RÁDIO CIDADE AO VIVO

Ouça pela Rádios Net

Ouça pelo Listen 2 My Rádio

Imagem relacionada
Loading ...
Loading ...

quarta-feira, junho 14, 2017

Projeto Horta nas Escolas estimula a alimentação saudável entre alunos de Natal

Projeto Horta nas Escolas aposta na dupla função pedagógica de estimular a preservação do meio-ambiente e de criar hábitos saudáveis de alimentação entre os alunos (Foto: Adrovando Claro)
Projeto Horta nas Escolas aposta na dupla função pedagógica de estimular a preservação do meio-ambiente e de criar hábitos saudáveis de alimentação entre os alunos (Foto: Adrovando Claro)

Os alunos da rede pública de Educação de Natal, além de aprenderem sobre a importância da preservação do meio ambiente em sala de aula, ganharam um reforço para ampliar os seus conhecimentos sobre o tema. Trata-se do projeto “Horta nas Escolas”. A iniciativa é promovida pela Prefeitura de Natal, por intermédio das secretarias municipais de Educação (SME) e de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb).
O projeto inicialmente vai funcionar em quatro unidades de ensino, atendendo às quatro regiões administrativas da cidade, e tendo também como diretriz incentivar a produção de espécies frutíferas e hortaliças. O intuito é despertar nos estudantes o hábito da alimentação saudável.
No projeto, a Secretaria Municipal de Educação oferece os insumos e equipamentos necessários ao cultivo e manutenção das hortas. A Semurb fica encarregada da estrutura técnica e da orientação para que professores, alunos e comunidade escolar possam preservar e manter o funcionamento do projeto. A expectativa da SME é de que o projeto seja levado ao maior número possível de escolas públicas da capital potiguar.
A secretária municipal de Educação, Justina Iva, destaca o potencial da utilização das hortas como espaço de aprendizado. “As nossas hortas podem ajudar o professor a trabalhar o conteúdo dentro da disciplina que leciona de maneira prática e dinâmica. É um projeto de extrema importância e com a parceria fundamental da Semurb”, elogia a titular da SME, que também lembra que as frutas e hortaliças colhidas no projeto serão encaminhadas para merenda escolar, propiciando aos alunos gêneros alimentícios livres de agrotóxicos.

Aluno ajuda a cuidar de um dos canteiros criados na Escola Municipal Palmira de Souza, na Zona Norte, uma das primeiras inseridas no projeto (Foto: Adrovando Claro)
Aluno ajuda a cuidar de um dos canteiros criados na Escola Municipal Palmira de Souza, na Zona Norte, uma das primeiras inseridas no projeto (Foto: Adrovando Claro)

Uma das primeiras unidades incluídas no projeto é a Escola Municipal Professora Palmira de Souza, localizada no bairro Potengi, na Zona Norte, e que atende a 510 alunos matriculados do Ensino Fundamental. A escola tem 15 canteiros para plantação e cultivo de coentro, cebolinha-verde, alface, couve-manteiga, rúcula, rabanete, salsinha, hortelã-folha-miúda, capim-santo e manjericão-orelha-de-rato, berinjela, banana, batata-doce, pimentão verde, inhame-são-tomé, quiabo, abóbora, maxixe, tomate-cereja, melancia e mamão.
Os alunos, professores e funcionários do colégio não escondem a satisfação de poder participar da ação. A estudante Ana Beatriz da Costa, de 8 anos, mostra-se empolgada com a plantação das sementes. Ela conta que adquiriu a habilidade com o pai e já plantou uma semente de cada espécie na horta da sua escola. “Eu aprendi a cultivar a horta com meu pai. Adoro cuidar. As verduras parecem que ficam mais gostosas”, afirma a estudante.
Para a diretora administrativa Luciana Barbosa, a implantação da horta vai ajudar na interação dos alunos nas aulas. “Eles vão gostar de saber que estão cuidando da produção do próprio alimento. Isso também fará com que eles adquiram novos hábitos alimentares e, consequentemente, transmitam aos familiares o que aprenderam”, aposta ela.
A secretária adjunta Semurb, Florésia Pessoa, também ressalta o caráter pedagógico do projeto Horta nas Escolas. Segundo ela, é um diferencial para toda a comunidade escolar de Natal, por ajudar a despertar nas crianças a “saudável curiosidade” pela plantação e cultivo. “Com isso, elas criarão naturalmente o interesse por uma alimentação mais saudável”, acredita Florésia Pessoa.

Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é muito importante para nós, comente essa matéria!