Usuários Online

RÁDIO CIDADE AO VIVO

sábado, julho 15, 2017

Foto mostra Moro abatido após condenar Lula? Não é verdade!

Moro durante audiência na Câmara dos Deputados (Foto: Lula Marques/Fotos Públicas/ AGPT)
Circulam pela internet postagens de uma notícia acompanhadas de uma foto dizendo que o juiz Sérgio Moro foi flagrado debruçado, com a cabeça sobre a mesa, e aparentemente abatido após condenar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a 9 anos e 6 meses de prisão. Não é verdade.
A falsa notícia aparece com os dizeres "Flagra de Sergio Moro apos julgar Lula comove o Brasil - ele permaneceu assim, por 40 minutos". Junto da frase, aparece uma foto.

 (Foto: Arte/G1)

A foto usada na falsa notícia foi tirada em março deste ano, quando Moro esteve na Câmara dos Deputados em uma audiência para debater o Código de Processo Penal.
Já a condenação foi divulgada neste mês de julho. Na sentença, o juiz Sergio Moro cita documentos e depoimentos que comprovam que o apartamento triplex em Guarujá era destinado ao ex-presidente, diz que há 'provas documentais' e que Lula 'faltou com a verdade'. É a primeira vez, na história, que um ex-presidente é condenado por um crime comum no Brasil. Lula, que diz ser inocente, vai recorrer da decisão em liberdade.
O texto compartilhado diz que após o julgamento o juiz foi flagrado por um repórter da "BBCC" debruçado sobre sua Bíblia em cima da mesa. "No final do julgamento, Sergio Moro permaneceu sozinho na sala de audiência. Uma equipe de reportagem resolveu aguardar a saída do juiz, porém, em virtude de sua demora em sair da sala, o repórter reslveu entrar no tribunal, e se deparou com uma cena chocante", afirma a notícia.
Não há nenhuma Bíblia na imagem. A sentença condenatória também não foi dada ao fim de uma audiência, como afirma o texto. Além disso, a foto - que aparece sem o devido crédito - foi tirada pelo repórter fotográfico Lula Marques, para a Agência PT.
É ou não é?’, seção de fact-checking (checagem de fatos) do G1, tem como objetivo conferir os discursos de políticos e outras personalidades públicas e atestar a veracidade de notícias e informações espalhadas pelas redes sociais e pela web. Sugestões podem ser enviadas pelo VC no G1, pelo Fale Conosco ou pelo Whatsapp/Viber, no telefone (11) 94200-4444, com a hashtag #eounaoe (caso prefira, a hashtag pode ser enviada logo após a mensagem também!)

Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é muito importante para nós, comente essa matéria!