélicos. Quase um terço dos católicos diz não dar dinheiro algum para a Igreja, contra pouco mais de 10% dos evangélicos.

A própria comparação entre valores médios de contribuições mensais deixa clara a diferença entre os grupos cristãos. O valor se aproxima dos R$ 70 por mês para os evangélicos pentecostais, vai para quase R$ 86 no caso dos não pentecostais, mas é de apenas R$ 23 entre católicos.

Embora o valor absoluto de contribuição dos pentecostais seja menor do que o dos não pentecostais, eles provavelmente destinam uma parte maior de sua renda familiar, já que são mais numerosos entre as famílias que ganham até dois salários mínimos.

A pesquisa também confirma a ideia de que, entre as igrejas cristãs, os católicos tendem a ser mais liberais em matéria de costumes, mesmo quando isso contraria a orientação da hierarquia católica.

Só uma minoria deles se diz contra a legalização da união entre pessoas do mesmo sexo (36%) e contra a adoção de crianças por casais homossexuais (42%), índices inferiores ao que pensa a média da população e muito abaixo do registrado entre evangélicos (em torno de 65% e 70%, respectivamente).

Apenas espíritas e umbandistas são mais liberais a respeito desses temas. Mas membros de todas as igrejas cristãs pensam de forma muito parecida sobre o aborto: entre 65% a 70% dizem que a mulher que praticar aborto deve ser processada e presa.

Apesar da polêmica despertada por iniciativas ligadas a grupos religiosos, como o projeto da "cura gay" e o que aumenta garantias para fetos, a maioria dos brasileiros, em especial os católicos, afirma não votar em candidatos indicados pelas igrejas.

Somente 8% dos ouvidos pelo Datafolha declararam já ter escolhido candidatos apoiados por suas igrejas, índice que cai para 5% entre católicos e sobe para 18% entre evangélicos pentecostais.

Do mesmo modo, apenas 11% dos católicos afirmam que a opinião dos líderes religiosos é importante na hora de escolher em quem votar (21% dos evangélicos pentecostais têm essa opinião).

Os dados são mais ambíguos, porém, quando o Datafolha pergunta sobre o apoio à ideia de que líderes religiosos se candidatem a cargos políticos. Um quarto dos católicos concorda com a ideia, número que sobe para cerca de 40% entre evangélicos e é relativamente forte mesmo entre espíritas (26%).

Reprodução Cidade News Itaú
Leia Mais ››