RÁDIO CIDADE AO VIVO

Ouça pela Rádios Net ou clique na imagem abaixo

Ouça pelo Listen 2 My Rádio ou clique na imagem abaixo

Imagem relacionada
Loading ...

segunda-feira, abril 17, 2017

Promotor Eudo Leite encabeça lista tríplice para procurador-geral de Justiça do RN

Lista tríplice é formada por Ivanildo Alves da Silveira, Iadya Gama Maio e Eudo Rodrigues Leite (Foto: Divulgação/Ministério Público)

A eleição para formação de lista tríplice para o cargo de procurador-geral de Justiça do Ministério Público do Rio Grande do Norte aconteceu nesta segunda-feira (17) em Natal e Mossoró. O mais votado foi o promotor de justiça Eudo Rodrigues Leite com 148 votos; em 2º lugar a procuradora de Justiça Iadya Gama Maio com 45 votos; e em 3º lugar Ivanildo Alves da Silveira com 30 votos. No total, foram 187 votantes.
A lista tríplice será encaminhada ao governador do Estado, Robinson Faria, a quem cabe escolher, dentre os nomes, o futuro titular do cargo de procurador-geral de Justiça. Historicamente no Rio Grande do Norte os chefes do Executivo estadual sempre escolheram o mais votado da lista tríplice.
"A gente espera que o governador mantenha esse respeito que ele tem demonstrado em relação à independência e à autonomia da instituição e referende a vontade da maioria dos membros do Ministério Público", disse o promotor de Justiça Eudo Rodrigues Leite, titular da 22ª promotoria de Justiça de Natal.
A posse do procurador de Justiça para o biênio 2017/2019 está marcada para o dia 19 de junho.
Ministério Público na mídia
O Ministério Público do Rio Grande do Norte tem estampado notícias negativas na mídia nos últimos tempos. Em março deste ano, um servidor do MP entrou em uma reunião e atirou no procurador-geral adjunto de Justiça do Rio Grande do Norte Jovino Pereira Sobrinho e no promotor Wendell Beetoven Ribeiro. O crime aconteceu na sede do MP.
Nesta segunda-feira (17), foi divulgado que o atual procurador-geral de Justiça, Rinaldo Reis, foi denunciado por usar diárias operacionais para fins privados. Ele é denunciado por utilizar mais de R$ 83 mil em diárias pagas pelo Ministério Público para fins privados quando atuou em serviço do Conselho Nacional de Procuradores-Gerais do Ministério Público dos Estados e da União, onde é presidente. Rinaldo Reis nega as acusações.

Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é muito importante para nós, comente essa matéria!