RÁDIO CIDADE AO VIVO

Ouça pela Rádios Net ou clique na imagem abaixo

Ouça pelo Listen 2 My Rádio ou clique na imagem abaixo

Imagem relacionada
Loading ...

terça-feira, junho 20, 2017

Gaeco faz operação para prender 11 pessoas por desvio de dinheiro da ALMT

Ministério Público de Mato Grosso faz operação para prender 11 suspeitos de desvio na ALMT (Foto: Mayke Toscano/Gcom-MT)

Onze mandados de prisão devem ser cumpridos durante a operação ‘Convescote’, realizada na manhã desta terça-feira (20) pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público Estadual (MPE). Os alvos da operação são servidores públicos da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), do Tribunal de Contas do Estado (TCE) e do Poder Judiciário, além de empresários e funcionários de uma fundação de ensino de Cáceres, a 220 km de Cuiabá.
De acordo com o MPE, a operação investiga a atuação de uma organização criminosa que desviava dinheiro público da Assembleia Legislativa. A ALMT ainda não se posicionou sobre a operação. O TCE-MT declarou que não tem mais parceria com a fundação de ensino e que não tem relação com a gestão da instituição.
O TCE afirmou, ainda, que não fará prejulgamento em relação ao envolvimento de servidores na investigação. Por meio de nota, o TJMT informou que a operação não tem ligação direta com o Poder Judiciário de Mato Grosso e que a instituição está "acima de qualquer eventual desvio de conduta praticado por seus membros ou seus servidores, devendo, cada um, responder por seus atos".
Segundo o MPE, os 11 mandados de prisão preventiva devem ser cumpridos em Cuiabá, Várzea Grande, na região metropolitana da capital, e em Cáceres. Na mesma operação devem ser cumpridos 16 mandados de busca e apreensão, além de quatro mandados de condução coercitiva.
A ação do Gaeco pretende desarticular uma organização criminosa que saqueava os cofres públicos, especialmente recursos públicos da Assembleia Legislativa.
O desvio teria sido feito por intermédio da Fundação de Apoio ao Ensino Superior Público Estadual (Faesp), que tem sede em Cáceres. A Faesp declarou que entregou todos os documentos requisitados pelo Gaeco e declarou que a instituição está cooperando para auxiliar na operação. Em Cáceres, o Gaeco cumpre mandados de busca e apreensão.

Conduzidos na operação foram levados para a sede da Procuradoria Geral de Justiça, no MPE, em Cuiabá (Foto: Luiz Gonzaga Neto/TVCA)
Conduzidos na operação foram levados para a sede da Procuradoria Geral de Justiça, no MPE, em Cuiabá (Foto: Luiz Gonzaga Neto/TVCA)

Ainda conforme o MPE, além do crime de organização criminosa, também há indícios da prática de peculato, lavagem de dinheiro e corrupção. Entre os alvos da operação estão servidores do TCE, do Poder Judiciário, funcionários da Faesp e empresários.
Participam da operação 100 agentes de forças policiais, entre policiais civis e militares, promotores e delegados, Batalhão de Operações Especiais (Bope), Ronda Ostensiva Tático Metropolitana (Rotam), Batalhão de Proteção Ambiental (BPMPA), Força Tática de Cáceres e Várzea Grande.
Os conduzidos na operação serão levados para o prédio da Procuradoria Geral de Justiça (PGJ), do MPE, no Centro Político Administrativo, em Cuiabá. Segundo o dicionário, a palavra 'Convescote' significa piquenique.

Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é muito importante para nós, comente essa matéria!