RÁDIO CIDADE AO VIVO

Ouça pela Rádios Net ou clique na imagem abaixo

Ouça pelo Listen 2 My Rádio ou clique na imagem abaixo

Imagem relacionada
Loading ...

quinta-feira, julho 20, 2017

MEC volta atrás e confirma ciclo do livro didático de quatro anos

PNLD terá ciclo de quatro anos a partir de 2019 (Foto: Jonas de Morais/Prefeitura de Mongaguá)Ministério da Educação (MEC) recuou na decisão de alterar o ciclo das obras do Programa Nacional do Livro e do Material Didático (PNLD) de três para seis anos, a partir de 2019. Em junho, quando o ministério publicou uma minuta que trazia a proposta prévia do edital do programa, essa era a previsão da nova duração do ciclo das obras. Porém, em nota divulgada nesta quarta-feira (19), o MEC afirmou que a vida útil das obras passará de três para quatro anos. Na nota, o órgão justifica a mudança como sendo a melhor forma de atender os alunos da educação infantil, além de representar uma economia com a reposição.
Também nesta quarta-feira, o governo federal publicou, no "Diário Oficial da União", um decreto presidencial que altera as regras do PNLD. De acordo com a assessoria de imprensa do MEC, o edital com as regras específicas do PNLD de 2019, inclusive a definição da nova duração de quatro anos para o ciclo das obras, deve ser publicado nos próximos dias.
Livros passarão a ser dos estudantes
A partir de 2019, os livros passam a ser consumíveis: as obras que os alunos do 1º ao 5º ano do ensino fundamental receberem passarão a ser propriedade deles. “Essa mudança é de extrema importância, pois traz autonomia para o aluno diante do livro, já que ele poderá usar o material da melhor maneira, rabiscando e fazendo anotações", afirmou o secretário de Educação Básica do Ministério, Rossieli Soares da Silva, em nota.
Outra mudança é que os professores da educação infantil e da educação física passarão a ser incluídos no PNLD e receberão livros de apoio para as aulas.
Nova comissão
As obras do PNLD, antes avaliadas por equipes independentes de universidades federais apontadas pelo MEC, terão uma nova comissão para serem escolhidas. As equipes, coordenadas pelo Ministério, serão compostas por especialistas de diversas áreas do conhecimento, além de professores da educação básica e superior.
“O processo continua tendo a participação de professores das universidades, mas fortalecemos a participação de professores da educação básica. São eles que utilizam o livro didático no dia-a-dia e, por isso, conseguem fazer uma avaliação sob uma perspectiva diferente, ajudando a aprimorar o programa", comentou o secretário Rossieli.
Além das equipes, o PNLD 2019 contará com uma comissão técnica, formada por especialistas e pedagogos do MEC. Os profissionais serão indicados por entidades como o Conselho Nacional de Educação (CNE), o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior no Brasil (Andifes).

Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é muito importante para nós, comente essa matéria!