RÁDIO CIDADE AO VIVO

Ouça pela Rádios Net

Ouça pelo Listen 2 My Rádio

Imagem relacionada
Loading ...
Loading ...

sábado, agosto 05, 2017

Servidores da saúde decidem encerrar greve após 36 dias de paralisação

Governo se comprometeu em lançar edital de concurso no mês de setembroOs servidores da saúde do Estado reuniram-se nesta sexta-feira (04), para avaliar as negociações e a greve iniciada no dia 30 de junho. O Sindsaúde apresentou um documento assinado pela secretária da Casa Civil, Tatiana Mendes, com compromissos assumidos nas audiências.

A maioria dos presentes à assembleia decidiu suspender a greve e retornar ao trabalho na próxima troca de plantão, às 19h.

O Governo se comprometeu em publicar o edital do concurso público até o dia 15 de setembro e a realização das provas e convocação dos aprovados ainda neste ano. O total de vagas oferecidas – 402 – não foi ampliado.

Também foi acordada a implantação da mudança de nível de 2016 até novembro. A de 2015 – pauta da greve passada – será implantada na próxima folha, com retroativo a junho. O Governo também se compromete a retomar o pagamento mensal de lotes no valor de R$ 250 mil, referente à dívida do IPERN com os servidores, interrompido há dez meses.

O Governo não deu respostas sobre a normalização do calendário de pagamento e não retirou o Projeto de Lei que está na Assembleia Legislativa, e que prevê o aumento de 3% na contribuição dos servidores ao Ipern. No entanto, a Casa Civil se comprometeu a manter o texto sem tramitar, recolocando em pauta caso a PEC da Previdência seja aprovada no Congresso Nacional.

Os servidores também decidiram manter a campanha em defesa dos hospitais regionais, ameaçados de fechamento ou de mudança de perfil, e contra a reforma da Previdência, que deve ser votada no segundo semestre.

Uma nova assembleia será realizada em aproximadamente 30 dias, para avaliar a implantação dos compromissos. Também foi aprovada a ampliação da comissão que revisa a Lei da Produtividade, com o objetivo de corrigir as distorções atuais e distribuir os valores de forma mais justa entre hospitais e funções.

Fonte: O Mossoroense

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é muito importante para nós, comente essa matéria!