RÁDIO CIDADE AO VIVO

sábado, maio 13, 2017

Instituições do RN tiram sites do ar após ciberataques em larga escala na Europa

Site do TJRN foi retirado do ar 'por precaução', segundo a assessoria (Foto: Reprodução)

Os ciberataques em larga escala que derrubaram sistemas de informações de empresas e instituições na Europa nesta sexta-feira (12), causaram a suspensão de serviços e fizeram instituições públicas e privadas do Rio Grande do Norte tirarem seus sites do ar. Os órgãos comunicaram que as decisões foram tomadas por precaução e disseram que não há informações de ataques no RN.
A página do Tribunal de Justiça do RN na internet foi retirada do ar à tarde e até a manhã deste sábado (13) permanecia sem conexão. O mesmo ocorreu com o Ministério Público, que suspendeu os serviços de internet e email da instituição. O INSS orientou que todos os computadores do órgão fossem desligados. Os órgãos comunicaram que as decisões foram tomadas por precaução e disseram que não há informações de ataques no RN.
No fim da tarde, o governo do estado informou que também tirou o site do ar e bloqueou o acesso aos emails corporativos. Já à noite, a Secretaria Estadual de Tributação (SET) comunicou que, “por gerenciamento de riscos”, decidiu suspender preventivamente o acesso aos seus sistemas até que a situação esteja controlada e haja um ambiente virtual seguro para a retomada das operações. Durante a suspensão, o usuário não poderá acessar serviços como emissão de certidões e consultas.
Em nota, a SET disse que “trabalha pelo reestabelecimento da normalidade ainda neste final de semana, para que não haja prejuízo a prazos correntes”.
Fora do ar
No Tribunal de Justiça, a determinação também foi desligar os computadores e o sistema interno de consulta processual por precaução. O desligamento se deu por volta das 16h, de acordo com o órgão. Até o início da manhã deste sábado (13), o site do TJ permanecia fora do ar.
Apesar de o expediente ter continuado, os prazos processuais foram suspensos para efeito de contagem dos processos. Os prazos que se encerravam nesta sexta-feira foram prorrogados para a próxima segunda-feira (15), segundo a assessoria do TJRN.
Já o Ministério Público informou que "foi necessária a desativação do serviço de internet e de e-mail do MPRN através da Diretoria de Tecnologia da Informação, por medida de segurança".
No INSS, a orientação da diretoria de atendimento em Brasília foi desligar todos os computadores na regional do Rio Grande do Norte.

O Tribunal Regional do Trabalho, 21ª Região, também tirou seu site do ar.
A mesma medida de precaução foi adotada pela Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte, a Caern.
A Companhia Energética do RN (Cosern), informou a que o serviço de teleatendimento, através do número 116, está temporariamente indisponível. “O ciberataque que derrubou sistemas de telecomunicação de empresas em dezenas de países, na manhã desta sexta-feira (12), chegou também ao Brasil”, alertou.
Em nota, a empresa acrescentou: “Os clientes que necessitarem de atendimento podem entrar em contato por nossos outros canais de atendimento: www.cosern.com.br; aplicativo Cosern disponível para smartphone; SMS 26560 (nos casos de falta de energia elétrica, colocando apenas o número da conta contrato da Cosern); Agências de atendimento”.

TJRN orientou que todos os computadores fossem desligados (Foto: Reprodução)
TJRN orientou que todos os computadores fossem desligados (Foto: Reprodução)

Ciberataque
Ao menos mais 74 países tiveram empresas e usuários de internet alvos de uma série de ciberataques em "larga escala" que afetaram seus sistemas de informação, computadores e telefonia, segundo a empresa de segurança russa Kaspersky Lab. Os ataques afetaram hospitais públicos na Inglaterra e levaram a cancelamentos de atendimentos e redirecionamento de ambulâncias.
Os ataques usam vírus de resgate (ou "ransomware"), que inutilizam o sistema ou seus dados, até que seja paga uma quantia em dinheiro. A Kaspersky diz que detectou 45 mil ataques em 74 países em relatório divulgado na tarde desta sexta-feira.

Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é muito importante para nós, comente essa matéria!