Usuários Online

RÁDIO CIDADE AO VIVO

Loading ...

domingo, julho 16, 2017

132º Homicidio em Mossoró 2017: Jovem é executado a tiros de escopeta 12 na Favela do Fio

Um jovem identificado como Henrique Eduardo Teixeira Lira Júnior de 20 anos de idade, sem antecedentes criminas, foi assassinado a tiros de escopeta calibre 12 na Favela do Fio, zona Oeste de Mossoró,RN.

O crime aconteceu por volta das 23h05min deste sábado 15 de julho de 2017, na Travessa Petrônio Portela confluência com a Rua José Malaquias naquela Favela.

A vítima trafegava de bicicleta, quando foi surpreendida pelos atiradores. O jovem soltou a bicicleta e tentou correr, mas foi perseguido e alcançado pelos criminosos que o executaram. Henrique Eduardo foi atingido por três tiros e morreu no local.

Moradores ouviram vários disparos de arma de fogo e acionaram a Polícia Militar, através do telefone 190. As VTRs 235 (da área) e a Força Tática foram acionadas pelo COPOM e depois de buscas na região,conseguiram localizar o corpo do jovem que estava estendido ao solo em um pequeno terreno baldio.

No local ninguém soube explicar o que realmente aconteceu naquela localidade, mas a polícia acredita que o crime tenha ligação com disputa de facções criminosas pelo controle do tráfico de drogas na região e que matam até pessoas inocentes para demonstrar o poder de força. Os moradores disseram para a polícia que neste sábado várias ocorrências de disparos de arma de fogo foram registradas naquela Favela.

De acordo com informações, a cerca de dois meses atrás, ou seja no dia 15 de maio desse ano,Henrique Eduardo, sofreu um atentado a bala, no mesmo local, onde foi morto na noite de hoje. Segundo a familia o mesmo ainda estava se recuperando dos ferimentos provocados pelos tiros.(RELEMBRE)

Após a perícia realizada pela equipe do ITEP acompanhada pela Polícia Civil, o corpo do jovem foi removido para o setor de medicina legal, onde será necropsiado e depois liberado para sepultamento.

Henrique Eduardo Teixeira Lira Júnior foi a 132ª vítima da Conduta Violneta Letal Intencional em Mossoró neste ano de 2017. O crime será investigado pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).








Fonte: Fim da Linha
Leia Mais ››

Casal é preso praticando tiro ao alvo em Pau dos Ferros/RN

Uma viatura de RP do 7º BPM, comandada pelo cabo Ailton, no final da tarde desta sexta-feira(14) foi informado através do COPOM que populares informaram que estavam havendo disparos de arma de fogo nas proximidades Rio Apodi no Bairro Beira Rio, em Pau dos Ferros/RN. 

De imediato os militares foram ao local e avistaram um casal no local indicado, onde realizaram a abordagem no homem identificado como sendo Simão Alves Batista, encontrando em sua cintura um revólver calibre 32, sem munições , sendo encontrada ainda uma capsula deflagrada, um cigarro de maconha, indagado pelos policiais sobre a arma, ele disse que é de sua propriedade e que estavam no local praticando tiro ao alvo e ensinando a sua namorada a atirar, sabendo que ela é menor de idade. 

Por estar praticando tiro ao alvo em um local inadequado, colocando a vida de pessoas em risco, foi dado voz de prisão e conduzido a Delegacia de Polícia para as providencias cabíveis.

Fonte: Nosso Paraná RN
Leia Mais ››

RP do 7º BPM age rápido e prende homem após desferir golpe de faca contra desafeto em Pau dos Ferros/RN

PM’s da RP do 7º BPM prendeu na noite desta sexta-feira(14) por volta das 19h40, o suspeito de aplicar um golpe de faca no antebraço esquerdo da pessoa de Alex Alexandre da Silva, 25 anos, residente no Manoel Deodato em Pau dos Ferros/RN.

Emanoel Nelzimar da Silva, 39 anos, conhecido como Leuzin após praticar a ação delituosa adentrou em sua casa no mesmo bairro, momento que a PM agiu com rapidez e cercou a residência, prendendo o acusado ainda de posse da faca suja com sangue. O mesmo ainda tentou reagir a prisão mas logo foi contido pelos militares.

Vítima e acusado, foram conduzidos para HRCCA de Pau dos Ferros e em seguida apresentados a Autoridade policial para as medidas cabíveis.

A PM não relatou o motivo da lesão corporal.

Fonte: Nosso Paraná RN
Leia Mais ››

Acusado de latrocínio é morto a tiros na zona rural de Carnaubais

Imagem
O crime aconteceu no início da noite de hoje, 15 de julho, no Sitio Casinhas, zona rural de Carnaubais, região do Vale do Assú, no Rio Grande do Norte.

Segundo informações, elementos encapuzados chegaram na residência da vítima num carro e efetuaram vários disparos. Eduardo Caetano foi alvejado e morreu no local.

Eduardo, segundo informações, era um dos envolvido na morte do Crediarista Mudo, crime ocorrido no dia 07 de julho de 2015, na RN-016 na comunidade de Poré, na zona rural de Assú.

Fonte: Focoelho
Leia Mais ››

Motoqueiro morre vítima de colisão carro com moto na BR 304

Imagem

Uma colisão frontal envolvendo um veículo tipo Siena de Natal, com uma motocicleta com placa de Angicos, terminou com a morte do motociclista, Edivan Rodrigues Fonseca, de 31 anos de idade, no início da tarde de hoje, 15 de julho.

O acidente aconteceu próximo ao Km 140, da BR-304 na zona rural de Angicos.

Segundo informações, Edivan Rodrigues, que conduzia a motocicleta, é de Natal e estava indo visitar seus pais que moram na comunidade de Caraú, na zona rural de São Rafael. Ele morreu no local.

Os veículos ficam totalmente destruídos. A Policia Rodoviária Federal realizou os procedimentos no local e acionou a equipe de plantão no Itep em Mossoró, para a perícia e remoção do corpo.

Fonte: O Câmera
Leia Mais ››

Homicida foragido da justiça é preso pela Polícia Militar portando arma de fogo em Areia Branca


Um homicida e foragido da Justiça identificado como Fábio Tayran Lopes de Lima, o "Peixe", foi preso na tarde deste sábado 15 de julho após uma abordagem da Polícia Militar na cidade de Areia Branca RN
O homicida e assaltante estava armado com um revolver calibre 38 municiado, mas não reagiu a prisão. De acordo com a PM o indivíduo se encontrava em companhia de duas mulheres e estavam em atitude suspeita, na Rua Antônio Calazans em Areia Branca, quando foram abordados pela guarnição comandada pelo Sargento Kennedy com apoio do Cabo Wescley.

Após ser preso, "Peixe" foi conduzido à Delegacia da Polícia Civil de Plantão em Mossoró, para os procedimentos cabíveis. Na Delegacia foi constatada a existência de uma mandado de prisão em aberto, expedido pela comarca de Areia Branca por homicídio.

