RÁDIO CIDADE AO VIVO

Ouça pela Rádios Net ou clique na imagem abaixo

Ouça pelo Listen 2 My Rádio ou clique na imagem abaixo

Imagem relacionada
Loading ...

segunda-feira, julho 10, 2017

Dorival é apresentado no São Paulo, elogia elenco e espera que não ocorram saídas

Dorival foi apresentado com o presidente Leco e o diretor Vinícius Pinotti (Foto: Rubens Chiri / site oficial do SPFC)

Dorival Júnior foi apresentado nesta segunda-feira como novo técnico do São Paulo. Com a missão de evitar o primeiro rebaixamento da história do clube no Campeonato Brasileiro, o treinador começa seu trabalho, de fato, no treino marcado para 15h30, no CT da Barra Funda. A estreia será na quinta-feira (19h30), diante do Atlético-GO, no Morumbi, pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro.
- Vou procurar fazer o meu melhor pelo São Paulo. Confio no trabalho e no elenco que o São Paulo tem. Estou chegando com a intenção de tentar encaminhar o que no momento não se apresenta. É uma responsabilidade grande, venho porque confio no meu trabalho e nas pessoas que estão aqui. Vou procurar fazer meu trabalho com muita intensidade. Que possamos estar fortalecidos e preparados. A cada ano, uma equipe grande sofre no Brasileiro e é preciso ter sensibilidade e fazer as coisas acontecerem de maneira positiva - ressaltou o treinador, que só tem o Brasileirão pela frente no segundo semestre, já que o São Paulo foi eliminado precocemente na Copa do Brasil e na Sul-Americana.
Dorival fez questão de elogiar o elenco são-paulino e espera que não ocorram novas saídas no início do seu trabalho. Além disso, ele deixou claro que a base terá muito espaço no seu trabalho, assim como já vinha acontecendo com o antecessor Rogério Ceni.
- Não foi feita nenhuma exigência de reforços. O elenco é bom. Mas, dentro do possível e do momento do mercado, podemos reforçar. Temos que cessar essas conversas de chegadas e saídas porque isso quebra a confiança de um grupo. Temos que olhar com carinho o que temos dentro da nossa casa. O trabalho do Rogério, nesse aspecto, era elogiável. O São Paulo sempre produziu grandes jogadores e acredito que nossos problemas podem ser resolvidos com quem está aqui dentro - ressaltou o novo comandante são-paulino.
Dorival foi demitido do Santos no mês passado, após quase dois anos de trabalho. Lá, tirou o time da zona do rebaixamento no Brasileiro de 2015 e foi vice campeão brasileiro no ano passado. Ficou em segundo também na Copa do Brasil de 2015 e conquistou o Paulistão de 2016. O Santos ainda é a única equipe brasileira invicta na Libertadores deste ano.
FICHA TÉCNICA
Nome completo: Dorival Silvestre Júnior
Data de nascimento: 25/04/1962 (55 anos)
Local de nascimento: Araraquara-SP
Clubes: Ferroviária (2002), Figueirense (2003-2004), Fortaleza (2005), Criciúma (2005), Juventude (2005), Sport (2005-2006), Avaí (2006), São Caetano (2006-2007), Cruzeiro (2007), Coritiba (2008), Vasco da Gama (2009), Santos (2010), Atlético-MG (2010-2011), Internacional (2011-2012), Flamengo (2012-2013), Vasco da Gama (2013), Fluminense (2013), Palmeiras (2014), Santos (2015-2017) e São Paulo (desde 2017)
Títulos: Campeonato Catarinense (2004), Campeonato Pernambucano (2006), Campeonato Paranaense (2008), Campeonato Brasileiro da Série B (2009), Campeonato Paulista (2010), Copa do Brasil (2010), Recopa Sul-Americana (2011), Campeonato Gaúcho (2012) e Campeonato Paulista (2016)
Veja o que mais o treinador são-paulino falou na sua apresentação
Saídas de Cueva e Rodrigo Caio
- Não tivemos nenhuma conversa sobre isso, o voo atrasou para chegar aqui e não queria atrasar a apresentação. Sobre motivar o Cueva, não tenha dúvidas de que é obrigação do treinador. Mas um profissional tem obrigação de se sentir motivado em todos os aspectos. A instituição tem que ser preservada e respeitada.
Dificuldade de trabalho no começo, com jogos na sequência
