Usuários Online

RÁDIO CIDADE AO VIVO

domingo, abril 16, 2017

Incontestável! Chape bate o JEC, levanta Taça Sandro Pallaoro e está na final do Catarinense


Quatro meses e meio. Esse foi o tempo necessário para Chapecoense colocar em sua sala de troféus um marco da volta por cima após o trágico acidente de 29 de novembro. E que troféu! O Verdão é campeão da Taça Sandro Pallaoro, seu ex-presidente, vitimado em Medellín, e decidirá o título catarinense em duas partidas contra o Avaí. O título veio com a convincente vitória - a oitava consecutiva - por 2 a 0 sobre o Joinville, neste sábado, na Arena Conda, oitava rodada. Reinaldo e Túlio de Melo foram os responsáveis pelo grito de "campeão".

PANORAMA
Com a sétima vitória consecutiva na competição, a Chapecoense chegou aos 22 pontos e garantiu com uma rodada de antecipação o título da Taça Sandro Pallaoro. De quebra, foi beneficiado pelo tropeço do Avaí para o Almirante Barroso e confirmou também a melhor campanha, que dá vantagem de decidir o Catarinense em casa, contra o próprio Leão da Ilha. Domingo, dia 23, o duelo com o Criciúma, fora de casa, será para cumprir tabela.

Antes, a Chape recebe o Nacional, do Uruguai, terça-feira, às 21h45 (de Brasília), na Arena Condá, pela terceira rodada do Grupo 7 da Libertadores. Já o Joinville, defenderá a segunda colocação contra o Brusque, no mesmo dia, em casa, e se despede do Estadual.

PRIMEIRO TEMPO
Sem opção além da vitória para seguir vivo no Catarinense, o Joinville usou as armas da própria Chapecoense para evitar a pressão na Arena Condá: intensidade, marcação alta e posse de bola. A estratégia deu certo, esfriou o jogo nos primeiros minutos e só não foi perfeita porque Batata perdeu chance clara dentro da área. Com o passar do tempo, porém, o Verdão encontrou o antídoto e fez o que se esperava dele: ditou o ritmo do jogo.

Se a bem armada defesa do JEC não permitia muitas finalizações, as já conhecidas jogadas pela direita saíam aos poucos com João Pedro, Rossi e Apodi, e a Chape ia ganhando campo. Até que ganhou um presente: aos 32, Danrlei se enrolou todo, colocou a mão na bola na área e cometeu pênalti bobo convertido por Reinaldo. Vantagem justa para quem teve paciência para se impor.

SEGUNDO TEMPO
Em vantagem, a Chape sequer passou por sustos no segundo tempo. Já nos primeiros 15 minutos, foram quatro boas chances desperdiçadas na frente de Matheus. O JEC, por outro lado, não demonstrava forças para reagir, mesmo com as alterações de Fabinho Santos, e o segundo gol do Verdão sempre esteve mais próximo de acontecer do que o empate.

Com a proximidade do título, Vagner Mancini também fez alterações: Moisés Ribeiro para dar maior poder de marcação, e Tulio de Melo para dar fôlego ao ataque. Deu certo. Faltando sete minutos para soltar o grito de campeão, o centroavante tabelou bonito com Andrey Girotto e apenas deslocou o goleiro, livre na área. A Arena Condá explodiu em festa. O "Vamos, vamos, Chape" tão marcante foi substituído por "É campeão!".

MELHOR EM TUDO
O  título da Taça Sandro Pallaoro recompensou uma campanha de recuperação arrasadora da Chapecoense. Depois do tropeço para o Inter de Lages, com empate fora de casa, são sete vitórias consecutivas no Estadual, além de largar na frente na decisão da Recopa. Foram 23 gols marcados e somente quatro sofridos no returno, o que faz com que o Verdão se torne o melhor time de toda competição, deixando o Avaí para trás. Líder geral com 39 pontos, melhor ataque, com 36 gols marcados, e melhor defesa, com 12 sofridos. Campanha que dá a vantagem de decidir na Arena Condá e jogar por resultados iguais.

KINGNALDO
Quem vai se firmando cada vez mais como um dos principais jogadores do elenco é Reinaldo. Líder espontâneo, o lateral-esquerdo é muito querido por todos, comanda as brincadeiras e ainda faz a diferença dentro de campo. Dono das bolas paradas, já marcou de falta na Libertadores e assumiu a função de cobrador oficial de pênaltis. Com seu estiloso bigodinho, foi batizado pelo próprio Twitter da Chape de Kingnaldo!


"DO ROUPEIRO AO PRESIDENTE"
A Chape preparou uma recepção especial para família de Sandro Pallaoro neste sábado na Arena Condá. Com um camarote especial e estilizado, os parentes do dirigente, morto no acidente de 29 de novembro, puderam acompanhar a Chape dar a volta por cima e erguer o troféu que levava seu nome. Um grande painel com a foto de Pallaoro foi exibido com sua célebre frase: "Do roupeiro ao presidente", que pregava a humildade e igualdade de valores no clube.


Fonte: Globo Esporte

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é muito importante para nós, comente essa matéria!