Fábio Tayran é acusado de matar a tiros a pessoa de Rivanilson de Oliveira da Silva de 24 anos, crime ocorrido no dia 15 de abril desse ano em Areia Branca (RELEBRE). Além de homicídio, ele também responde na justiça a processos por porte ilegal de arma e roubo majorado, este último na comarca de Mossoró.


Fonte: Fim da Linha
Leia Mais ››

Policias Militar e Civil realizam Operação Saturação de combate a criminalidade na região Oeste Potiguar.


A Polícia Militar das regiões Oeste e Vale do Açu Potiguar realizam desde a última quarta feira (12) uma operação denominada de "Saturação" com objetivo de combater a criminalidade no interior do estado.

A operação que envolve o 2º, 7º, 10º e 12º Batalhões da Policia Militar e que conta com apoio total da Polícia Civil, atua nas cidades das duas regiões e já apresenta resultados positivos.

Na cidade de Baraúna a operação saturação apreendeu um revolver calibre 38 com numeração raspada. O suspeito que estava portando a arma conseguiu fugir.

Em Caraúbas, as forças de segurança envolvida na Operação Saturação prenderam em flagrante delido dono do “Bar Passa e Fica” localizado as margens da RN 117, suspeito de envolvimento com o tráfico de drogas.

Misael Januário dos Santos de 38 anos, conhecido como Nenenzinho do Caberé foi pego com 55 pedras Crack embaladas para comercialização, além de 68 gramas da droga inatura, 01 balança de precisão, 01 trouxinha de maconha, 01 relógio, 01 celular, sacos plásticos e 206,00 reais em dinheiro fracionado. 

O dono do Caberé foi encaminhado à Delegacia da Policia Civil de Patu, onde foi autuado por trafico de droga e ficou a disposição da justiça.

De acordo com o Tenente-Coronel Humberto Pimenta, comandando do 12º BPM com sede em Mossoró, a operaçaão saturação na região Oeste está sendo realizada em cidades com alto índice de criminalidade, como Caraúbas, Campo Grande, Upanema, Apodi, Gov. Dix-Sept Rosado, Patu, Antônio Martins, Lucrécia, Frutuoso Gomes, Alexandria e Baraúna e Mossoró.

De acordo com informações a partir da próxima segunda feira, (17), a operação saturação será reiniciada com força total em outras Cidades da Região Oeste Potiguar, como também na Região Costa Branca do Estado.


Fonte: Fim da Linha
Leia Mais ››

Relator da reforma política quer vetar prisão de candidato até 8 meses antes do pleito

O relator da reforma política na Câmara, deputado Vicente Cândido (PT-SP), articula incluir em seu parecer um dispositivo para impedir que candidatos sejam presos até oito meses antes das eleições. A informação foi publicada neste sábado (15) o jornal "O Estado de São Paulo".
As mudanças nas regras para as eleições estão sendo discutidas em três comissões da Câmara. Vicente Cândido é o relator em duas delas.
Atualmente a lei diz que 15 dias antes das eleições candidatos não poderão ser detidos ou presos, salvo o caso de flagrante delito. De acordo com o "Estadão", Vicente Cândido propõe dois novos artigos que mudariam a lei eleitoral e o código eleitoral.
O deputado incluiu no relatório a figura da "habilitação prévia de candidatura", estabelecendo que a habilitação deve ser feita entre 1º de fevereiro e 28 de fevereiro do ano da eleição. É esse o período que o político terá para solicitar o certificado à Justiça, que poderá concedê-lo até 30 de abril.
Segundo "Estado de São Paulo", o deputado admitiu que a ampliação desse prazo, se aprovada, beneficiaria o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, caso haja condenação do político em segunda instância.
Segundo o relator, a mudança “blindaria” não só Lula, mas outros políticos investigados por suspeita de corrupção. Seria uma arma contra o que o parlamentar chama de "período de judicialização da política".
Procurado pelo G1, Vicente Cândido enviou uma fala por meio de sua assessoria de imprensa e confirmou que incluiu o dispositivo no parecer, com a concordância de membros da comissão. Ele ressaltou que não houve pedido do PT nem de Lula para a redação do artigo.
O deputado justificou que a medida visa evitar abusos. “Estamos vivendo um momento muito anormal no Brasil, de muita judicialização da política, de uma política muito policialesca”, avaliou.
A proposta gerou reação no Congresso. O senador Álvaro Dias (Pode-PR), criticou a tentativa de mudar o prazo para prisão de candidatos. Para ele, a medida é oportunista.
“Seria uma espécie de lei ‘ficha suja’, na contramão da Lei da Ficha Limpa. Nós estaríamos consagrando a defesa da corrupção e do corrupto através do parlamento. Seria uma desmoralização para o Congresso Nacional”, disse.
A comissão especial da reforma política tem reunião marcada para o dia 3 de agosto, logo depois do fim do recesso. Na reunião, o terceiro relatório parcial da reforma deve ser discutido e votado. Para que tenha validade já para as próximas eleições, em 2018, a nova regra tem que ser aprovada pelo Congresso até setembro.
Se aprovado, o dispositivo reduziria o prazo para que, caso o Tribunal Regional Federal da quarta região condene os investigados pela Operação Lava Jato, houvesse prisão.
Para o desembargador João Pedro Gebran Neto, relator da Lava Jato no tribunal, a condenação na turma já impediria as candidaturas.
“A legislação eleitoral torna uma pessoa inelegível assim que seja julgado na turma”, afirmou.
“Na turma é o suficiente. Em direito é muito difícil a gente falar em ‘é’. A gente sempre, tem de falar em ‘pode ser’. Porque nada impede que tenham incidentes dentro da Justiça Federal ou fora, lá na Justiça Eleitoral. Mas, em princípio, o que eu tenho que dizer é que o julgamento da turma é o suficiente para fins e consequências eleitorais", enfatizou.

Fonte: G1
Leia Mais ››

Maia diz que não vai postergar análise da denúncia contra Temer

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, descartou neste sábado (15) ao blog postergar a votação da denúncia contra Michel Temer no plenário da Câmara, se a Casa não atingir o quórum de 342 deputados no dia 2 de agosto. 

Maia diz que aplicará efeito administrativo, ou seja, dará falta para o deputado que se ausentar. E, se não houver quórum no dia marcado para a votação, vai pautar novamente em agosto até que o quórum seja atingido. 

"A expectativa deste assunto precisa ter fim ainda em agosto. O quórum precisa ser elevado. Se não tiver quórum no dia 2, vou repautar ainda em agosto. Mais para o meio de agosto do que para o fim, até porque ninguém quer esta situação. Não podemos deixar o governo nessa situação, pendurado", disse Maia. 

