RÁDIO CIDADE AO VIVO

Ouça pela Rádios Net ou clique na imagem abaixo

Ouça pelo Listen 2 My Rádio ou clique na imagem abaixo

Imagem relacionada
Loading ...

quinta-feira, julho 13, 2017

Prefeitos querem discutir mudanças em hospitais


O presidente da Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte (Femurn), Benes Leocádio, defende que seja feita uma discussão prévia com as prefeituras de Canguaretama; Caraúbas; João Câmara; Acari; São Paulo do Potengi; Angicos e Apodi, antes de qualquer mudança nos hospitais da rede estadual instalados nessas cidades. "O Ministério Público apurou, Tribunal de Contas do Estado fez auditoria e mostrou a dificuldade de hospitais que nós somos conhecedores. Mas os prefeitos não foram ouvidos para que se avaliasse o impacto da assinatura desse TAC (Termo de Ajustamento de Conduta, firmado entre Ministério Público do Trabalho (MPT), Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) e Governo do Estado neste mês).

Os prefeitos dos sete municípios manifestaram preocupação ao presidente da Femurn em relação às mudanças previstas. Segundo o representante dos gestores municipais, a falta de definição de quais serviços serão afetados é a constante reclamação dos prefeitos e da população. O presidente alertou que a municipalização dos hospitais pode gerar uma sobrecarga financeira que os municípios não podem arcar neste momento. "A maioria dos municípios estão com economias exauridas para assumir novas cargas", avaliou Benes. O estudo sobre a readequação dos sete hospitais estaduais deve começar nos próximos dias e será feito pela Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap/RN), de acordo com o TAC.

O presidente da Femurn explicou que a deficiência e dificuldades pelas quais passam alguns hospitais não é justificativa para um possível fechamento. BenesLeocádio afirmou que é a favor de que reformas sejam feitas, desde que não seja necessário fechar nenhuma unidade hospitalar. "Porque não suprir deficiências desses locais, na hora temos dificuldades, mas nada justifica excluir ou fechar espaços de saúde em todo o país. Deveria acontecer um esforço dos poderes para que a gente encontre saída seja de continuidade das atividades dos locais", disse Benes.

Fonte: Femurn

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é muito importante para nós, comente essa matéria!