- O grande problema é que teremos um mês, 45 dias, totalmente preenchido, com jogos às quartas e domingos, passa a complicar todos nós que dirigimos. Nas equipes em que tivemos períodos de trabalho, no Santos foram três semanas abertas, isso foi fundamental para melhorar e crescer. Espero passar de maneira positiva por esse momento, tentar correções rápidas.
Análise do momento do São Paulo
- Difícil analisar sem viver dia a dia. Passo a me responsabilizar daqui para frente, para que o São Paulo tenha uma nova condição. O São Paulo teve coisas muito boas nesse período, fiz um comparativo no voo, da equipe que atuou contra o Santos no Paulista, na Vila, apenas três jogadores atuaram ontem. De repente, em cima de tudo isso, o São Paulo conseguiu coisas boas.
O que fazer no início de trabalho?
- Pensar em agilizar uma situação agora é inoportuno, temos que buscar o emergencial, mas mostrando no campo, no dia a dia, o que estamos observando. Resgatar a confiança de cada jogador para que tenhamos atuações mais consistentes, em busca de bons resultados.
Rogério Ceni
- Tenho respeito, consideração e carinho muito grande pelo Rogério, não preciso falar da história dele, que se confunde com o nome da entidade. É um profissional que sempre foi exemplar, eu quero falar com ele, não tive oportunidade na semana anterior, mas nos próximos dias, pela pessoa e profissional que ele sempre foi, pelo respeito que tenho por ele, vou conversar.
Filho auxiliar
- É uma relação estritamente profissional, meu filho se preparou, trabalhava comigo antes de sua formação, mas não diretamente em clubes. Fazendo observações, ele se preparou, assim como qualquer figura da minha comissão técnica ou da permanente do clube, tem liberdade para pontuar qualquer coisa. A última posição recai sobre o treinador, eu ouço bastante.
Qual o campeonato do São Paulo no Brasileiro?
- Acho que o São Paulo tem degraus e está na competição em condição diferente da maioria das equipes. É um campeonato de recuperação, já vi acontecer, como já vi situações se agravarem. O São Paulo tem um bom grupo, uma diretoria atenta, que trabalha com intensidade e que busca situações pontuais que deem situações melhores à equipe. Para um campeonato de recuperação, exigirá muito mais do que nós temos visto. O São Paulo não pode continuar como está.
Facilidade para trabalhar com jovens da base. Pretende ir a Cotia, trazer mais garotos?
- Já está ocorrendo essa aproximação. O treinador precisa estar dentro de Cotia também. Daqui alguns dias, vou poder observar um pouco mais. Essa integração vai ocorrer ainda mais. No Santos, era facilitado porque recebia as equipes dentro do CT. Com o São Paulo, certamente se dará porque a estrutura permite isso.
Mudanças no elenco
- Ainda acredito que o São Paulo possa fazer outro campeonato. Vai depender da mudança de postura dos jogadores. Sobre reforços, vou privilegiar o que temos aqui, mas a diretoria está atenta ao que acontece no mercado. Internamente, é difícil reforçar porque a grande maioria já estourou o limite de jogos. De fora, o problema é a data, a janela fecha rápido. Temos que estancar essas chegadas e saídas para que os atletas recuperem sua condição emocional e o time possa reagir.
Tem alguém da base que ainda está em Cotia que você pretende observar?
- Alguma coisa tem sim. Vi uma parte da última partida contra o Audax, pela Copa Paulista. Tudo isso vai acontecer de uma maneira natural. O principal agora é focarmos para que o temos aqui dentro, buscar as correções e recuperar a confiança do grupo. A partir daí, pode aparecer um garoto ou outro e, dentro de uma necessidade, poderá ter a necessidade de se apresentar.
Dia a dia. Vai fechar os treinos?
Vamos conhecer o clube primeiro. Essas deliberações ocorrerão internamente.
Vai usar o Lucão?
- Tivemos uma reunião em Florianópolis e algumas situações foram colocadas. Não chegamos a tratar os detalhes. O Lucão procurou a diretoria e foi solucionada essa questão.

Fonte: Globo Esporte

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é muito importante para nós, comente essa matéria!