Fonte: G1
Leia Mais ››

Defesa de Lula entra com recurso contra condenação na Lava Jato

Lula foi condenado em ação da Operação Lava Jato em Curitiba (Foto: Reprodução GloboNews)

A defesa do Luiz Inácio Lula da Silva apresentou na sexta-feira (14) o primeiro recurso contra a sentença do juiz Sérgio Moro, que condenou o ex-presidente a 9 anos e seis meses por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
O ex-presidente foi condenado em processo que investigou se o apartamento no Guarujá, litoral de São Paulo, era propina paga pela OAS a Lula por contratos firmados pela empresa na Petrobras. Lula nega as acusações, e na avaliação dos advogados que o representam, Moro teve atuação política na sentença.
De acordo com a petição protocolada pelos advogados no sistema eletrônico da Justiça Federa, no Paraná, a intenção é "suprir as omissões, contradições e obscuridades" da sentença. Este recurso apresentado chama-se embargos de declaração e é usado como instrumento por advogados justamente para solicitar ao juiz revisão de algum ponto da sentença.
Neste sábado (15), a força-tarefa da Operação Lava Jato no Ministério Público Federal (MPF) afirmou que o recurso é um rito normal do processo e que, conforme já divulgou, vai recorrer da sentença. O juiz Sérgio Moro afirmou que vai se manifestar nos autos do processo.
Os advogados questionam pontos da sentença - veja:
omissão no tocante às afirmações feitas pelo juízo em relação ao ex-presidente Lula e sua defesa;
negativa de juntada de documentos como contratos da Petrobras. A defesa fala em cerceamento de defesa;
desqualificação de declarações de testemunhas de defesa;
desqualificação de instrumentos de auditoria, interna e externa, que não detectaram atos de corrupção ligados ao ex-presidente;
omissão quanto à transferência do empreendimento para a OAS;
omissão quanto ao exercício das faculdades inerentes à propriedade do tríplex pela OAS e pela desconsideração de elementos de prova que mostram que o ex-presidente jamais teve a propriedade ou a posse do imóvel;
omissão quanto à origem do dinheiro usado para o custeio do tríplex e para as reformas;
contradição ao defender imparcialidade, desrespeitando diversas vezes o ex-presidente e a sua defesa;
omissão sobre equívocos apresentados em reportagem do jornal “O Globo”, apontados nas alegações finais do ex-presidente;
omissões quanto à pena aplicada
Este recurso é analisado pelo próprio juiz Sérgio Moro – não existe prazo definido para isso. Enquanto não houver decisão, o prazo para apelação, que é outro recurso analisado no Tribunal Regional Federal (TRF 4ª Região), em Porto Alegre, fica suspenso.
"O cenário apresentado pela sentença se torna ainda mais temerário quando se verifica que este juízo, na ausência de provas da acusação, toma como verdadeiras as afirmações de pessoas que, por circunstâncias diversas, não merecem maior credibilidade nas afirmações lançadas nestes autos – como o colaborador Delcídio do Amaral, além de Pedro Corrêa e Léo Pinheiro", diz trecho do recurso.
Ainda de acordo com os advogados de Lula, a sentença tem “fundamentação” alicerçada nas declarações do corréu e aspirante a delator Léo Pinheiro.
Outros processos de Lula
O ex-presidente é réu em outras duas ações da Lava Jato: uma ligada à Operação Janus, que trata de contratos no BNDES, e outra relacionada à Operação Zelotes, que apura venda de medidas provisórias.
Lula também foi denunciado no caso envolvendo o sítio em Atibaia, no interior de São Paulo, no âmbito da Lava Jato.
Ele é alvo ainda de dois inquéritos na Lava Jato: um sobre a formação de organização criminosa para fraudar a Petrobras, e outro sobre obstrução das investigações ao tomar posse como ministro de Dilma. Na Zelotes, ele é investigado em inquérito sobre a edição da medida provisória 471, que criou o Refis.

Fonte: G1
Leia Mais ››

Manifestantes fazem protesto durante casamento de deputada estadual do Paraná

Manifestante pede mais saúde, educação e cultura (Foto: Carolina Wolf/RPC)
Um grupo de manifestantes realiza um protesto em frente à Igreja do Rosário, no Centro de Curitiba. O local deve ser palco do casamento da deputada estadual Maria Victoria (PP), que é filha da vice-governadora do Paraná, Cida Borghetti e do ministro da saúde Ricardo Barros.
O protesto foi organizado pelas redes sociais e teve a participação de movimentos sindicalistas. Até a última atualização desta reportagem, ainda não havia um número oficial de participantes.
O casamento virou notícia por causa da festa, que deve ocorrer no Palácio Garibaldi, que fica a alguns metros da igreja. O espaço recebeu uma estrutura metálica para acomodar os convidados. No entanto, a montagem da estrutura começou a ser feita sem autorização dos órgãos de controle, já que o prédio é tombado pelo Patrimônio Histórico do Paraná.
Após vistorias, a Secretaria de Estado da Cultura disse que iria liberar o casamento, mas deve aplicar uma multa contra a Associação Giuseppe Garibaldi, dona do espaço, pela intervenção na fachada do prédio.
A Polícia Militar acompanha o ato. Segundo a assessoria da PM, a presença dos policiais foi ocasional, devido à Operação Hermes, que visa aumentar a segurança em ruas do centro de Curitiba.
Conforme a PM, a operação começou na quinta-feira (13), com o reforço de policiais e carros na região da Praça Tiradentes, que fica a algumas quadras do local do casamento. Ao detectar o protesto, os policiais se deslocaram ao local, para garantir a segurança.
A PM disse ainda que respeita o direito de manifestação dos cidadãos e só interfere se algo fugir à normalidade.

Polícia Militar (PM) acompanha protesto (Foto: Carolina Wolf/RPC)
Polícia Militar (PM) acompanha protesto (Foto: Carolina Wolf/RPC)

Fonte: G1
Leia Mais ››

Acusado de matar prefeito de Alto Paraíso de Goiás é condenado a 19 anos de prisão

Júri popular condena a 19 anos de prisão acusado de matar prefeito de Alto Paraíso de Goiás  (Foto: Divulgação/MP-GO)Acusado de matar o prefeito de Alto Paraíso de Goiás Divaldo Willian Rinco durante seu mandato, em 2010, Ary da Abadia Garcez foi condenado a 19 anos de prisão pelo crime. De acordo com a denúncia do Ministério Público, a vítima levou três tiros nas costas. A motivação do homicídio teria sido uma rixa política entre os dois ocorrida nas eleições daquele ano.
A sessão, que foi presidida pela juíza Ana Tereza Waldemar da Silva, durou mais de 14h e ocorreu na quinta-feira (13), no Fórum da cidade, no norte do estado. A defesa alegava negativa de autoria.
O G1 tentou contato com os advogados de Ary, mas as ligações não foram atendidas até a publicação desta reportagem.
Já o MP informou que vai recorrer da decisão, pois quer que a pena aplicada ao condenado seja aumentada.
Crime
Divaldo foi assassinado no dia 2 de setembro de 2010, em frente a um comércio da cidade. Segundo a denúncia, o prefeito conversava sobre assuntos políticos três pessoas em um bar. Ao sair do local, foi chamado por Ary para uma conversa.
Quando o diálogo se encerrou, o político foi alvejado nas costas. A investigação na época apontou que os dois eram antigos adversários políticos e que o crime foi cometido por divergências entre candidatos ao cargo de deputado federal que cada um apoiava.
Divaldo estava em seu terceiro mandato. Ele já havia sido prefeito da cidade anteriormente de 1993 a 1996 e de 2001 a 2004.

