RÁDIO CIDADE AO VIVO

Ouça pela Rádios Net ou clique na imagem abaixo

Ouça pelo Listen 2 My Rádio ou clique na imagem abaixo

Imagem relacionada
Loading ...

terça-feira, junho 27, 2017

BNDES defende afastamento da família Batista do comando da JBS

Presidente do BNDES, Paulo Rabello Castro, durante coletiva de lançamento de plataforma para MPEs (Foto: Darlan Alvarenga/G1)

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES), Paulo Rabello de Castro, defendeu nesta segunda-feira (26) a revisão da composição do conselho de administração da JBS e a discussão do afastamento da família Batista do comando da companhia. "A empresa tem que ser 100% profissionalizada", afirmou.
O empresário Wesley Batista é o atual presidente da companhia e um dos membros do conselho de administração da empresa. O pai de Wesley e Joesley, José Batista Sobrinho, é vice-presidente do conselho. Joesley renunciou à presidência do conselho de administração no fim de maio.
Castro informou que, como acionista com participação de mais de 20% na JBS, o BNDESpar solicitou a convocação de uma assembleia geral extraordinária de acionistas para discutir o assunto e também avaliar os possíveis prejuízos causados à companhia pelos atuais administradores e como a maior processadora de carnes do mundo está enfrentando o cenário atual de crise de crédito.
“Entre essas providências, eventualmente, teremos uma requalificação não só da diretoria como do conselho de administração, isso é normal, aliás, é requerido e, digo mais, é urgente, dentro das próximas semanas, e isso vai acontecer em prol da manutenção dos mais de 120 mil empregos que temos só no Brasil”, disse Castro, em entrevista em vídeo ao G1.
Ele destacou que não se trata de “nenhum sentimento persecutório”, mas sim de buscar a profissionalização de uma empresa que "ainda tem conotação familiar", embora os acionistas minoritários tenham praticamente a mesma participação da holding da família Batista.
Segundo ele, o objetivo de rediscutir a governança da empresa e a recomposição do conselho de administração é garantir que a companhia não perca valor em consequência da crise reputacional detonada após as delações dos controladores da JBS.
“Quando você tem uma megaempresa como essa de nível mundial, o correto, o ideal, mesmo que o controlador tenha dado em passos anteriores grandes e notáveis contribuições para o desenvolvimento, chega um determinado momento em que o ideal é a que a companhia esteja completamente profissionalizada e por que? Porque começam a surgir, e podem surgir em qualquer empresa, alguns conflitos de interesse entre alguém que detém 40% de uma companhia e os interesses que dizem respeito a 100% do capital acionário”, disse em entrevistas a jornalistas, em São Paulo.
“Se a companhia, além do mais, está passando por um período delicado, que é associado a figura desses administradores, mais uma razão para essa composição [do conselho] seja revista, sem nenhum intuito personalístico”, completou.
Ainda não há uma data prevista para ocorrer a assembleia.

Substituição de Wesley Batista
O presidente do BNDES afirmou ainda que, com a revisão da composição do conselho de administração, será também natural uma substituição da presidência executiva da empresa, hoje sob o comando de Wesley Batista.
“É uma discussão entre os sócios, e ela está ocorrendo através dos nossos conselheiros”, afirmou.
O BNDES é o segundo maior acionista da JBS, atrás apenas da família Batista. Eles são donos de 21,3% da empresa, por meio da BNDESpar, seu braço de participações. A FB Participações, empresa que reúne os negócios da família Batista, detém 42,5% da JBS. As demais ações estão nas mãos de minoritários.
“Manter o valor dessa companhia é nossa única e total obsessão", afirmou, detacando que o BNDEs tomará todas as medidas necessárias para garantir a "completa profissionalização da governança" da JBS.
A declaração de Castro foi feita nesta segunda em São Paulo, onde o presidente do banco anunciou a criação de um canal para micro, pequenas e médias empresas acessarem as linhas de crédito oferecidas pelo banco estatal.

Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é muito importante para nós, comente essa matéria!