Usuários Online

RÁDIO CIDADE AO VIVO

quarta-feira, maio 17, 2017

Sucateadas, portas de ambulâncias do Samu são amarradas com atadura e cinta na BA

Porta de ambulância do Samu é presa com cinta (Foto: Reprodução/TV Santa Cruz)

As portas de ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) em Ilhéus, no sul da Bahia, precisaram ser amarradas com atadura e cinta e causam riscos aos atendimentos de pacientes. Os veículos estão parados em um estacionamento do município. Vídeo e fotos mostram as condições das ambulâncias. [Veja nas imagens acima]
O problema com os veículos não é só na porta e se estende pelas ambulâncias que estão sucateadas e com freios desgastados. Por conta da degradação dos veículos, os moradores de Ilhéus e outras sete cidades da região estão sem suporte de uma unidade móvel para chegar a um hospital do município.
Em uma denúncia anônima, foi relatado que nenhuma das quatro ambulâncias que atendem o local e outros sete municípios da região está em operação.

Por conta da situação, os moradores de Ilhéus reclamam da falta de ambulâncias e contam os problemas que enfrentam para chegar à uma unidade de saúde. Foi o caso da comerciante Edileuza Santos, que mora na Vila do Cururupe, a cerca de 11 km do Hospital Geral Luiz Viana Filho, em Ilhéus.
Na manhã de segunda-feira (15), o marido dela precisou de um atendimento de emergência, só que não tinha ambulância no Samu para levar ele até o hospital. "Disseram que o carro [ambulância] estava quebrado e que era para eu ter outra solução", disse Edileuza.
A estudante Jéssica Pereira dos Santos também falou sobre a necessidade da ambulância e o sufoco de populares para socorrer um vizinho que passou mal. "Veio um paciente que está doente que os vizinhos se reuniram para trazer ele", disse.
A Secretaria de Saúde de Ilhéus informou que o município deveria ter cinco ambulâncias funcionando, três básicas e duas avançadas, mas que na segunda-feira, só uma estava atendendo.
"Nós encontramos essa gestão usando essas ambulâncias altamente sucateadas e impossibilitando o conserto. A gente precisa trocar a frota, que já tem mais de cinco anos. Estamos trabalhando na compra e manutenção da frota", disse a secretária da pasta Elizângela Oliveira.

Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é muito importante para nós, comente essa matéria!