Fonte: G1
Leia Mais ››

Incêndio destrói 13 veículos em pátio em São José dos Campos, SP

Incêndio em pátio deixa 13 veículos destruídos em São José dos Campos (Foto: Rafael Vianna/TV Vanguarda)
Um incêndio destruiu 13 veículos na tarde deste sábado (15) em um pátio na divisa entre Jacareí e São José dos Campos. Ninguém ficou ferido.
De acordo com o Corpo de Bombeiros, o incêndio começou em um matagal na beira da Dutra e chegou até o pátio. Ao todo, foram 12 carros queimados e uma moto.
Os bombeiros levaram cerca de 30 minutos para apagar as chamas dentro do pátio e no mato – sete homens participaram da ocorrência.
Neste sábado, os bombeiros atenderam 26 ocorrências de queimadas na região - ninguém se feriu. Em dois pontos, um às margens da Dutra, em São José dos Campos, e outro na Dom Pedro, em Jacareí, a fumaça invadiu as pistas e atrapalhou a visibilidade dos motoristas. (veja vídeo abaixo)
A administração do Pátio União disse que os veículos queimados eram unidades arrematadas em leilões como sucata. Um dos serviços da unidade é guardar veículos de responsabilidade do Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran), como carros e motos apreendidas, ou veículos que foram ou serão leiloados.
O Detran informou em nota que os proprietários dos veículos queimados "serão ressarcidos e para isso devem entrar em contato com o proprietário do pátio", disse.
Estiagem
De acordo com o tenente do Corpo de Bombeiros João Bosco Santos, a previsão é que de aumento de queimadas nos próximos dois meses por causa do tempo seco e pouca chuva.
“Entramos neste período de estiagem agora e nos próximos meses devemos ter mais focos de incêndio. Temos outras ocorrências acontecendo hoje na região, mas essa é a de maior gravidade”, afirmou.
O motorista João Batista Danga, 45 anos, viu um ponto de queimada na altura do km 5 da antiga Dom Pedro. "Fiquei no meio de uma nuvem de fumaça, uma situação muito perigosa", disse.
Informações sobre incêndio podem ser avisadas para os bombeiros pelo telefone 193.

Fonte: G1
Leia Mais ››

Fabricante americano de próteses admite propina a médicos brasileiros

Uma investigação nos Estados Unidos revelou que um dos maiores fabricantes de próteses do mundo pagava propina para médicos brasileiros usarem seus produtos em pacientes do SUS.
Os médicos faziam cirurgias desnecessárias só para ganhar mais.
A dor na coluna incomodava, mas foi a sentença rápida do médico que assustou: “Ele disse que eu precisaria operar”.
Um segundo médico descartou a necessidade de cirurgia e o problema foi resolvido com fisioterapia: “Estou super bem, tranquila”.
Mas não se sente segura para mostrar o rosto, tem medo da chamada “Máfia das Próteses”.
Essa máfia foi denunciada em 2015 numa reportagem do Fantástico que mostrou que representantes dos fabricantes de materiais usados em cirurgias ortopédicas, neurológicas e cardíacas pagavam comissões para que médicos indicassem o uso de seus produtos.
Quanto mais cirurgias esses médicos e hospitais fazem e quanto mais parafusos, placas, stents e outros implantes eles usam, mais ganham. Uma lógica boa para o bolso de alguns e péssima para os pacientes.
“Decidi entrar nessa luta porque cansei de ver pacientes operados sem necessidade e, como eu costumo dizer, uma cirurgia mal indicada, por melhor que seja a técnica, o resultado será ruim”, disse o ortopedista Edmund Barras. 
Uma vitória importante contra a máfia das próteses aconteceu recentemente, mas na Justiça dos Estados Unidos. Um dos maiores fabricantes de implantes cirúrgicos admitiu, num acordo de leniência nos Estados Unidos, que lucrou mais de US$ 3 milhões pagando propina para que médicos do Brasil, do SUS usassem seus produtos. Agora representantes dos planos de saúde estão se valendo dessa confissão para um novo processo.
O acordo de leniência assinado nos Estados Unidos e outros documentos que mostram a ação inescrupulosa de quem lucra com superfaturamento e cirurgias desnecessárias estão no processo movido contra oito fabricantes na Justiça americana.
“Nós queremos um pacto com essas empresas para que elas parem de pagar propina para os médicos no Brasil, porque não é lícito, não é justo que o médico insista em colocar um produto só porque ele está ganhando R$ 5 mil, R$ 10 mil da indústria para colocar aquele produto. Isso não se chama comissão, se chama suborno. Isso é propina”, afirma Pedro Ramos, diretor da Associação Brasileira de Planos de Saúde.
Estudo da Anvisa mostra que os preços dos mesmos materiais cirúrgicos chegam a variar mais de 3.000% no Brasil. Notas fiscais mostram que um componente para implante em osso pode custar pouco mais de R$ 8 mil em Porto Alegre, R$ 9 mil em Recife e mais de R$ 26 mil no interior de São Paulo. A ação de distribuidores que pagam comissões ou propinas encarece os procedimentos para o SUS e para os planos de saúde.
Sobrecarrega também a Justiça. A quantidade de processos de alguns médicos e advogados insistindo no mesmo tipo de cirurgia e com os mesmos materiais chamou a atenção de juízes que monitoram ações no Tribunal de Justiça de São Paulo. Perícias médicas que começaram a ser pedidas em 2016 revelaram que a máfia das próteses continua em ação no Brasil.
“Do ponto de vista da Corregedoria Geral da Justiça, essas ações são negativas, não apenas por encaminharem erroneamente uma parte para uma cirurgia ou um procedimento desnecessário, mas especialmente por capturarem nossa capacidade de trabalho para demandas, digamos assim, inexistentes. Demandas que são forjadas, ou que são orientadas, fomentadas não para solução de um problema de saúde, mas eventualmente por prestígio econômico de um personagem ou outro, de um médico ou de um advogado”, explicou Ana Rita de Figueiredo Nery, juíza da Corregedoria do Tribunal de Justiça de São Paulo.
As denúncias dos corregedores e da Abramge foram encaminhadas para OAB, Conselho Regional de Medicina, Ministério da Saúde e Polícia Federal. Há no Congresso Nacional projetos de lei para coibir a ação da chamada “Máfia das Próteses”. Dela os pacientes, por enquanto, só têm uma maneira de tentar se proteger.
“Eu sou da opinião que se deve sempre ouvir uma segunda opinião. Ou mesmo uma terceira se for preciso. Acho que ouvir mais de uma opinião é fundamental na decisão cirúrgica”, disse o ortopedista Edmund Barras.
O Ministério da Saúde afirmou que já deu parecer favorável ao projeto de lei que está na Câmara e que criminaliza as fraudes com órteses e próteses. O Ministério da Saúde também declarou que encaminhou as denúncias feitas pela Associação Brasileira de Planos de Saúde para Polícia Federal e outros órgãos de controle.

