Usuários Online

RÁDIO CIDADE AO VIVO

sexta-feira, julho 28, 2017

Prazo para saque das contas inativas do FGTS termina na segunda-feira (31)

Os trabalhadores que têm conta inativa do FGTS e ainda não foram à Caixa precisam se apressar. O prazo para o saque termina segunda-feira (31).
O dinheiro está guardado, esperando quase cinco milhões de pessoas que ainda não apareceram. É gente que está perdendo a chance de ficar prosa que nem dona Sidnéia.

Até o último balanço a Caixa pagou R$ 43 bilhões a 25 milhões de trabalhadores, 98,64% do valor total das contas inativas. Depois do dia 31, o dinheiro não sacado volta para o FGTS do trabalhador. Aí, para ter acesso a ele, é preciso atender a certas condições comprar um imóvel, ser demitido sem justa causa ou dar entrada na aposentadoria.
A Caixa Econômica Federal informou que as agências não abrirão no fim de semana e que na sexta (28) e na segunda (31), o expediente bancário é no horário normal. Para ninguém perder a viagem, a orientação é ir ao banco com documento oficial com foto, carteira de trabalho e número do PIS.
O passo a passo para sacar
O governo criou uma prorrogação só para casos especiais que vai até dezembro de 2018. Mas como os detalhes não foram divulgados, a orientação da Caixa é aproveitar e sacar logo.

“Essa prorrogação é para casos muito especiais. São pessoas que vão comprovar que o seu não comparecimento se deu em função de uma causa muito especial. Essas regras, essas normas técnicas serão regulamentadas na próxima segunda-feira”, explica Marcelo Bonfim, superintendente da Caixa em Minas Gerais.
O governo diz que mais da metade dos trabalhadores tem, no máximo, R$ 500 para sacar. Dona Maria da Guia enfrentou fila para buscar pouco mais de R$ 100.
“Eu já tinha olhado mesmo na internet, já tinha visto o valor lá. Então, já sabia qual a empresa que tinha. As outras empresas não tinham nada mesmo, estava retido mesmo. Então, foi só esse valor mesmo. Está bom”, conta a empregada doméstica Maria da Guia Salvador.
“Às vezes nem compensa”, afirma o artesão Adilson Costa.
“E se for muito?”, perguntou o repórter.
“Não acredito. Não é 1º de abril hoje”, diz ele, rindo.
Se dona Valdeci pensasse assim também, o filho, desempregado, não tinha botado a mão no dinheiro na hora em que mais precisava.

“Ele ficou surpreso, ele recebeu um dinheiro que ele nem esperava, um dinheiro bom. Deus abençoou”, disse a costureira Valdeci Gomes Silva.

Fonte: Jornal Nacional

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é muito importante para nós, comente essa matéria!