Fonte: Jornal Nacional
Leia Mais ››

Delegado descarta 'tortura' e diz que caso de jovem obrigada a andar nua por Barretos foi motivado por vingança

Mulher raspou as sobrancelhas da jovem dentro do carro em Barretos, SP (Foto: Reprodução)Diferente do que defende a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Barretos (SP), a Polícia Civil descarta a possibilidade de tratar como crime de tortura o caso da jovem de 18 anos que foi obrigada a circular pela cidade nua, com a cabeça e a sobrancelha raspadas (veja vídeo abaixo).
Para o delegado Marcos Eduardo Marques, a agressão foi motivada por vingança: a agressora descobriu que o marido mantinha um relacionamento com a vítima desde março desse ano. O homem está preso no Centro de Detenção Provisória de Taiúva (SP).
“A intenção da autora foi mais motivado pela vingança. Ela não fez para ter uma certeza, uma confissão. No fundo, essa certeza ela já tinha. O que ela fez foi se vingar da vítima. Raspar a cabeça, tirar a roupa e soltar ela nua pela rua foi uma maneira de humilhar”, disse.
O inquérito instaurado pelo delegado apura os crimes de lesão corporal, sequestro e cárcere privado qualificado, uma vez que causou sofrimento físico e moral à jovem. Marques não descarta, porém, que outros crimes sejam incluídos no inquérito conforme a investigação avançar.
“Pelas declarações da vítima, o que poderia caracterizar crime de tortura é que a investigada exigia que ela confessasse que tinha um relacionamento com o marido dela. No crime de tortura, você provoca sofrimento, dor, para extrair confissão. Não sei se isso seria enquadrado nesse caso. Por hora, acho forçado”, completou.
O delegado afirmou ainda que aguarda o depoimento das testemunhas de defesa para ouvir a agressora, mas disse não acreditar que ela vá negar o crime, uma vez que aparece nos vídeos – publicados na internet por ela mesma – em que a jovem está sendo humilhada.
“Creio que ela vá confessar o crime até pelo fato de que o tiro saiu pela culatra. A intenção dela era realmente divulgar o que fez. Foi ela que publicou, então, ela quis mostrar o que ela fez, de maneira que agora não tem como negar”, disse.

O crime
O crime ocorreu em 22 de junho. Em depoimento, a jovem disse à Polícia Civil que tentou fugir e se esconder dentro da casa de um cunhado, ao perceber que seria atacada, mas foi retirada do local à força pela agressora.
A vítima foi levada pela mulher e por outras duas amigas dela até uma área próxima ao aeroporto, onde foi obrigada a ficar nua e teve os cabelos cortados. A jovem contou que, em seguida, foi exibida naquelas condições em pontos de tráfico de drogas.
O caso passou a ser investigado após a divulgação dos vídeos na internet em que a vítima aparece sendo humilhada pela agressora. Nas imagens, a mulher dirige o automóvel, enquanto a jovem está nua no banco do passageiro, com a cabeça raspada.
“Ainda bem que você não quer ele. Ele pode ficar com qualquer uma, menos com você, porque você é tirada da favela. Apesar de que ele também, né?! Dois tirados da favela não dá nada”, diz a mulher ao volante.

Jovem foi obrigada a circular pelas ruas de Barretos nua, com a cabeça e a sobrancelha raspadas (Foto: Reprodução/EPTV)
Jovem foi obrigada a circular pelas ruas de Barretos nua, com a cabeça e a sobrancelha raspadas (Foto: Reprodução/EPTV)

Em seguida, a agressora estaciona e pede para uma amiga, que está no banco traseiro e grava o vídeo com um celular, descer do veículo e comprar um aparelho de barbear descartável. Depois, ela raspa a sobrancelha da vítima.
Ao Jornal da EPTV, o pai da agressora, que se identificou apenas como Olavo, disse que a filha está arrependida do que fez e contou que soube do caso depois que o vídeo já havia sido publicado na internet.
A família da vítima também foi procurada pelo Jornal da EPTV. Uma prima da jovem, que preferiu não se identificar, disse apenas que todos estão chocados com o que aconteceu. A avó se negou a falar sobre o caso.

Fonte: G1
Leia Mais ››

Atriz Rogéria respira com ajuda de aparelhos após crise convulsiva, diz empresário

Documentário de Leandra Leal traz depoimentos de artistas como Rogéria, no Recifest, em Recife (Foto: Reprodução/Divinas Divas)
A atriz Rogéria, de 74 anos, seguia internada neste sábado (15) no CTI de uma clínica particular em Laranjeiras, na Zona Sul do Rio. Ela se internou com um caso de infecção urinaria, mas teve uma complicação após ter tido uma crise convulsiva. As informações foram dadas ao G1 pelo empresário da atriz Alexandro Haddad.
Na sexta-feira (14), o empresário afirmou que ela respirava com auxílio de aparelhos. “Ela estava super bem, cuidando da infecção, quando teve uma convulsão. Estamos rezando e tenho muita fé que ela vai sair dessa. Nem desmarquei a agenda dela", disse, confirmando que o quadro de saúde, no entanto, ainda é "grave".
O G1 entrou em contato com a clínica, mas não obteve resposta até a publicação desta reportagem.

Rogéria (Foto: Divulgação/Solar de Botafogo)
Rogéria (Foto: Divulgação/Solar de Botafogo)

Transformista desde a adolescência, Rogéria começou a carreira como maquiadora na extinta TV Rio, onde cuidou de artistas como Fernanda Montenegro, Irene Ravache, Dalva de Oliveira, Bibi Ferreira, Chico Anysio e Elis Regina. Estreou nos palcos em 1964, no primeiro espetáculo nacional de transexuais e travestis, “Les Girls”, dirigido por João Roberto Kelly.
Tornoi-se vedete de Carlos Machado, atuou no teatro e no cinema. Na televisão, participou de inúmeras séries e novelas ao longo dos anos, como “Tieta”, “Desejos de mulher” e “Paraíso tropical”, além de atuar como jurada em programas de Chacrinha e Luciano Huck.

Fonte: G1
Leia Mais ››

Corregedoria da polícia apura morte de homem em cela de delegacia do DF

Luis Cláudio Rodrigues completaria 49 anos neste sábado. A vítima era motorista da Caixa Econômica Federal (Foto: Arquivo pessoal)
A Corregedoria da Polícia Civil do Distrito Federal instaurou um inquérito para apurar a morte de um homem de 48 anos dentro de uma cela da 13ª Delegacia de Polícia, em Sobradinho. O caso ocorreu na última sexta-feira (14).
Em entrevista ao G1, o primo da vítima, Eduardo Feitoza, contou que após ter se desentendido com um policial militar, próximo a uma distribuidora de bebidas em Sobradinho, Luis Cláudio Rodrigues foi levado para a 13ª DP. No local, Rodrigues fez o teste do bafômetro e foi constatado que ele havia ingerido bebida alcoólica. O exame indicou 1,35 miligrama de álcool por litro de ar expelido.
“A nossa família foi chamada. Só após o pagamento da fiança, de R$ 1,2 mil, recebemos a notícia de que o meu primo teria se matado dentro da cela”, disse Eduardo Feitoza. Segundo o parente, os agentes da delegacia informaram que Rodrigues se enforcou com a camisa que estava usando no momento da prisão.
“Meu primo foi levado para a cela sem as medidas de segurança necessárias. Ele vestia uma camisa polo. Como uma pessoa se mata com uma camisa? Na delegacia, havia seis agentes, um escrivão e o delegado. Como ninguém impediu isso?"
Em nota enviada à TV Globo, às 13h30, a Polícia Civil informou que Luis Cláudio Rodrigues foi levado à 13ª DP, na sexta, por volta das 15h, depois de se envolver em um acidente de trânsito. Após o resultado do teste de alcoolemia, a "autoridade policial o autuou em flagrante por crime de embriaguez ao volante (art. 306, CTB), tendo sido arbitrada fiança de R$ 1,2 mil".
A corporação afirmou também que a família da vítima foi "devidamente comunicada" e, por volta das 19h, os policiais encontraram Rodrigues no interior da cela "enforcado com a própria camisa". "Foi providenciado imediato socorro a Luis, através do Corpo de Bombeiros Militar, mas infelizmente não foi possível evitar o óbito."
Peritos do Instituto de Criminalística periciaram o local. O laudo será concluído no prazo de 30 dias. Até as 11h50 deste sábado (15), a polícia havia apenas informado ao G1 que “foi instaurado procedimento que será apurado na Corregedoria Geral de Polícia Civil”.
Feitoza informou que um advogado da família pediu para acompanhar a perícia, mas não foi autorizado. “A própria Polícia Civil vai fazer a perícia. A gente fica preocupado. Não há esclarecimentos sobre os fatos.”
De acordo com Feitoza, Luis Cláudio Rodrigues completaria 49 anos neste sábado. A vítima era motorista da Caixa Econômica Federal. Separado, Rodrigues deixa um filho e dois netos.
A reportagem perguntou à Secretaria de Segurança Pública sobre a responsabilidade do estado neste caso. Até as 11h50, o órgão não tinha se posicionado.

Fachada da 13ª Delegacia de Polícia, em Sobradinho, no Distrito Federal (Foto: Google Maps/Reprodução)
Fachada da 13ª Delegacia de Polícia, em Sobradinho, no Distrito Federal (Foto: Google Maps/Reprodução)

Fonte: G1
Leia Mais ››

PM encontra partes de corpo esquartejado em Guarulhos

Partes de um corpo esquartejado foram encontradas na rua Lázaro de Almeida Campos, no bairro Taboão, em Guarulhos, na região metropolitana de São Paulo. Segundo relatos de dois policiais militares que faziam patrulhamento no local, três homens fugiram e deixaram a vítima em um carrinho de pedreiro, às 4h30 deste sábado (15).
O trio fugiu correndo assim que notou a aproximação dos policiais e correram pela Rua Hermenegildo Campanati.
A vítima foi identificada como Kleber de Rísio Barbosa, 37 anos, e mora no bairro vizinho. A polícia não soube informar mais detalhes sobre o perfil da vítima. O corpo foi cortado em três partes, sendo as pernas, tronco e cabeça.
Até as 21h deste sábado, a Polícia Militar não havia conseguido prender os suspeitos. Também não foi identificado o local onde o esquartejamento aconteceu.

Fonte: G1
Leia Mais ››

Ladrão arrependido devolve objetos furtados junto com bilhete em Nova Santa Rosa


Um ladrão se arrependeu do crime que cometeu em Nova Santa Rosa, no oeste do Paraná, e devolveu os objetos furtados junto com um bilhete. Ele escreveu que não voltará a roubar. Leia o recado na foto acima.
De acordo com a Polícia Militar (PM), o morador da área rural da cidade saiu de casa por volta das 13h de terça-feira (11) e voltou apenas as 23h. Ao entrar na residência, percebeu o furto e avisou a PM por volta da 1h de quarta (12).
Foram furtados: uma televisão de 32 polegadas, um receptor de TV, uma caixa de som e uma máquina de cortar grama.
Na manhã de sexta-feira (14), a PM recebeu um telefonema anônimo avisando que os objetos estavam em um estrada rural. No local, também estava o bilhete do assaltante.
Os quatro objetos estão na delegacia, e o dono deve retirá-los na próxima semana.

Objetos foram abandonados em uma estrada rural de Nova Santa Rosa (Foto: Marcos Luiz Marini/Portal Nova Santa Rosa)

Fonte: G1
Leia Mais ››

Mega-Sena, concurso 1.949: ninguém acerta e prêmio acumula em R$ 68 milhões

Ninguém acertou os seis números do concurso 1.949 da Mega-Sena sorteados neste sábado (15) na cidade de Ipameri (GO). O prêmio estimado para o próximo concurso que acontece na quarta (19) é de R$ 68 milhões.
Veja as dezenas sorteadas: 01 - 06 - 14 - 22 - 30 - 56.
A quina saiu para 130 apostas e cada uma delas levará um prêmio de R$ 29.304,32. Outros 8.455 bilhetes acertaram a quadra e ficarão com R$ 643,67 cada.
Para apostar na Mega-Sena
As apostas podem ser feitas até as 19h (de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer lotérica do país. A aposta mínima custa R$ 3,50.
Probabilidades
A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 3,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa.
Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 17.517,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa.

Fonte: G1
Leia Mais ››

Após 7 meses de espera, família enterra corpo de jovem morto pela mãe em Cravinhos, SP

Itaberli Lozano foi encontrado morto em canavial na Rodovia José Fregonezi (Foto: Reprodução/Facebook)Foi enterrado na manhã deste sábado (15) em Cravinhos (SP) o corpo do jovem Itaberli Lozano, de 17 anos, morto pela mãe, segundo a polícia, em dezembro de 2016. Ele foi sepultado no Cemitério Municipal, por volta das 11h, após uma cerimônia de duas horas.
O laudo do Instituto Médico Legal (IML) que confirmou que a identidade do corpo foi divulgado na última quinta-feira (13). A família aguardava a liberação há sete meses. "Acabou isso da gente ficar esperando sair o resultado, os testes. Trouxe um alívio", afirma Dário Rosa, tio de Itaberli.
Segundo a investigação, o jovem foi morto dentro de casa pela mãe, Tatiana Lozano Pereira, com a ajuda de três jovens. Após matar o filho, Tatiana teve a ajuda do marido, padrasto da vítima, para queimar o corpo em um canavial às margens da Rodovia José Fregonesi. Todos os suspeitos estão presos.

Demora no laudo
O primeiro resultado do exame de DNA, feito na época do crime com material da mãe, teve o resultado inconclusivo. Para a polícia, o estado avançado de decomposição prejudicou o teste.
Em junho, o delegado responsável pelo caso, Helton Henz, pediu um novo exame, mas desta vez, amostras de material genético do avô paterno da vítima foram enviadas para análise. O resultado foi divulgado na quinta-feira, confirmando a identidade de Itaberli.
De acordo com Henz, a polícia nunca teve dúvidas de que o corpo era mesmo do adolescente. Ele também falou que o laudo não altera o curso da investigação. “Esse segundo laudo agora só vem ao encontro do que já tinha sido feito e confirma que a vítima realmente é o Itaberli. A autoria do crime também permanece inalterada, não há nenhuma dúvida sobre isso”, disse.
Justiça
O tio de Itaberli também confirma que a família não tinha dúvidas sobre a identidade do corpo. O resultado do laudo, no entanto, põe fim aos meses de angústia para sepultar o sobrinho em Cravinhos.
O caso segue sob sigilo. No fim de junho, a Justiça começou a ouvir os depoimentos das testemunhas e dos acusados. Segundo o promotor Wanderley Trindade Junior, as provas colhidas até o momento são suficientes para levar a mãe, o padrasto e os jovens a júri popular.
Rosa espera que os envolvidos sejam condenados e diz que é difícil compreender a real motivação do crime. “Que eles venham a pagar por essa crueldade”, diz.

Taiana Lozano está presa desde janeiro deste ano na Penitenciária Feminina de Tremembé, SP (Foto: Ronaldo Gomes/EPTV)
Taiana Lozano está presa desde janeiro deste ano na Penitenciária Feminina de Tremembé, SP (Foto: Ronaldo Gomes/EPTV)

Entenda o caso
Para o Ministério Público, Tatiana Lozano Pereira deve ser julgada por homicídio qualificado, ocultação de cadáver e homofobia: em postagem dois dias antes de ser morto, Itaberli diz ter sido agredido pela mãe por ser gay.
O adolescente foi encontrado carbonizado no dia 7 de janeiro, dez dias após ter sido morto. Dois dias após registrarem um boletim de ocorrência por desaparecimento, a mãe e o padrasto, o tratorista Alex Canteli Pereira, foram presos e confessaram o crime.
Inicialmente, Tatiana disse que esfaqueou o filho na madrugada de 29 de dezembro. Com a ajuda do marido, ela queimou o corpo no canavial. Em um segundo depoimento, voltou atrás e contou que havia aliciado dois jovens - Victor Roberto da Silva, de 19 anos, e Miller Barissa, de 18, para darem um “corretivo” no filho, mas sem a intenção de matá-lo.
Um dos jovens confessou ter espancado Itaberli, enquanto o outro disse que apenas conversou com a vítima. Segundo a Polícia Civil, no entanto, ambos espancaram e enforcaram Itaberli, antes de a mãe esfaquear o próprio filho.

Cada um dos suspeitos de envolvimento na morte de Itaberli Lozano participaram separadamente das três reconstituições (Foto: Reprodução/EPTV)
Cada um dos suspeitos de envolvimento na morte de Itaberli Lozano participaram separadamente das três reconstituições (Foto: Reprodução/EPTV)

A dupla foi presa no dia 13 de janeiro. Uma estudante de 16 anos que confessou ter presenciado o momento em que Tatiana matou o filho também foi apreendida, no dia 27 de janeiro. Para a promotoria, a menor participou diretamente na morte de Itaberli.
O Ministério Público considera que o crime foi motivado por homofobia. Para a Promotoria, a mãe não aceitava o fato de o filho ser homossexual. Já a Polícia Civil sustenta a tese de conflito familiar, alegando histórico de agressões entre ambos.
Os cinco respondem por homicídio qualificado. Tatiana e o marido ainda são acusados de ocultação de cadáver.

Fonte: G1
Leia Mais ››

Ônibus capota e deixa 14 mortos no Equador

Imagem Ilustrativa

Um ônibus capotou na região central do Equador, na noite de quinta-feira (15), deixando 14 mortos e 26 feridos, de acordo com a France Presse. O acidente ocorreu por volta das 22h, no trajeto entre Quito e La Maná, na província de Cotopaxi.
Após capotar, o ônibus pegou fogo, o serviço de segurança local. As unidades encontraram corpos carbonizados dentro do veículo.
Os feridos foram levados para diferentes hospitais em Quito e na província de Santo Domingo, enquanto as autoridades buscam identificar os mortos.

Fonte: G1
Leia Mais ››

Em Itaquera, Atlético-PR arranca empate e acaba com sequência do líder Corinthians


O líder Corinthians permanece invicto após 14 rodadas no Brasileirão, mas deixou claro neste sábado que não é imbatível. Saiu atrás no placar, virou com dois gols de Jô, cedeu o empate e quase levou a virada do Atlético-PR na sequência. No fim, o resultado de 2 a 2 fez justiça ao que os dois times demonstraram em campo.

COMO FICA?
Com o resultado, o Corinthians foi a 36 pontos, abrindo 11 para o vice-líder Grêmio, que enfrenta a Ponte Preta em Porto Alegre neste domingo, às 16h. Já o Atlético-PR chegou a 16 e não corre risco de entrar na zona do rebaixamento nesta rodada.

90 MINUTOS
Em jogo parelho, o primeiro gol saiu numa jogada individual fantástica. Aos 37, Jonathan recebeu na direita, passou por Moisés, fintou Maycon, deixou Gabriel na saudade e depois Pedro Henrique. A finalização, cruzada e rasteira, foi indefensável para Cássio. Foi a primeira vez no Brasileirão que o Corinthians ficou atrás no placar. E isso durou apenas sete minutos. Aos 44, Moisés cruzou da esquerda, e Jô se atirou na bola para desviar e empatar.

Na etapa final, o Corinthians voltou melhor, mais focado e chegou ao segundo gol aos cinco minutos. Após belo passe de Jadson, Jô fez o pivô para Maycon, que foi à linha de fundo e cruzou de volta para Jô. O Atlético-PR lutou pelo empate e conseguiu em chute de Otávio, aos 36 – a bola desviou em Balbuena e enganou Cássio. O Timão ainda teve duas chances claras, com Jô e Pedrinho, mas não conseguiu a vitória. 


O ARTILHEIRO
 A virada veio com dois gols de Jô, que chegou a nove no Brasileirão, juntando-se a Henrique Dourado, do Fluminense, na artilharia da competição.


NÚMEROS IMPRESSIONANTES
Pela primeira vez no Brasileirão, o Corinthians, já na 14ª rodada, saiu atrás no placar. O time alvinegro, que não era vazado havia sete rodadas, levou aquele que, talvez, seja o maior golaço do torneio até o momento. Aos 37 minutos do primeiro tempo, o lateral Jonathan pegou a bola na direita, passou por Moisés, Maycon, Gabriel e Pedro Henrique e chutou cruzado para abrir o placar. No total, Cássio ficou 674 minutos sem tomar gol, tornando-se o segundo goleiro corintiano com melhor marca de invencibilidade na história do Brasileirão. Ele só perde para Jairo, que, em 1978, ficou 957 minutos sem ser vazado.

RECLAMAÇÃO
Os jogadores do Atlético-PR reclamaram a não marcação de um pênalti de Moisés em Jonathan, no segundo tempo, quando a partida estava 2 a 1 para o Timão. O árbitro Sandro Meira Ricci (Fifa-SC) nada marcou.

CARTOLA
Jô foi o maior pontuador do jogo, com 19.20 pontos. Jonathan e Otávio, que também fizeram gols, brilharam com 13.30 e 12.30, respectivamente. Fagner (-1.90), Cássio (-1) e Pedro Henrique (-0.90) negativaram, para desespero os cartoleiros que apostaram na consistente defesa corintiana.

TABELA
Na próxima rodada, o Corinthians encara o Avaí, quarta-feira, às 21h, em Florianópolis. Já o Atlético-PR recebe o Botafogo, quinta, às 21h, na Arena da Baixada. 

Fonte: Globo Esporte
Leia Mais ››

Juiz manda polícia apurar responsabilidade por violência em São Januário

Confronto entre torcedores e polícia após jogo em São Januário (Foto: ANTONIO MARCOS/PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO)O juiz Mario Olinto Filho, que estava de plantão no estádio de São Januário durante o jogo entre Vasco e Flamengo pelo Campeonato Brasileiro, no sábado (8), determinou que a 17ª DP (São Cristóvão) abrisse inquérito para apurar as responsabilidades pelos atos de violência e vandalismo envolvendo torcedores do Vasco após o término da partida. Na ocasião, o vascaíno David Rocha Lopes, de 27 anos, morreu ao ser baleado fora do estádio.
Entre os fatos que a delegacia já começou a apurar está se o presidente do Vasco, Eurico Miranda, pode ser responsabilizado pelo que aconteceu.
A segurança dos torcedores dentro do estádio, de acordo com o artigo 14 do Estatuto do Torcedor, é de responsabilidade do clube mandante (o Vasco, no caso) e não da Polícia Militar, como chegou a ser dito pelos dirigentes vascaínos após a confusão.
"O pedido do juiz é genérico para permitir que se apure todas as possibilidades. Chamou a atenção a quantidade de bombas nas mãos dos torcedores. Resta saber se elas estavam guardadas lá no estádio ou se foram levadas para o interior de São Januário", contou o promotor Cláudio Varella, de plantão no Juizado do Torcedor no dia do jogo.


Ata do Plantão Judiciário diz que o que ocorreu foi 'vergonhoso' e que houve 'exposição denecessária - e evitável - a todos a situação de risco' em São Januário (Foto: Reprodução)Ata do Plantão Judiciário diz que o que ocorreu foi 'vergonhoso' e que houve 'exposição denecessária - e evitável - a todos a situação de risco' em São Januário (Foto: Reprodução)
Ata do Plantão Judiciário diz que o que ocorreu foi 'vergonhoso' e que houve 'exposição denecessária - e evitável - a todos a situação de risco' em São Januário (Foto: Reprodução)

Após a publicação desta reportagem, a Polícia Civil informou que o delegado titular da 17ª DP (São Cristóvão), Marcelo Ambrósio, instaurou inquérito policial, no início da semana, para apurar o incidente ocorrido no estádio de São Januário.
Em nota, informou que diversas pessoas foram intimadas para prestar declarações, entre elas o presidente e funcionários do clube, além de PMs que atuaram no estádio. Também foram solicitadas imagens dos conflitos ao SporTV e ao Vasco.
A Polícia Civil informou ainda que não havia recebido da Justiça qualquer requisição para instauração de investigação e que isso é "desnecessário, tendo em vista que a 17ª Delegacia de Polícia está atenta aos fatos ocorridos em sua circunscrição".
A assessoria do Vasco da Gama informou por telefone que o jogo "só aconteceu porque o clube cumpriu as exigências dos órgãos públicos e, por isso, teve aprovada a realização do evento". Disse também que "o clube prestará as informações à medida que for comunicado judicialmente".
Além da esfera policial, o Vasco será julgado na segunda-feira (17) pela Justiça Desportiva, onde correm o risco de perder mandos de campo e levar multa. O Ministério Público também tenta a interdição de São Januário.
Tumulto originou um relatório
Diante das tentativas de invasão do campo e dos inúmeros objetos atirados pelos torcedores, o juiz Mario Olinto Filho elaborou uma ata relatando tudo o que aconteceu naquele sábado no interior do estádio.
No documento ao qual o G1 teve acesso (veja na imagem acima) há a informação de que os torcedores tentaram invadir a delegacia instalada em São Januário.
O grupo ainda conseguiu quebrar o vidro do Juizado do Torcedor próximo a defensora Karla Leães Merter, que não se feriu.
"Tenha ou não sido uma ação orquestrada era vergonhoso o que ocorrera, já que houve exposição desnecessária - evitável - a todos", afirmou o juiz aos representantes do Vasco.
O magistrado ainda chamou de "irresponsável" a realização de um jogo "de grandes proporções neste estádio". Fato que considera "evitável". Mario Olinto Filho ainda determinou, ainda no sábado, que uma perícia fosse feita no local.
"Se é sabido que a situação política do clube é instável, fora irresponsável a insistência de realização de um jogo de grandes proporções neste estádio, diante da notória possibilidade de ocorrência de situação de confronto de enorme proporção", escreveu o magistrado no documento.
"Não chegou a ser uma invasão. Jogaram grades de proteção na porta do juizado. Era uma correria sem destino, desorganizada", analisou o delegado Orlando Zaccone, plantonista do jogo.
Delegado, promotor e juiz precisaram deixar São Januário sob escolta após o fim do plantão que foi encerrado às 23h50. Quase quatro horas após o fim do jogo.
Apurada a ligação entre torcedores e dirigentes
O G1 apurou que os investigadores querem saber se há alguma ligação entre clube e os torcedores violentos. Um dos pontos de partida foi a detenção do torcedor Rodrigo Granja Coutinho dos Santos, de 41 anos, detido em 21 de junho no interior do estádio Nilton Santos, minutos antes do jogo entre Botafogo e Vasco pelo Campeonato Brasileiro.
Segundo o promotor Cláudio Varella, Rodrigo Granja está proibido pelo Juizado do Torcedor de frequentar estádios de futebol por se envolver em confrontos com outros torcedores.
"Na ocasião, ele só foi liberado porque advogados do Vasco comunicaram que ele era funcionário do clube", disse o promotor Cláudio Varella.
A assessoria de imprensa do Vasco informou que vai verificar essa informação. Até a publicação desta reportagem, não havia resposta para o questionamento.

Fonte: G1
Leia Mais ››